sexta-feira, 31 de dezembro de 2004

Fim de ano para esquecer

Tem sido um final de ano de cão. Espero que o próximo seja melhor.

Bom ano para todos os que frequentam este estabelecimento.

Kroniketas

Embaixaria!

A tragédia que sucedeu no Sudeste Asiático já era má demais, não precisávamos das habituais tuguices para a tornar pior.
Ao que parece, o embaixador de Portugal na Tailândia achou melhor controlar as operações de apoio aos portugueses vítimas do maremoto a partir do torrão natal, certamente ciente de que as modernas comunicações tornam o longínquo em próximo. É que se calhar nem tinha comprado ainda todas as prendas, assoberbado que devia estar com o trabalho árduo de embaixador. O problema é que nem tudo pode ser substituído pelo virtual e a presença, nem que seja apenas institucional, é imprescindível. E foi isso que o Pimentel não percebeu!
Não percebeu que ser embaixador é representar o estado português não apenas nos cocktails e recepções, mas também nas situações de crise, quando os representados dele precisam. Não percebeu que, por muito importantes que fossem as reuniões que tinha cá, devia ter largado tudo e partido imediatamente para a Tailândia. Não percebeu que, apesar de o trabalho de campo ser feito por outros, a responsabilidade era sua. Não percebeu porque, como tantos que por aí pululam, é mais um parasita alapado às tetas do estado que, no fim de contas, somos nós!
E depois vai à rádio e diz alarvidades e dislates que são desmentidos pelo ministro que, por sua vez, tenta defender o indefensável. É muito triste que o apoio a um casal português tenha sido disponibilizado pela cozinheira da embaixada, não por ser ela, que só merece louvores pela sua actuação, mas porque deveriam ter sido outros a prestar essa ajuda! Como é possível, depois de uma catástrofe destas, a embaixada ter mantido o horário de expediente – das 9 às 14 – e assobiado para o lado? Se não fosse patético, dada a situação, seria de uma mesquinhez a bradar aos céus – provavelmente as horas extraordinárias não seriam pagas… Uma autêntica “embaixaria”.
Toda esta actuação é típica da mentalidade de merda instalada em muitos dos funcionários públicos, que nos mantém atados a uma âncora de incompetência que nos impede de progredir. É a mentalidade do deixa andar, do quem vier depois que feche a porta, do isso não é comigo nem está no contrato colectivo, do deixa-me aqui estar sem fazer ondas até chegar a reformazita. E esta mentalidade é da família da outra, difundida por todo o país, do sacaneanço, do chico-espertismo, da mediocridade premiada, do amigalhismo, do desrespeito pelos outros, do deixa cá comprar mais um Ferrari e o subsídio de Natal dos parolos que se lixe! Parafraseando o Kroniketas, puta que os pariu!
O que desejo para o novo ano de 2005 é que uma gigantesca onda de estrume líquido os leve bem para o largo e os afogue sem apelo nem agravo. Talvez assim consigamos chegar a algum lado.
Voltando à tragédia, não se esqueça de contribuir com o que puder para ajudar a minorá-la. Porque há ondas que nos atingem a todos.
E que este novo ano de 2005 seja melhor do que aquele que agora termina.

tuguinho, cínico solidário

quarta-feira, 29 de dezembro de 2004

segunda-feira, 27 de dezembro de 2004

Mensagem Alimentícia

E mais: a todos os leitores que se apresentarem vestidos de rena (Pais-Natal já há muitos) na nossa sede, será oferecida uma posta de bacalhau das Seichelles e um bolo rei só com recheio de favas, que pensamos será muito útil para pôr os parentes penduras a pagar o bolo do próximo ano!
Esperamos que continuem a gastar as vossas retinas com a leitura do nosso modesto pasquim.

Bem hajam

Os diletantes preguiçosos

sábado, 25 de dezembro de 2004

Mensagem natalícia

Este estabelecimento deseja a todos os seus clientes e amigos um feliz Natal e um ano novo cheio de propriedades.

Guiné, 1968

Amor de mãe

quinta-feira, 23 de dezembro de 2004

Tremei pecadores, que o fim está próximo!

Era o que eu temia! Não completamente convencido da efectividade da possível coligação pós-eleitoral com o PP, Pedro Santana Lopes e o seu PSD deram um golpe de mestre e ficaram mais próximos da vitória nas próximas eleições legislativas. Falo do acordo concretizado hoje com o PPM (Partido Popular Monárquico) e o MPT (Movimento do Partido da Terra), que pelo seu efeito avassalador coloca esta plataforma à beira da maioria absoluta.
Na senda de outras ideias miraculosas – como mascarar o défice com a transferência quase total do fundo de pensões da CGD para a Caixa Nacional de Pensões, ou de acabar com a depressão económica por decreto – este pode ser o ovo de Colombo para a vitória nas eleições, não tanto pelo MPT que, descontados os animais e os inimputáveis, poucos militantes e apoiantes deve ter, mas sim pela importância demográfica que o PPM possui: até hoje ainda não se sabe bem quantos são os Câmara Pereira e respectivos ramos laterais, na certeza no entanto que devem constituir a maioria da população de Portugal, mesmo que se considerem apenas aqueles que já editaram discos de fado.
Fazer eleições para quê? Com esta jogada já há um vencedor certo! Acho que o Presidente deveria nomeá-los desde já para serem governo – poupava-se o dinheiro das eleições e continuaríamos certamente a divertir-nos, com uma vantagem adicional: além de pão e circo, passaríamos também a ter fado!

tuguinho, cínico encartado (em vacanças natalícias)

terça-feira, 21 de dezembro de 2004

Vergonha na Taça de Portugal

Como benfiquista sinto-me envergonhado por ver a minha equipa ganhar assim: três penalties para marcar um golo a uma equipa da 3ª divisão, e só ganhar no prolongamento, contra 10 e mercê de um autogolo! Onde é que isto vai parar?
A incompetência e a falta de vergonha dos dirigentes do Benfica é tal que se chega ao ridículo de ouvir o presidente dizer que o Benfica está muito mais forte que o ano passado! Olha se não estivesse! Esta gente não tem a noção do ridículo?
Estamos a precisar é de um 25 de Abril: correr de lá com toda esta corja que nos últimos 10 anos tem arrastado o nome e a história do Benfica pela lama e abrir espaço para uma nova geração de dirigentes, que saibam o que andam a fazer e não se sirvam do clube para fazer negociatas nem escolham jogadores e treinadores em função dos compadrios e dos seus próprios interesses pessoais.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Mais um chumbo

Desta vez foi Bruxelas a chumbar a intenção do governo de vender prédios para arrecadar receitas. Realmente, faz todo o sentido. Por causa do défice lança-se mão de todos os artifícios para obter receitas extraordinárias, o que é muito original. E quando não houver mais receitas extraordinárias, mais nada para vender, mais portagens para colocar, mais impostos para subir e ordenados para congelar? Vende-se o que falta aos espanhóis e o último a sair que feche a porta?
Para fazer tão difíceis operações é preciso irem buscar tantos crânios? Se eu lá estivesse podia fazer o mesmo sem precisar de perceber nada de economia. Assim, grande façanha.
Felizmente que ainda vai havendo quem ponha travão a estes dislates.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 19 de dezembro de 2004

A pergunta chumbada

Então o Tribunal Constitucional chumbou a inenarrável pergunta para o referendo! É bem feito para ver se os políticos aprendem a não tratar os eleitores como parvos. Parvos são eles pensando que toda a gente engole todas as patranhas. Desta vez saiu-lhes o tiro pela culatra.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

sexta-feira, 17 de dezembro de 2004

Aquela história do grão a grão e tal e coisa

Não é que seja importante, não é que constitua motivo para dissertação, nem sequer estamos a contar... mas chegámos aos 3000!

blogoberto, chico-esperto

A Cavalgada Heróica

Já falta pouco, rejubilemos! É que os bobos da corte têm muita graça, mas não no trono do rei. Agora que eles estão de saída, só temos de fechar os olhos e esperar pelo fim deste pesadelo anedótico.
Mas mesmo de saída, conseguem surpreender-nos: um secretário de estado descasca forte e feio nas áreas pelas quais é responsável e é completamente desmentido pelo ministro respectivo; Paulo Portas num dia diz que a Bombardier vai construir os novos blindados, no seguinte é desmentido pela empresa e depois não se percebe muito bem o que quis dizer, porque as explicações são mais abstrusas que as declarações originais; o Lopes voltou ao único papel que sabe fazer, o de coitadinho vítima do sistema, que todos querem derrubar por medo que os ultrapasse, porque ele é o melhor! Ou seja, mais do mesmo, o que só confirma a validade da decisão de Sampaio, que só pecou por tardia.
E depois apareceu a cereja no topo do bolo: as declarações de Portas (agora no papel de dirigente do PP) sobre os cenários pós-eleitorais. Dizer que o Presidente devia viabilizar novo governo PSD/PP se o PS não obtiver maioria absoluta é o que se chama colocar o carro à frente dos bois! Até pode ser um cenário a que se chegue, para mal dos nossos pecados, mas colocá-lo como hipótese quase certa é de uma desonestidade moral enorme e parece demonstrar um desejo do poder pelo poder.

tuguinho, cínico encartado

quinta-feira, 16 de dezembro de 2004

As "façanhas" de Bush

Alguns números relativos ao mandato de George W. Bush na presidência dos EUA:

  • 35,9 milhões - número de americanos pobres (12,5% da população, incluindo 12,9 milhões de crianças). Mais 4,3 milhões do que quando Bush chegou à Casa Branca, em Janeiro de 2001.
  • 45 milhões - número de americanos que não têm qualquer tipo de assistência médica. Mais 5,3 milhões que em 2001.
  • 1,1 milhões - postos de trabalho que se perderam nos últimos 3 anos e meio (de 132,4 para 131,3 milhões).
  • 445 mil milhões de dólares - valor do défice orçamental dos EUA (cerca de 3,8% do PIB), o maior de sempre na história do país.
  • 127 mil milhões de dólares - valor do superavit orçamental deixado por Bill Clinton quando abandonou a Casa Branca (2,4% do PIB).
  • 29% - aumento da despesa federal durante os anos de Bush, o triplo do que aconteceu no segundo mandato de Clinton, entre 1996 e 2000. Este crescimento só é comparável ao que se verificou durante a guerra do Vietname na presidência de Lyndon Johnson.
  • 1,57 milhões - número de empresas americanas que declararam falência em 2002, “record” absoluto na história do país.
  • 43.318 dólares - rendimento anual médio de uma família norte-americana.
  • 10,9 milhões de dólares - média da riqueza declarada pelos 16 membros do gabinete de Bush.
  • 13 dias - número médio que cada americano tira de férias por ano.
  • 27 dias - período de férias que George Bush costuma gozar anualmente desde que chegou à Casa Branca.
  • 144,4 mil milhões de dólares - quanto já custou ao erário público dos EUA a guerra do Iraque. A cada dia que passa são necessários mais 177 milhões, o que dá 7,4 milhões por hora ou 123 mil por minuto.
  • 16 mil - número de iraquianos que se julga terem morrido desde o início da intervenção militar a 20 de Março de 2003.
  • 954 - número de soldados americanos mortos no Iraque.
  • 9,2 - média de soldados americanos feridos por dia no Iraque.
  • 36% - aumento da percentagem de deserções no exército americano desde 1999.

Fontes: US Census Bureau, US Department of Defense, Human Rights Watch, Council on Foreign Relations, The Economist, Time, El País

Perante tamanhas façanhas cometidas pela actual administração americana, compreende-se a euforia dos acidentados, imperialistas e Delgados deste país. Sobretudo compreende-se que falem na “destrutiva herança em termos económicos e de política internacional” do último presidente democrata.
Para aqueles que são religiosos, do céu lhes venha o remédio...

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Uma proposta bizarra

Então o Paulo Portas acha que se o PS ganhar as eleições mas o PSD e o PP tiverem maioria na assembleia, devem ser estes partidos a formar governo?
Nunca tal aconteceu até agora. Sempre foi o partido mais votado a formar governo. Só na cabeça dele é que poderia existir ideia tão bizarra!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quarta-feira, 15 de dezembro de 2004

Benfica no plano inclinado

À derrocada à vista de todos da equipa de futebol, após mais uma humilhação, Luís Filipe Vieira reagiu da habitual forma autista. Enquanto a equipa se arrasta penosamente em direcção ao abismo, o presidente assobia para o lado e continua com o mesmo discurso estafado de que somos candidatos ao título e temos um plantel com qualidade, ao mesmo tempo que enche a boca, a todas as horas, com a “instituição” para cá e “instituição” para lá.
Não há ninguém que o mande calar com a história da “instituição”, que já entrou no anedotário futebolístico e até dá para os adversários gozarem connosco? Até parece que ele é a “instituição”. Os péssimos hábitos do tempo de Vale e Azevedo, infelizmente, ficaram mais entranhados do que parecia.
Este tipo de discurso, em que parece que está tudo bem, faz-me lembrar aquela anedota do Solnado em que um indivíduo, vendo a casa a arder, só gritava “Não batam com as portas!”.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 12 de dezembro de 2004

Fazemos um ANO, karago!!!

Kuando, no dia 11 de Dezembro de 2003, apareceu um tímido post a abrir as hostilidades, era difícil divisar nessa akção a inkomensurável importância ke este blog ia ter para o país. Manobrando na sombra, longe das luzes da ribalta (esta é uma terra ke nunca konsegui deskobrir no mapa…), desde a publikação da Deklaração de Intenções, a 12 de Dezembro, ke pugnamos por um Portugal menos tuga, ou seja, ke funcione. Não está a ser tarefa fácil, mas alguns kometimentos recentes tiveram a nossa mão ou, pelo menos, o nosso dedo:
Dissolução da Assembleia da Repúblika – foi difícil konvencer o Sampaio, levou kuatro meses, mas akabámos por konseguir!
Pinto da Kosta no Apito Dourado – esta foi a mais problemátika, mas também a mais rekompensadora. Ainda não está assegurado, embora o mais komplikado já tenha sido feito – com kualker máfia, o primeiro passo é sempre vencer o medo de kem sabe a verdade.
Partidos da direita konkorrem separados – esta aki foi mesmo para vermos o PP kom menos votos ke o BE. É ke o Portas tem inchado imenso kom estas presenças nos governos – até já se eskeceu ke o PP ia embalado para o oblívio, juntamente kom o PC (estes ao menos são koerentes e deram mais uma fakada no moribundo kom a “eleição” do kamarada Jerónimo; faz-nos lembrar um certo chefe índio, homónimo do kamarada…). Esta separação já é efektiva, pois o Portas já devolveu o anel de noivado ao Lopes.
Komo vêem, não temos estado parados. Também não nos temos mexido muito.
E também prometo ke esta é a primeira e última vez ke eskrevemos um post assim. Juramos (além de tudo, kustou imenso!).

Os Diletantes Preguiçosos (e um bokadito orgulhosos, vá lá)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2004

A pulga e o elefante

Os acidentados têm uma obsessão doentia com Mário Soares, de tal modo que gastaram toneladas de prosa a propósito dos 80 anos deste para destilar o seu ódio contra o ex-presidente. Não há dúvida que, mesmo com esta provecta idade, o homem lhes provoca uma grande dose de urticária, mas a ele devem incomodá-lo tanto como uma pulga a um elefante...

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quinta-feira, 9 de dezembro de 2004

Headphones? Porquê?

Mas afinal ninguém neste país conhece a palavra “auscultadores”? É headphones pra cá, headphones pra lá... Mas alguém sabe o que quer dizer headphones? Será altifalantes de cabeça?
E sabem que aquela peçazinha que os locutores de televisão põem no ouvido se chama auricular? Por que raio é que se há-de chamar headphones a tudo?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Irozes do mar, nozes podres

O deputado Guilherme Silva (líder parlamentar - ou para lamentar - do PSD) é, basicamente, um palerma.

blogoberto, chico-esperto

terça-feira, 7 de dezembro de 2004

Ainda Camarate

Mas afinal o que é que ainda querem com a história de Camarate? 24 anos depois, querem à viva força que alguém decida que foi atentado, mesmo que as provas não conduzam a essa conclusão?
Ainda não há muito tempo num debate televisivo Ricardo Sá Fernandes retorquiu a todos os argumentos de forma completamente autista, teimando obstinadamente contra todas as evidências técnicas e negando sistematicamente todas as conclusões que apontavam para acidente e querendo que fosse declarado, contra tudo e contra todos (onde é que eu já ouvi isto?), que tinha sido atentado.
É claro que hão-de arranjar tantas comissões de inquérito que alguma com maioria do PSD há-de decidir que foi atentado.
Pronto, levem lá a bicicleta. Já não há pachorra!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Foi confrangedor...

...a equipa do Benfica, que ainda não descobri se é composta por jogadores de futebol ou por taberneiros (com algumas honrosas excepções)...
...o árbitro, que ainda não descobri se frequenta o alterne ou se alterna entre imbecil e incompetente...
...o futebol, que saiu dali vilipendiado e moribundo (não o confundam com um desporto - deixou de o ser quando o amor às notas de banco superou o amor à camisola/profissão)...
Safou-se o resultado e o Karadas! Não tem grande toque de bola mas como encenador de quedas é eloquente! Pode ainda chegar ao nível do João Pinto, do Silva, do Futre ou mesmo do velho Manuel Fernandes! Ou do Ricardo, que além da criação de frangos parece que também se dedicou à criação teatral - é só ver a estrepitosa queda que resultou em vermelho para o jogador que apenas lhe afagou os biceps...
Ainda havemos de ver uma grande peça, quiçá de Shakespeare, interpretada por todos estes virtuosos da nobre arte. Futebol é que não.

tuguinho, cínico descoroçoado (especialmente com o Glorioso...)

sábado, 4 de dezembro de 2004

A Roubalheira dos Hot Spots

Certamente alguns dos leitores já experimentaram a sensação - chegados a terra estranha (não a terra em si, claro; estranha ao nosso conhecimento), no remanso do hotel que diz possuir acesso sem fios à Internet, julgamos ter resolvido o nosso problema de comunicação. Mas não. Quando se fica a saber que cada hora de ligação através do hot spot instalado nos custará 5€, só mesmo uma urgente necessidade de receber ou enviar informação (mesmo) importante nos faz ceder ao roubo.
Será que a informação que circula em ondas rádio pelo ar fica mais cara ou ocupa mais recursos nas redes dos operadores? E o mais engraçado é que, e estou a falar dos dois operadores que conheço, os preços são exactamente os mesmos, independentemente do operador que instalou o hot spot! Estranha coincidência.
Lembro-me de há já quatro anos ter, no hotel em que fiquei alojado, a possibilidade de aceder à Internet a 1Gbit por 5 ao dia. Dólares, evidentemente, porque isto se passou nos Estados Unidos. São estas diferenças de atitude que fazem a diferença entre a Tugalândia e o mundo civilizado (pelo menos na área tecnológica).
Por mim, esportular em 7 horas de ligação sensivelmente o mesmo que se paga num mês por uma ligação cabo ou adsl normal, só mesmo em caso de vida ou morte.
E para terminar, e como termo de comparação, já usei a rede sem fios de um hotel - que não pertencia a nenhum operador e que fornecia uma velocidade bem razoável - por uns módicos 4€ por dia! Estranha diferença.
É assim que se quer fazer avançar o país na senda da tecnologia...

tuguinho, cínico informatizado

Há dias assim...

Ontem Pinto da Costa foi indiciado como arguido no caso “Apito dourado”. À noite ainda chegou ao estádio a tempo de ver a sua equipa perder o segundo jogo consecutivo em casa. Os ovos-moles que o Kroniketas não trouxe de Aveiro deram uma indigestão ao dragão!
Há dias de manhã em que um homem à tarde não pode sair à noite...

blogoberto, chico-esperto

quinta-feira, 2 de dezembro de 2004

Relatividade

A nossa sorte foi a de os 10 anos de governação de Santana Lopes só terem durado 4 meses! O tempo é mesmo relativo...

blogoberto, chico-esperto

Frase da semana (passada num programa de televisão)

Os jogadores do Real Madrid são conhecidos como os galácticos. Os do Benfica são os apáticos.

blogoberto, chico-esperto

Pacheco Pereira dixit

Citando Eça de Queirós na “Quadratura do círculo”, Sic notícias:

“O governo não cai porque não é um edifício, mas limpa-se com benzina porque é uma nódoa”.

blogoberto, chico-esperto

terça-feira, 30 de novembro de 2004

Restauração Antecipada ou Era Escusada Esta Palhaçada

Doutor Sampaio, à segunda lá foi! Mas estava difícil! Foi preciso o governo entrar em fase de autofagia para que o Dr. Sampaio chegasse à conclusão a que até o Prof. Cavaco já tinha chegado: mais do que ter legitimidade ou não, este era um governo de incompetentes em último grau!
Santana Lopes sempre foi fogo de palha e esta era uma função que exigia fôlego, não sound bits inconsequentes.
Paulo Portas é um incompetente que se leva a sério, por isso perigoso.
Portugal está melhor com estes dois fora do governo. O outro já está em Bruxelas. O Morais Sarmento que vá para um ringue qualquer. O Gomes da Silva já não contava. O Chaves teve o valor de dar a bala para o tiro de misericórdia.
Com muita probabilidade, vem aí o Sócrates. Esperemos não estar a desejar vê-lo pelas costas daqui a pouco tempo. Esperemos que tenha coragem e inteligência para fazer o que tem de ser feito e ver se deixamos de ser o cu da Europa. Esperemos que ao menos uma vez se deixem de eleitoralismos e partidarites agudas e tomem as decisões que o país precisa. Competência, precisa-se. Estamos fartos de ser adiados. E já perdemos mais 4 meses…

tuguinho, cínico restaurado (antecipadamente, também)

domingo, 28 de novembro de 2004

Benfica - Um jogo inqualificável

Finalmente o Benfica foi afastado do primeiro lugar do campeonato, onde se aguentava há várias semanas de forma periclitante. A fraca produção futebolística da equipa nos últimos jogos, próxima do zero, tornava inevitável este desfecho, era apenas uma questão de tempo.
Hoje, em Leiria, atingiu-se o ponto mais baixo de uma época que começou logo da pior forma, com uma derrota com o Porto na Supertaça (num jogo em que o Benfica até foi superior e merecia ter ganho) logo seguida por uma eliminação humilhante frente ao Anderlecht na pré-eliminatória da Liga dos Campeões, com derrota por 3-0. Anderlecht que tem sido o bombo da festa no seu grupo, só com derrotas. O que me leva a fazer esta pergunta ingénua: então se nós fomos eliminados por eles de forma tão clara, o que é que estaríamos lá a fazer se tivéssemos passado? Para fazer figuras tristes e levar 3 cada vez que jogamos fora, prefiro não estar lá.
As primeiras jornadas do campeonato, com três vitórias seguidas, em que chegámos a ter 6 pontos a mais que o Porto, ainda criaram a ilusão de que seria possível continuar na senda vitoriosa e embalar até ao título de campeão. Mas como eu ando a dizer há muito tempo, desta equipa nunca se sabe o que se pode esperar, porque em qualquer momento podem borrar a pintura, e pode sempre ser no jogo seguinte, seja com que adversário for. O primeiro sinal foi dado na 4ª jornada, num empate a zero em casa com o Sp. Braga, onde a equipa revelou já uma total incapacidade para marcar um golo que fosse. A partir da derrota com o Porto começou a descida exibicional, e mesmo as últimas vitórias foram de aflitos, sem que a equipa exibisse um futebol convincente. Até que, sem que a categoria dos adversários sequer o justificasse, começaram os empates arrancados a ferros, como foi o do Gil Vicente (último classificado) no último minuto, já depois de o Porto ter cedido um empate na Madeira frente ao Nacional, o que nos dava a grande hipótese de nos distanciarmos.
Os 4-0 ao V. Setúbal apenas mascararam o que era por demais evidente, e nos últimos 3 jogos fomos completamente dominados pelos adversários, que exibiram sempre melhor futebol. Não posso conceber que uma equipa que paga ordenados de 10 e 20 mil contos leve um banho de futebol do Rio Ave, em casa, estando a ganhar e com o primeiro lugar à vista, e acabe o jogo em aflição a defender o empate.
Entretanto vamos sendo embalados por aquela conversa habitual para enganar papalvos, como a afirmação de Luís Filipe Vieira de que quer festejar o título de campeão no Porto, ou as idas aos ministros para fazer queixinhas da arbitragem (é caso para dizer que era melhor preocuparem-se com o que se passa dentro de casa do que com os árbitros). Para esse peditório, eu já dei. Já não tenho paciência para esta demagogia onde só embarca quem quer. A verdade é como o azeite e vem sempre ao de cima; a categoria das equipas (ou a falta dela) também; a capacidade de gestão de um clube ainda mais.
Talvez fosse melhor explicarem-nos porque é que se foi buscar um treinador com grande curriculum, é verdade, mas famoso pela sua tendência defensiva e que acha um empate um bom resultado. Só que, 3 meses depois do início do campeonato, nem sequer a consistência defensiva que se esperava que ele desse à equipa se consegue vislumbrar. Tal como não se vislumbra qualquer tipo de automatismo, fio ou estrutura de jogo, e se cometem erros primários só admissíveis em equipas amadoras, de que são exemplo os recentes golos sofridos em contra-ataque. Parece que todos os anos se tem que começar tudo de novo outra vez, e à medida que a época avança em vez de se jogar melhor joga-se cada vez pior.
Não sei, francamente, o que é que se ganhou em relação ao Camacho. Seria porque o director-do-futebol-ex-empresário-de-jogadores não o queria lá porque isso não lhe interessava? A ida de Camacho para o Real Madrid foi apenas usada como pretexto para se verem livres do Camacho de forma airosa, apesar de Luís Filipe Vieira ter afirmado que este era o seu treinador. A verdade é que nada fizeram para o manter, mesmo quando ainda não se sabia se ele queria ir ou não para o Real. Se quisesse ir teriam que obrigá-lo a dizer.
Também gostaria que alguém explicasse porque é que se mandou embora o Fernando Aguiar (um jogador tosco mas com capacidade de luta) e se foi buscar o Paulo Almeida que é, simplesmente, uma nulidade. Porque é que se vendeu o Tiago e se ficou sem organizadores de jogo a meio-campo, mantendo o Zahovic, pago principescamente, como única opção para número 10 que, ou joga meia-hora (a passo, de preferência) ou pura e simplesmente anda por ali a arrastar-se pelo campo. Como resultado, quando Petit não joga o meio-campo não existe. Porque é que se continua a não ter uma defesa estável e minimamente segura e se depende tanto do Miguel, que é uma adaptação a defesa. Como é que não se arranjam centrais de categoria (o único é o Ricardo Rocha), continuando a sofrer golos de cabeça de forma absolutamente caricata, em que os centrais nunca estão no sítio certo ou, quando estão, são sistematicamente batidos no jogo aéreo. Neste particular o caso mais flagrante é o Luisão, que alguns agora querem tornar imprescindível e que seria bom, quando muito, para poste no basquetebol. Quando é preciso enfrentar adversários altos, ele com o seu 1,92 m, está sempre fora da jogada. O Argel é anedótico e quando joga fica quase sempre ligado aos golos que nos derrotam, por lentidão ou fífias inadmissíveis num profissional.
Estas é que são verdadeiramente as questões importantes no futebol do Benfica, e eram estas que deviam ser respondidas. Mas os 90% de sócios que elegeram Luís Filipe Vieira como se ele fosse o Messias não querem saber disso, querem é continuar a pôr as culpas no Olegário Benquerença que não viu a bola chutada pelo Petit e largada pelo Vítor Baía ultrapassar a linha de golo. Como se isso fosse desculpa para não ganharmos há 3 jogos e nos últimos 5 só termos ganho um! O jogo com o Porto foi há mais de um mês e daí para cá nada fizemos para justificar o primeiro lugar.
Ou muito me engano ou, por este andar, na próxima época nem à Europa vamos … Eu, se estivesse no lugar do Simão, ia-me embora. Ele deve estar farto de pregar no deserto, como o João Pinto fez durante tantos anos.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

sábado, 27 de novembro de 2004

De volta para o meu aconchego (este blog, of course!)

Ora aqui estou eu de novo! Não pensem, por estas últimas blogadas, que somos eurocépticos! Somos mais eurocínicos! A verdade tem de ser dita, e a verdade é que em relação a estes assuntos europeus o PS e o PSD são iguaizinhos - eu, que até me considero uma pessoa informada, não conseguiria responder àquela pergunta. Era muito mais honesto fazerem uma pergunta de escolha múltipla, acrescentar um destacável aos boletins de voto e numerá-los e fazer um sorteio em grande, com um primeiro prémio de truz, assim tipo apartamento T2 na Arrentela ou abastecimento vitalício de Filipinos. Isso é que era! Tinham a afluência garantida e, se a pergunta fosse bem urdida, possivelmente a aprovação do povão - mesmo não sabendo em que é que tinha votado...
Aqui têm a minha sugestão, humilde, singela, mas inopinadamente operacional e efectiva:

“Concorda com os termos constantes da Carta, por maioria qualificada de Direitos Fundamentais, a Constituição da regra institucional das votações e a nova União Europeia para a Europa, no quadro?
Escolha a resposta correcta:
a. Tudo o que se diz acima
b. Tudo o que se diz abaixo, se se rodar este boletim 180º
c. As respostas a. e b. em conjunto"

Se já estamos na UE há tanto tempo e pouco se notou no país, é provável que mesmo que aprovemos estas coisas só os nossos bisnetos sofram algo com elas. Assim como assim, nessa altura já estaremos no paraíso de cada um e sem preocupações desta monta. São os nossos bisnetos, dizem vocês, temos de cuidar do seu futuro. Porquê, se nem sequer os conheço?

tuguinho, cínico europeísta

Uma pergunta inenarrável

A propósito do mesmo tema, acho um piadão ao barulho que se tem feito por causa da ideia do ministro Rui Gomes da Silva (o homem há-de acertar nalguma coisa) de repensar o teor da pergunta. A reacção quase histérica dos vários partidos ainda é mais absurda que a própria pergunta. Eles deviam ser os primeiros a reconhecer que aquela pergunta não tem ponta por onde se lhe pegue. É uma coisa inenarrável, um absurdo.
Claro que ninguém sabe, nem vai saber, o que é a carta e o quadro institucional, por isso o que era bonito era os portugueses irem, em massa, votar “NÃO”. NÃO à pergunta e NÃO a uma coisa que mais uma vez nos querem impingir mas que não nos explicam o que é.
Se houvesse um pouco de bom-senso, no mínimo cozinhavam uma pergunta que fizesse algum sentido e que as pessoas percebessem. Mas cada país tem os políticos que merece…

Kroniketas, sempre kontra as tretas

sexta-feira, 26 de novembro de 2004

As palavras dos outros

“Concorda com a Carta de Direitos Fundamentais, a regra das votações por maioria qualificada e o novo quadro institucional da União Europeia, nos termos constantes da Constituição para a Europa?”
E, já agora: recebeu a Carta de Direitos Fundamentais? Conhece a regra das votações por maioria qualificada? Faz a mínima ideia do que é o novo quadro institucional da União Europeia, nos termos constantes da Constituição para a Europa? Ah, não sabia que já havia uma Constituição para a Europa?
Concorda com a pergunta, cozinhada pelo “centrão” político que, em nome dos portugueses que não foram tidos nem achados, aderiu à Comunidade Económica Europeia, ratificou a união económica e monetária, instaurou a União Europeia, subscreveu o Acordo de Schengen, adoptou o Pacto de Estabilidade e Crescimento, criou a moeda única, assinou uma Constituição? Considera normal e democrático que, até hoje, jamais tenha sido consultado sobre qualquer uma destas decisões?
Diga lá, já que estamos em maré de perguntas e respostas: já ouviu falar de uma Carta Europeia dos Direitos Sociais e da coesão europeia? Sabe que, 18 anos após a adesão à Europa, Portugal é o primeiro dos 25 em analfabetismo, abandono escolar e formação com o ensino secundário e o penúltimo no número de licenciados? Que é dos países mais caros da Europa, com o salário mínimo mais baixo e com um poder de compra de 75 por cento da média europeia, com maior desigualdade entre ricos e pobres e maior taxa de população em risco de pobreza? Que é dos países com população mais endividada, o terceiro estado mais corrupto da União e que, segundo The Economist, bateria toda a concorrência se existisse um índice europeu para a vaidade? Viu passar os fundos estruturais destinados a aproximar Portugal da Europa? E então? Considera-se europeu? De primeira?

João Paulo Guerra, "Diário Económico", 22-11-04

Carta ao Comissário Europeu da Agricultura

Si non e vero, e bene trovatto

“Senhor Comissário da Agricultura,
O meu amigo Robert, que vive na Bretanha, recebeu um cheque de 100.000 EUR da UE para não criar porcos estes ano. Por essa razão eu estou a pensar entrar no programa de não-criação de porcos no próximo ano. O que eu gostaria de saber era qual é a melhor quinta possível para não criar porcos e também qual a melhor raça a não criar.
Gostaria de não-criar Javalis, mas se eles não forem uma boa raça para não-criar, fico igualmente satisfeito se puder não-criar uns Landrace ou uns Large White. O trabalho pior neste programa parece-me ser manter um inventário preciso do número de porcos que não criámos.
O meu amigo Robert está muito entusiasmado quanto ao futuro do seu negócio. Criou porcos durante mais de 20 anos e o máximo que tinha conseguido ganhar foram uns 35.000 EUR em 1978... até este ano, que recebeu o tal cheque de 100.000 EUR para a não-criação de porcos.
Se eu posso receber um cheque de 100.000 EUR para não-criar 50 porcos, então receberei 200.000 EUR por não-criar 100 porcos, etc?
Proponho-me começar por baixo para depois chegar a não-criar uns 5.000 porcos, o que significa que receberei um cheque de 10.000.000 EUR para poder comprar um iate e para outras necessidades urgentes.
Mas há outra coisa: os 5.000 porcos que eu não criarei deixarão de comer os 100.000 sacos de milho que lhe estão destinados. Entendo, portanto, que irão pagar aos agricultores para não produzir esse milho. Isto é: receberei alguma coisa para não-produzir 100.000 sacos de milho que não alimentarão os 5000 porcos que não-criarei?
Pretendia começar o mais cedo possível, porque parece que esta altura do ano é a mais propícia à não-criação de porcos.”

Esta carta, se não é verdadeira, está muito bem apanhada. Demonstra cabalmente a aberração que é a reforma da PAC.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quinta-feira, 25 de novembro de 2004

Triste espectáculo

É deveras deprimente o espectáculo dado pelos basbaques (que não devem ter nada para fazer a não ser estar ali) que estão plantados à porta do tribunal da Boa-Hora para dar um apoio (inútil e irrelevante) ao Carlos Cruz ou a qualquer outro ou para insultar os arguidos. Uma tristeza, infelizmente reveladora das mentalidades dominantes neste país. Não percebem como caem no ridículo.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Pois pois…

Fico à espera para saber se vêm de lá uns ovos-moles aqui para os bloguistas…

Kroniketas, sempre a favor dos ovos-moles

quarta-feira, 24 de novembro de 2004

De Aveiro, with love...

De ovos moles e de louco, todos temos um pouco...

blogoberto, chico-esperto

Chico-espertismo à moda do Porto

Então o FC Porto vai ter de pagar uma indemnização de 600 mil euros ao Del Neri, o tal treinador que foi despedido no período experimental?
Afinal, parece que o chico-espertismo nem sempre dá resultado…
E porque é que sempre que alguém espirra, tosse, engasga-se ou dá um traque no Benfica, temos logo que aturar as atoardas bacocas de Pinto da Costa, a que alguns eufemisticamente chamam “ironias”? A propósito da reunião do Benfica com um ministro, ele vem dizer que vai pedir uma audiência ao presidente russo! Mas o que é que isto tem a ver com o que quer que seja? E chamam a isto ironia? É mas é uma tonteria, uma completa estupidez!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

segunda-feira, 22 de novembro de 2004

Campeões na Invicta?

Luís Filipe Vieira disse no Porto que quer festejar o título de campeão nacional naquela cidade.
Depois de mais um jogo lamentável nesta jornada, seria melhor que o presidente do Benfica estivesse calado em vez de continuar a dizer estas patacoadas. Uma equipa que a ganhar por 2 em casa passa a segunda parte aflita e acaba por ceder o empate, não vai a lado nenhum.
A mim não me levam com estas conversas da treta para entreter o pagode.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 21 de novembro de 2004

O tão aclamado presidente

Para todos aqueles que tão contentes ficaram com a reeleição de George W. Bush, aqui ficam algumas pérolas para se deliciarem com os pensamentos profundos do seu tão aclamado presidente. Quanto aos outros, aproveitem para dar umas boas gargalhadas porque, como dizem os brasileiros, rir é o melhor remédio.
· Eu gostaria de ter estudado latim, assim eu poderia comunicar melhor com o povo da América Latina.
· A grande maioria das nossas importações vem de fora do país.
· Se não tivermos sucesso, corremos o risco de fracassarmos.
· O Holocausto foi um período obsceno na História da nossa nação. Quero dizer, na História deste século. Mas todos vivemos neste século. Eu não vivi nesse século.
· Uma palavra resume provavelmente a responsabilidade de qualquer governante. E essa palavra é “Estar preparado”.
· Eu tenho feito bons julgamentos no passado. Eu tenho feito bons julgamentos no futuro.
· Eu não sou parte do problema. Eu sou Republicano.
· O futuro será melhor amanhã.
· Nós vamos ter o povo americano mais bem-educado do mundo.
· Eu mantenho todas as declarações erradas que fiz.
· Nós temos um firme compromisso com a NATO. Nós fazemos parte da NATO. Nós temos um firme compromisso com a Europa. Nós fazemos parte da Europa.
· Um número baixo de votantes é uma indicação de que menos pessoas estão a votar.
· Nós estamos preparados para qualquer imprevisto que possa ocorrer ou não.
· Para a NASA, o espaço ainda é alta prioridade.
· O povo americano não quer saber de nenhuma declaração errada que George Bush possa fazer ou não.
· Não é a poluição que está a prejudicar o meio-ambiente. São as impurezas no ar e na água que fazem isso.
· É tempo da raça humana entrar no sistema solar.

Sempre ao dispor,

Kroniketas

O serventuário do poder

Confesso que não costumo dar grande atenção às opiniões do jornalista Luís Delgado, porque a figura não me é particularmente simpática. No entanto, tudo o que li nos últimos tempos a seu respeito, escrito por outros jornalistas e comentadores de um modo geral, não podia ser por acaso que era sempre a malhar no homem forte e feio. Que ele é um serventuário do poder já se sabia. Aliás, o cargo que detém na Lusomundo Media é um corolário óbvio dessa postura.
Mais espantosa é a posição acomodada de Mário Bettencourt Resendes, ex-director do Diário de Notícias e superior hierárquico de Luís Delgado, e agora seu subordinado na estrutura da Lusomundo. Pensava que ele era mais ou menos independente mas a sua posição actual, calado e bem instalado, parece provar a tese de que todo o homem tem o seu preço.
Mas voltando a Luís Delgado, este post do Keizer Soze despertou-me a atenção e lá fui ler o artigo no DN. Não posso dizer que fiquei estarrecido, mas fiquei a pensar se o homem vive no mesmo país que eu. Segundo ele, tudo está num mar de rosas, parece mesmo que estamos no conto da Alice no país das maravilhas. Não sei se aquilo é uma opinião ou apenas um delírio. Não há muito tempo ele aconselhava o crítico de televisão Eduardo Cintra Torres a internar-se. Lendo este artigo, parece que quem precisa de internamento é ele próprio, porque uma visão tão idílica do país só pode ser um sintoma de esquizofrenia. De facto, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência e só existe na sua imaginação.
Agora percebo porque é que tanta gente diz tão mal dele. Será que ele não se enxerga nem tem consciência de que tamanha parcialidade destrói completamente a sua credibilidade? Será que alguém ainda liga minimamente ao que ele diz?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

sábado, 20 de novembro de 2004

Robbie Williams: Bush é «idiota»

Eu até nem sou grande fã do homem, mas Robbie Williams (esse mesmo, o cantor) disse qualquer coisa como isto:

«Tenho medo pelo mundo. Este gajo é, obviamente, um idiota. Ele não sabe falar».
«Eu faria um melhor trabalho do que ele e nem sou muito esperto», acrescentou o cantor.
Se ele o diz, quem sou eu para o contrariar?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quinta-feira, 18 de novembro de 2004

O Maratonista - Jornal de Notícias Discretas (IV)

Última Hora - Governo Atacado por Doença Bipolar!
Uma estranha doença parece ter atacado o governo e os deputados da situação. À falta de melhor termo, e correndo o risco da designação ser confundida com a síndrome maníaco-depressiva, o doutor Aniceto Kebalda chamou-lhe "doença bipolar", "porque os doentes tanto acham num dia que uma coisa é o máximo, como no outro dia acham que não presta para nada" - citámos.
Esta maleita tornou-se notada com as posições do governo e dos partidos que o constituem em relação à AACS (Alta Autoridade para a Comunicação Social): primeiro era o órgão adequado para analisar os recentes casos de pressão governamental sobre os media; depois passou a ser um grupo de paspalhos que nem sabem fundamentar juridicamente as suas conclusões.
As más línguas afirmam que não há doença nenhuma e que esta mudança de posição se deve ao facto de a AACS não ter decidido a favor deles e ter concluído que houve pressões inaceitáveis do Ministro das Cabalas Parlamentares e do outro, do boxeur que não diz os égues e de quem ninguém aqui na redacção se lembra qual é o cargo (houve quem alvitrasse que era director de informação da RTP, mas essa sugestão não foi acolhida; fica assim, que se lixe).
"Olhe que não, olhe que não", contrapõe o Dr. Kebalda, que sustenta: "Quem vê o aspecto macilento e amarelado do Dr. Lopes, vê logo que até já lhe atacou a garganta!"
"É por isso que ele não consegue engolir as críticas!", concluiu o doutor.

Mateus Bichoso, repórter horroroso

terça-feira, 16 de novembro de 2004

Graça com Todos

O leitor mais boçal, que começou lançado a ler este post já a antecipar o gozo de um texto a puxar ao malandreco e desejoso de saber quem era a tal Graça, pode retirar os pequenos equídeos da actividade pluviométrica. Esta peça vai falar sobre o humor e alguns dos seus intérpretes em Portugal. Não estando interessado, vá a www.persiankitty.com e pode ser que lá encontre a Graça que procura. Adiante.
Este blog foi em peso ver os Gato Fedorento ao Tivoli. Embora não sejam actores, eles estão a ser uma lufada de ar fresco no panorama nacional (onde é que eu já ouvi isto?) e desembrulharam-se bem das armadilhas da actuação em directo (isto é deformação televisiva), conseguindo uma prestação de bom nível (agora pareço um comentador de futebol… isto está bonito, está). É que desde que o Herman apareceu em força, lá pelos idos de 1983 (não estou a considerar o que fez antes disso), que não havia uma sacudidela no nosso meio humorístico, já de si tão avaro em talentos. E o que tinha surgido na área desde então fora pela mão do próprio Herman, ou promovido por ele. Isso e tudo o que de bom fez lhe devemos e o que vou escrever a seguir em nada diminui o que realizou. Mas, embora me custe muito como fan de primeira hora, o Herman já há uns tempos que deixou de ter graça…
Não sei se foi falência criativa ou somente preguiça, aburguesamento (sem conotações políticas, please). O que é certo é que, onde a graça era subversivamente brejeira, passou a ser objectivamente grosseira. Onde se via um trabalho de criação de bonecos imaginativo, passou a estar uma displicência rotineira, um abastardamento que atingiu até personagens anteriores memoráveis, como o fabuloso Diácono Remédios! E o delicioso caos que certos sketches transportavam, do Nélito de boa memória ao inolvidável sketch dos Caixões Paticho, perdeu-se também na teia de bom comportamento que as amizades e os conhecimentos sociais geraram. Domesticou-se.
O que faríamos nós se estivéssemos na situação dele, com posição (que conquistou) e com dinheiro (que mereceu)? Provavelmente o mesmo. Descansaríamos. Mas isso não invalida a nossa premissa: o Herman deixou de ter graça! O Santana Lopes consegue ser mais engraçado (involuntariamenre, mas é) e o ministro das pressões, o Gomes da Silva, teria êxito em qualquer lado com aquele sketch da porta que não se abria quando tentou fugir após a conferência de imprensa! E isto é triste, quando amadores ultrapassam os profissionais.
Vejam “O Quintal dos Ranhosos” e anotem quantas gargalhadas deram. Um aviso: não vão precisar do lápis. Graça tem o “Tal Canal”, que está a ser reposto no Canal Memória! Graça tinha quando não estava açaimado por Lilis Caneças e políticos e senhores doutores, e podia morder em quem lhe apetecesse! E destruir cenários com uma caçadeira!
Não estamos aqui a esculpir nenhum epitáfio! Ainda acredito que do rame-rame do programa que anda a fazer há quase dez anos surja uma faísca que lhe incendeie a verve. Basta que queira e não tenha medo de ofender este ou aquele.
É que os Gato Fedorento são bons – e outros há por aí, actores ou simplesmente comediantes, de bom nível –, mas um Herman José fará sempre muita falta!
Graça, volta que estás “aperdoada”!

tuguinho, cínico enfastiado

Mais um anormal

Quando oiço estas notícias de que mais um anormal andou em contramão na auto-estrada, não posso deixar de pensar em como teria sido bom o pedaço de asno ter ido marrar com os cornos numa árvore antes de matar alguém. Ó pá, se se querem matar, matem-se, mas não chateiem os outros que não têm culpa nenhuma!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

segunda-feira, 15 de novembro de 2004

O Estado (desesperado) da Nação

O Lopes disse que quer governar até 2014. Por mim pode ser, desde que o director do manicómio também concorde. Pelo menos é original, a maior parte julga ser o Napoleão...

blogoberto, chico-esperto (a tentar parar de rir)

quinta-feira, 11 de novembro de 2004

Ritual macabro

As notícias de que um rapazinho de 10 anos (a idade do meu mais velho) teve o pénis amputado devido a rituais de feitiçaria leva-me a pensar que, realmente, há ainda muitos seres ditos “humanos” que nem chegaram a um estádio de evolução próximo do homem das cavernas. Talvez o seu cérebro até se pareça mais com o dos nossos antepassados que ainda andavam de quatro e só soltavam grunhidos.
Uma tristeza.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Finalmente o homem morreu

George W. Bush comentou a morte de Yasser Arafat com esta frase profunda e altamente elucidativa: "É um momento significativo".
Ele disse, está dito.

blogoberto, chico-esperto

quarta-feira, 10 de novembro de 2004

Uma questão de patrocínio

A questão não é essa, meu caro Kroniketas! A verdade é que os patrocinadores são cada vez mais importantes nos ganhos dos jogadores, mas também exigem visibilidade.
Daí o ar bovino do Nuno Gomes para nos fazer lembrar dos hamburgueres da MacDonalds, daí os frangos sucessivos do Ricardo que não nos deixam olvidar das pobres aves, tão pouco consideradas, principalmente no mundo do futebol...

tuguinho, cínico encartado

terça-feira, 9 de novembro de 2004

Uma questão de capoeira

Os anúncios que o guarda-redes Ricardo fez aos frangos fizeram-lhe mal. Desde aí tem estado com vocação para a capoeira. O primeiro golo do Porto, ontem, foi anedótico. No 3º é caso para perguntar o que é que ele foi lá fazer. Deixou a baliza desguarnecida e não atrapalhou minimamente o adversário.
Talvez ele devesse dedicar-se aos anúncios...

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 7 de novembro de 2004

Eleições nos EUA – Riem de quê?

Vai por aí uma grande euforia nos bloguistas de direita pela vitória de Bush nas eleições norte-americanas. Perante os resultados do seu mandato, quer a nível interno quer a nível internacional (e voltarei a este tema com factos concretos), fico sem perceber porquê e ocorre-me logo à memória aquela anedota da hiena, que era contada pelo Chico Anísio. Lembram-se?
Um professor de ciências falava na aula acerca da hiena e explicava: “É um animal com características curiosas. Come as fezes dos outros animais, só tem relações com a fêmea uma vez por ano e ri, ri muito”.
Ao que um aluno ripostou: “Ó professor, então um animal que só tem relações com a fêmea uma vez por ano e come merda, ri de quê?”

Kroniketas, sempre kontra as tretas

A cidade eterna

Ladrando à Lua (26)
Não sei se já repararam, mas nos últimos anos têm surgido em Lisboa várias pústulas que demoram imenso a curar – umas foram provocadas por incúria, outras por gabarolice. O grande problema é que essas feridas na cidade vão provocando mazelas irreversíveis na urbe e em quem ainda lá mora. É sintomático que num inquérito apresentado hoje no Expresso, em que se questionaram as pessoas sobre o melhor local para morar, apenas uma muito baixa percentagem escolheu o centro da cidade.
Há quanto tempo se arrastam as obras do metro no Terreiro do Paço? Já nem me lembro como era o cais das colunas – há anos que só lá vejo uma lagoa fétida. O Metro é necessário? Pois é, mas quem escolheu o método mais arriscado na operação que provocou a inundação do túnel devia ser responsabilizado.
Lisboa dá-se mal com os túneis: o do Metro meteu água, o do Rossio meteu água e do Marquês também, embora figuradamente.
Agora vamos ter o túnel do Rossio fechado durante ano e meio. Não se discute a justeza dos prazos e a necessidade das obras, discute-se antes o que não foi feito durante décadas para se chegar a esta triste situação. Devia explicar-se à CP/Refer/Governo que a palavra manutenção tem outros significados além do relacionado com as classificações desportivas… Ou talvez fosse uma cabala involuntária dos terrenos sobre o túnel. Se calhar também houve pressões!
Quanto ao túnel do Marquês, estamos falados. Este é um problema que só existe porque um certo presidente de câmara que empurraram para primeiro-ministro queria deixar obra que marcasse, já que nunca na vida o tinha feito. Mas mais uma vez deixou por acabar o que começou, pela leviandade e negligência (e pressa, claro) com que o processo foi tratado. Mas é uma obra que está a marcar, e muito, milhares de portugueses, e nem foi preciso acabá-la (olha, outra vez a tal coisa involuntária)!
Mas há mais! Parece que o caneiro de Alcântara – lembram-se? Foi aquele que engoliu o autocarro no ano passado – está em risco iminente de colapso. O relatório sobre o seu estado foi entregue no início do ano, o processo arrastou-se (mas há alguma coisa que não se arraste por gabinetes e comissões, neste país?) e agora parece que obras só depois de passar a época das chuvas... O pior é se ao caneiro lhe apetece desmoronar-se antes dos consertos – é coisa de pouca monta: só ficaríamos, possivelmente, com a Avenida de Ceuta e o comboio da ponte cortados. Isso não é nada para quem já suporta os incómodos nos cais do Terreiro do Paço, o metro apinhado porque não há comboio até ao Rossio ou os engarrafamentos nas Amoreiras. Um cortezito de meses numa avenida que para pouco serve (é só um acesso e uma saída da ponte, entre outras coisitas de somenos) ou num comboio que só torna a vida mais fácil a quem vive do outro lado do rio, não é nada! Estas coisas até dão um certo sal à existência.
É muito difícil prever quando se verá luz ao fundo destes túneis em que nos meteram. Pois é, Lisboa dá-se mal com os túneis. Por isso esperemos que essa luz, quando aparecer, não seja apenas a do farol de um comboio...

tuguinho, cínico alfacinha

Bramando caninamente ao satélite natural da Terra

E depois dos desvarios estivais, e somente porque nos apetece e por mais nenhum motivo (excepto talvez a ânsia de um certo protagonismo), eis que volta a afamada rubrica "Ladrando à Lua"! Vem já aí.

Os diletantes preguiçosos

sexta-feira, 5 de novembro de 2004

Agradecimento

Osama, filho, obrigado pela tua intervenção, sempre cheia de oportunidade! Se não fosses tu sei lá o que teria acontecido nestas eleições! Mas é como se costuma dizer, os amigos são para as ocasiões. O Pai e a Mãe mandam cumprimentos e perguntam quando reunimos as famílias novamente. Diz qualquer coisa. Desculpa os bombardeamentos, mas tenho de manter as aparências.
Abraços
Dubia.

quarta-feira, 3 de novembro de 2004

O americano médio

Um comentador na Sic Notícias disse esta manhã no programa Opinião Pública que o provavelmente reeleito George W. Bush representa o americano médio. Pois, isso é que é preocupante.

blogoberto, chico-esperto

E continua a vergonha...

...dos julgamentos por casos de aborto. Este último, de uma jovem de 23 anos por ter abortado aos 17, é ainda mais escandaloso.
O mais curioso é que são os próprios tribunais que, um após outro, vão fazendo a sua própria justiça contra esta lei iníqua. Esta juíza Conceição Oliveira, que arrumou o caso tão depressa, é certamente incómoda no meio, como já se tinha verificado noutras ocasiões. Certamente não vai ganhar um lugar no céu.
Quem vai ganhar um lugar no céu é o enfermeiro que denunciou a jovem de 17 anos. Com certeza a moral católica sobrepôs-se ao dever de sigilo profissional. Mas que moral tem alguém que coloca nesta situação uma adolescente? Onde está o sentido de ajuda ao seu semelhante?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

terça-feira, 2 de novembro de 2004

E que tal um teste ao Q. I.?

A saga continua. Este fim-de-semana tivemos mais um balanço trágico nas estradas portuguesas. Dezenas de pessoas não chegaram a casa, e algumas nunca mais chegarão.
É triste continuar a verificar que, após qualquer fim-de-semana prolongado ou qualquer época festiva, os telejornais abrem invariavelmente a dar-nos conta do resultado da selvajaria que vai por essas estradas. E somos sempre confrontados com as imagens arrepiantes captadas pelas câmaras da Brigada de Trânsito, que mostram alguns kamikazes do asfalto em verdadeiras corridas para a morte (sua ou dos outros). E por muitas notícias destas que nos sejam mostradas, por muitos trágicos balanços que se façam, por muitas campanhas de sensibilização, o resultado é sempre o mesmo: nada muda no comportamento destes asnos que se julgam os maiores.
Aquilo que se vê por aí (um deles até estava a ler um papel ao volante!) merecia que estes indivíduos estivessem presos.
Eu sugeria que, daqui em diante, a seguir ao exame de código e ao de condução, houvesse outro: um teste ao Q. I. dos futuros condutores. Talvez assim se conseguisse determinar se cada indivíduo está apto a conduzir um automóvel sem se tornar um assassino na estrada. É que perante tamanha falta de capacidade para se comportarem de forma normal quando conduzem, só mesmo um teste ao Q. I. poderia aferir se aquilo que se aprendeu nas lições de condução foi mesmo apreendido ou se existe uma incapacidade inata nesta gente para seguir algumas regras básicas quando conduz, como por exemplo não ultrapassar em traços contínuos ou pela direita nas auto-estradas, ou não se colar ao carro da frente. Se o Q. I. mostrasse que a carta de condução era uma licença para matar, o carro do condutor em vez de uma matrícula deveria ter um dístico bem grande a dizer: “Perigo: assassino ao volante”! Ao menos assim os outros podiam desviar-se quando encontrassem um destes perigos à solta.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Futebolices - Assim não

Os jogadores do Benfica deviam preocupar-se mais em jogar à bola do que em simular penalties. A jogar assim, a perda do primeiro lugar é apenas uma questão de tempo.
Se calhar, era melhor ter perdido já com o Gil Vicente para deixarmos definitivamente de alimentar ilusões.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

segunda-feira, 1 de novembro de 2004

Aos ausentes...

Recordação

Lembrar alguém é mantê-lo
vivo. Que há de mais perene
que a lembrança, a ideia som
ou perfume que a alguém
se reporta?
Chamar alguém pelo nome
é fazê-lo existir. Por sermos
chamados, existimos. E se
quisermos lembrar alguém,
basta chamá-lo.
Agora ou no Fim, virá!

Postado em colaboração com o blog A Esfinge na Face

sábado, 30 de outubro de 2004

Aviso Importante

No próximo fim de semana, dias 6 e 7 de Novembro, vai realizar-se o V Encontro com o Vinho no Centro de Congressos de Lisboa (antiga FIL na Junqueira), organizado pela Revista de Vinhos.
Quem quiser conhecer provando não deve faltar!

tuguinho e Kroniketas, vinhistas de qualidade

100% Design, 0% Usabilidade

Causa-me perplexidade o acto de aquirir um determinado bem apenas por este ter sido concebido por alguém específico ou por ser "um objecto de design", o que quer que isso seja. A menos que o objecto tenha préstimo como bibelot ou obra de arte, sempre pensei que seria a sua usabilidade a determinar o seu valor, mas muitas vezes não é isso que acontece. Antes de me chamarem grunho-que-devia-estar-guardado-no-sotão-junto-com-os outros-trastes ou saudosista-do-design-caquético, leiam até ao fim. Com estas afirmações não estou a pôr em causa a importância da forma e da busca de novas linhas para os objectos do nosso quotidiano (das chaleiras aos automóveis), mas apenas o design pelo design, que acaba por subverter o uso do próprio objecto. O que me interessa que a torradeira (isto é um exemplo imaginado) tenha sido idealizada pelo não-sei-quantos se ela, pela sua forma, me dificultar o acto de fazer torradas? O design pode ser arrojado mas nunca deve perverter a usabilidade da coisa, caso contrário estamos a distorcer a sua própria finalidade (do design). Por exigências de "modernidade" deitam-se fora modelos que eram quase perfeitos na sua simplicidade - alguém duvida que a forma encurvada do cabo de um guarda-chuva é muito mais utilizável do que os punhos modernaços do tipo cabo de espada? Mas isto é um exemplo soft. E que dizer daquelas cadeiras de linhas muito depuradas e de idêntica e elevada incomodidade? Há tantas coisas que se podem fazer com a forma básica de uma cadeira, será mesmo necessário torná-las incómodas apenas para serem "modernas"? A forma deve seguir a função e o caso da evolução automóvel é paradigmática (no geral) do que o design deve ser: quem fica indiferente às linhas de um carro desportivo ou à aerodinâmica dos denominados "espadas" dos anos 50?
Existem objectos lindos, peças de design bem pensado, que em nada afectam a usabilidade e muitas vezes até a valorizam. Mas não será isso, no fundo, que separa o bom do mau design? E comprar pelo nome, seja em relação ao design como a tantas outras coisas (os vinhos, p.e), não será o que diferencia os bimbos de quem tem bom gosto?

tuguinho, cínico encartado (e um autêntico objecto de design :-) )

P.S. - Eu sei que "usabilidade" é um anglicismo proveniente da área tecnológica (usability), mas expressa muito bem a capacidade/facilidade de utilização de algo e é facilmente derivável de usável/utilizável. Não sejamos puristas demais!

quinta-feira, 28 de outubro de 2004

Tão amigos que nós éramos...

Safa!, como diria Cavaco Silva. Com amigos destes podem dispensar-se os inimigos. Acho que se escarafuncharmos um pouco mais no passado do Paes do Amaral ainda vamos descobrir que ele afastou a mãe de casa porque lhe estava a prejudicar o negócio de venda de limonadas. Mas pelo menos não é desprovido de humor: conseguiu dizer sem se rir que a PT era uma companhia privada onde o estado não manda nada! Pois é, o canalzito no cabo só aparece no sapatinho se o menino for bem comportado. Percebeu? Nós, governo, estado, não mandamos nada na PT, mas eu se fosse a si tomava precauções.
Estes aprendizes de feiticeiro deviam saber que ombrear com Marcelo não é para quem quer, é para quem pode. E, neste campo, são poucos... Ele sai como vencedor, o Paes como mentiroso e o Gomes da Silva infelizmente não sai. É como aquelas nódoas chatas: incomodam e não desaparecem.
Quanto ao Santana, repararam como ele esteve caladinho? Pressões, eu? Não! Quando isso aconteceu eu até estava a passar pelas brasas. E sou muito amigo do Marcelo!
Sem se rir...

tuguinho, cínico encartado

Bruxelas não é São Bento

Quando não se tem a maioria, não se pode ser teimoso.

blogoberto, chico-esperto

quarta-feira, 27 de outubro de 2004

Milho a Maïs!

Jornal da Noite da Sic, peça sobre milho transgénico, entrevista a um produtor espanhol: numa das legendas cai a melhor tradução do momento - "maïs" traduzido por "mais"!
Ai se não fossem estes senhores como é que a gente se ria! E nem se pode dizer que no melhor pano caiu uma nódoa, porque da "Antártica" ao "Lago dos Sisnes" já fizemos várias voltas ao mundo em disparates, neste e noutros canais.

tuguinho, cínico mas atento!

terça-feira, 26 de outubro de 2004

Notícias da manhã

“Por causa do nevoeiro”, dizem, já houve não sei quantos acidentes esta manhã, com mortos, feridos e desaparecidos em combate. Um deles foi na via verde das portagens da CREL em Queluz.
Pergunto eu: o que é que justifica que alguém tenha um acidente na via verde? Não seria um desses anormais que conduzem à mesma velocidade quer esteja, sol, chuva, neve ou granizo? Como é que se pode errar a via verde? Não viu a entrada? É pequena, não é? Vê-se mal!
A que velocidade iria o ás que cometeu a proeza? É sempre a mesma cambada de imbecis na estrada, como o outro que foi marrar de frente num autocarro na EN 125 e matou-se a ele e ao passageiro.
Mas apesar disto, os Schumacher's à solta nas estradas portuguesas continuam a conduzir da mesma maneira, como se o seu carro fosse um Fórmula 1 e a estrada fosse uma pista de corridas.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

sábado, 23 de outubro de 2004

Pay it forward

No seguimento de tão luminosa ideia (ver post anterior), achámos por bem auxiliar o primeiro-ministro neste acesso de assistencialite caridosa. Assim:

  • Os desempregados da Bombardier irão dar assistência aos professores de ballet dos conservatórios.
  • Os arrumadores de carros do Porto irão dar assistência aos stewards do Estádio da Luz.
  • A Catarina Pinto da Costa irá (voltar) a dar assistência aos bares de alterne do Reinaldo Teles.
  • O burro Pavarotti irá dar assistência à Júlia Pinheiro (vê-se que ela precisa).
  • O Zézé Camarinha irá dar assistência (só durante o Inverno) à associação de auxílio às mães solteiras.
  • O Grupo de Danças e Cantares de Refolhos do Douro irá dar assistência a quem quiser.
  • O Alexandre Frota irá dar assistência ao árbitro de futebol Olegário Benquerença.
  • O lar de terceira idade “Tão Quietinhos que Nós Estamos” irá dar assistência ao Presidente Sampaio.
  • Alguém com cérebro irá dar assistência ao Santana Lopes e ao resto do governo.

Esperamos assim ter contribuído para o bem do país, enquanto há…

tuguinho, cínico assistido

sexta-feira, 22 de outubro de 2004

Cada tiro, cada melro

A ideia de pôr os professores com horário zero a ajudar os juízes é mais uma para o anedotário nacional. Mas será que deste governo só saem ideias bizarras? Cada uma pior que a outra.

blogoberto, chico-esperto

quinta-feira, 21 de outubro de 2004

Digam-me que não é verdade!

Depois das afirmações de Morais Sarmento acerca do controlo da RTP e da actuação da polícia em Coimbra, fico a pensar se, um dia destes, voltaremos a ter reguadas nas escolas, marcas de balas nas paredes a um metro do chão como resultado dos “tiros para o ar”, fardas da Mocidade Portuguesa, cantar o hino com o braço direito estendido e a saudação “Viva Salazar”!
Este governo já provou ser o mais reaccionário desde o 25 de Abril, e os tiques de conservadorismo à moda do 24 de Abril começam a ser demasiado evidentes para que tudo continue na mesma. Razão tinha o Miguel Sousa Tavares: a culpa é de Jorge Sampaio por ter empossado este governo.
Por favor, digam-me que estou apenas a sonhar e que um dia destes vou acordar do pesadelo!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

A máquina do tempo

Esta noite, quando via televisão, fui obrigado a olhar com atenção para o calendário. Depois de confirmar que continuávamos em 2004, voltei a minha atenção para o guia da programação. Seria aquilo algum documentário sobre as revoltas estudantis da década de 60? Mas não, não podia ser, aquilo era a cores e tudo! E não se viam gnr's a cavalo, só bestas a pé.
Fiquei então rendido à evidência: as imagens dos polícias a malhar em estudantes eram de hoje, 30 anos depois da revolução! Com gente pelo chão, joelhos sobre o pescoço enquanto a vítima era algemada e agressões de agentes à paisana. Insidiosamente, é o passado mais nojento que parece voltar, caucionado por esta regência brutal porque débil e insegura.
Se o governo anterior já possuía aquele germinar encoberto de atitudes de extrema-direita, este é muito mais despudorado, uma vez que não inclui qualquer social-democrata, só liberais de pacotilha sem cartilha definida. E as coisas acontecem.
Tudo o que nos foi transmitido pelo anterior governo como de importância fulcral para haver um futuro, verdadeiro ou não (défice, p.e.), foi esquecido liminarmente para dar a vez ao populismo desbocado, à insensibilidade social (veja-se a eliminação das deduções das contas CPH e PPR no IRS) e à manipulação descarada (vejam-se as afirmações do Morais Sarmento sobre os orgãos de comunicação social do estado). Em 3 meses, é muita merda já feita! A propósito: ó Sampaio, bem podes limpar as mãos à parede com a merda que fizeste, amedrontado pela possibilidade de não ficares bem na foto para a história.

tuguinho, cínico irado

terça-feira, 19 de outubro de 2004

P.C. Contraditório

Queria aqui deixar-bos um abiso: bocês num sabem no que se eston a metere!
Se eue num me queria sentar no bancue, era para num amarrotare nem sujare as calças, que don um travalhon à Cati para labare e passare a ferro. Ela noutro dia até disse que dantes era passada a ferro e agora ela é que tinha de passare. Num percebi o que ela queria dizere cum isso. Tenho de perguntare ao Telles.
Mas dizia eue que bocês escuson de bir cá à inbicta que eue bou ter com bocês lebar-bos uns sapatinhos de cimiento e de caminho explico-bos o cartaz: é que a minha Cati já foi ouribes, e o Orelhas num era mais que um bom cliente dela, especialmente daqueles alfinetes que se põem ao peito, num me lembro agora do nuome. Se quisesse referir-se ao Bieira, o cartaz teria de dizere "Orelhas, ehm, ehm, tou aqui"! As orelhas e o vigode desenhados eram só para despistare. Muouros do c...o, que num sabem perdere caladinhos!
P.C.

segunda-feira, 18 de outubro de 2004

Futebolices – Os ranhosos

Já depois do post anterior estar escrito, vi uma fotografia no jornal em que a namorada de Pinto da Costa aparece na bancada com um cartaz a dizer “orelhas, tou aqui” e uma caricatura com grandes orelhas e um bigode. É mais uma provocação reles de gentinha que, em vez de uma bancada, deveria ter reservada uma pocilga. Talvez para a próxima.
Por sua vez, Pinto da Costa, questionado sobre se ia sentar-se no banco de suplentes, respondeu aos jornalistas: “Se estiver limpo sento-me…”. Pelos vistos estava. Não ficou foi tão limpo depois dele sair de lá.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Futebolices – O roubo do costume

O jogo Benfica-FC Porto confirmou aquilo que já se esperava: o Benfica é quase sempre roubado. Para além das nossas próprias fraquezas e dos nossos próprios erros, há sempre uma mãozinha amiga a empurrar-nos para baixo enquanto puxa os outros para cima. Seria fastidioso enumerar todas as situações que há mais de 15 anos têm acontecido nos jogos entre estes clubes, mas se calhar um dia destes vou-me dar a esse trabalho. Não têm conta os jogos decisivos que o Benfica perdeu com decisões prejudiciais da arbitragem. Pelo contrário, não encontro na memória jogos com carácter decisivo perdidos pelo Porto contra o Benfica com erros de arbitragem. Eles queixaram-se da final da Taça de Portugal, mas depois de ter visto o jogo no estádio e revisto a gravação duas vezes, até hoje estou sem saber de que é que eles se queixam. Certamente é porque estão habituados à cultura da batota que lhes permite ganhar a qualquer custo e por quaisquer meios. Quando perdem ficam assim.
Desta vez, as situações são por demais evidentes para sequer precisarem de repetição televisiva. Nós (das Krónikas) assistimos ao jogo pela televisão e vimos, à primeira e sem repetição, que houve um penalty sobre o Karadas e uma bola que entrou na baliza do Porto (mais um grande momento do melhor guarda-redes da Europa), sem que a equipa de arbitragem assinalasse.
Agora podem dizer que o Porto fez o melhor jogo da época e que o Benfica não jogou nada. A verdade é que marcámos um golo limpo que não valeu e daria o empate. O penalty não assinalado poderia dar a vitória. Em resumo, e à boa maneira portista, foi mais um roubo praticado pelos campeões europeus da vigarice. Eu também já tinha previsto que isto iria acontecer depois das decisões da última jornada. O Papa tinha botado faladura e os efeitos fizeram-se sentir de imediato. Agora foi a altura oportuna para dar o golpe fatal: ganhar no campo do primeiro classificado porque a derrota significaria 7 pontos de atraso. É o sistema no seu melhor. Podem entregar já mais um título de campeão por antecipação porque o filme já está visto.
Como se não bastassem os roubos dentro do campo, o inefável Pinto da Costa ainda tem o desplante de vir a nossa casa provocar-nos fora do campo. A época passada foi a namorada do dito cujo que na tribuna presidencial deixou o presidente do Benfica de mão estendida, alegando que não tinha obrigação de o cumprimentar. Questões de educação. Agora foi o próprio que, depois de ter entrado no tipo de discurso de baixo nível que o caracteriza, falando sobre Luís Filipe Vieira na casa do FC Porto em Lisboa em tom de regatice e de peixeira, contando episódios de quando este estava no Alverca (é o mesmo tipo de conversa de quem vem para a praça pública contar conversas privadas), dirigiu-se à mesa de conferências na sala de imprensa, passando à frente de Nuno Gomes que estava à espera para uma cerimónia qualquer, e ainda veio dizer que não responde a qualquer um. Isto na casa do adversário. Tal como desta vez a dita “senhora” foi para a bancada, a este “senhor” devia ter sido fechada a porta da sala de imprensa. Na minha casa não admito pessoas que me vêm desconsiderar.
Para completar o ramalhete, ainda veio falar de histórias pessoais que conhece de Luís Filipe Vieira. Pois então, se é assim acho bem que cada um conte aquilo que sabe. Vamos ver quem tem mais podres, a começar pela namorada que ele foi buscar ao bar de alterne do Reinaldo Teles. E contem-se as histórias dos quinhentinhos, da viagem do árbitro Carlos Calheiros (aliás José Amorim) ao Brasil paga pelo Porto, do marfim enviado de Angola e por aí fora. Nessa altura se verá quem é Pinto da Costa. E já agora, se Pinto da Costa quer falar de cenas passadas no túnel, talvez também seja altura de contar muitas cenas passadas no túnel das Antas. Os jogadores do Benfica conhecem-nas bem.
Há 20 anos que Pinto da Costa provoca, insulta, goza e faz ironias bacocas com tudo o que diz respeito ao Benfica. Este “senhor”, o maior pirómano do futebol português, que já esteve em guerra com quase todos os clubes do campeonato e com todos os presidentes que em qualquer momento lhe fizeram frente, é o grande responsável pelo clima de guerra permanente que se vive no futebol português, e desde que ele apareceu nunca mais houve sossego. Desta vez, as suas provocações e a sua insolência (que alguns moços de recados eufemisticamente chamam “ironia”) levaram a conversa para um lamentável baixo nível, que parece que é onde se sente bem, apesar dos poemas de José Régio.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 17 de outubro de 2004

Curtas do futebol inglês

1. O português Luís Boa Morte marcou os dois golos do Fulham contra o Liverpool. Mas os “reds” deram a volta ao resultado e ganharam por 4-2.
2. O Chelsea de Mourinho perdeu pela primeira vez. E Paulo Ferreira, que alguns alcunhavam como melhor defesa-direito da Europa (vá lá saber-se porquê…), fez merda, provocando estupidamente o penalty que derrotou a equipa. Nada que eu não tivesse já previsto. Aguardo pelos próximos episódios.
3. Jimmy Floyd Hasselbaink, ex-Chelsea agora no Middlesbrough, marcou 3 golos fantásticos em Blackburn (vitória do "Boro" por 4-0). Lembro que ele passou por cá, começando no Campomaiorense e transitando para o Boavista, donde saiu para Inglaterra para chegar à selecção holandesa. E Manuel Damásio, presidente do Benfica, não quis ir buscá-lo ao Campomaiorense por 50.000 contos porque achou que era desprestigiante para o clube. Grandes crânios que têm passado pela presidência do Benfica!...

Kroniketas, sempre kontra as tretas

De que lado estou eu?

Claro, isto é como a história da garrafa: para o ministro está meio-cheia; para o contribuinte está meio-vazia.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

4 em cada 5 portugueses vive na riqueza*

Mas é assim, ó Kroniketas! Com a ajuda desinteressada (o termo é mesmo este) dos nossos governantes, vamos a caminho de um novo mundo! Pena é que seja o terceiro...

blogoberto, chico-esperto

*segundo o Bagão Feliz, ministro das massas do regente Santana (segundo a expressão feliz do Tio Miro)

sábado, 16 de outubro de 2004

Um em cada 5 portugueses vive na pobreza

Notícia na TSF online (artigo completo):

““Um em cada cinco portugueses vive abaixo do limiar de pobreza, recorda a Associação Promotora dos Direitos Humanos (APRODIH) a propósito do Dia Mundial para a Erradicação da Pobreza.

«Portugal é o país que possui o mais elevado nível de pobreza da União Europeia: cerca de 20 por cento da população, dois milhões de pessoas, vive abaixo do limiar da pobreza», considerou a APRODIH, citando dados do relatório «A Situação Social na União Europeia». A associação salientou ainda que Portugal é o país que menos gasta com a protecção social por habitante - pouco mais de metade da média da União Europeia - e que é igualmente «aquele onde o fosso entre ricos e pobres mais aumentou nos últimos anos».

Os dez por cento dos portugueses mais pobres detêm apenas dois por cento do rendimento nacional, enquanto os dez por cento mais ricos concentram 29 por cento. Para a Associação Promotora dos Direitos Humanos, as causas na origem deste números são «fundamentalmente estruturais, subjacentes ao próprio modelo do sistema político e económico de cariz neo-liberal», que perpetua e agrava «a violação sistemática dos direitos humanos, sociais e económicos».””

Eis o resultado dos governos tão amigos do povo que temos. Será este tipo de justiça social que pretende o Ministro das Finanças quando quer acabar com os benefícios fiscais?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

sexta-feira, 15 de outubro de 2004

Sic transit gloria mundi*

Apesar de atrasados, não queríamos deixar de comemorar a visita número 2000 ao nosso blog, desde que temos contador. Assim, será oferecido gratuitamente um pratinho de camarão de Espinho e uma cerveja de 20cl (vulgo imperial) na cervejaria Portugália (na original, não nos franchises), a todo aquele que lá se apresentar com um exemplar deste blog debaixo do braço.
A oferta é válida até ao fim de Outubro e não pode ser acumulada com outras promoções, nossas ou da cervejaria. Gostaríamos de agradecer também à ACPE (Associação de Comiseração pelos Pobres de Espírito) e à CAGA (Clube dos Amigos de Gabriel Alves), sem as quais não teria sido possível realizar esta festa.
Bem hajam

tuguinho, cínico encartado
Kroniketas, sempre kontra as tretas
blogoberto, chico-esperto
Mateus Bichoso, repórter horroroso
Mónica Galho, cronista da sóçáite
Valter Rego, garanhão no desemprego
Ângelo Prepúcio, detective lúcido
Idálio Saroto, provedor deste blog

* "a SIC e o trânsito são a glória do mundo"; (tradução do colectivo)

quinta-feira, 14 de outubro de 2004

Explicação para a goleada

Ora, é fácil, ó Tuga: marcaram os golos que faltaram contra o Liechtenstein. Não percebes nada disto!

Kroniketas

Vitória escandalosa*

Depois deste jogo (uau!) no Alvalade XXI, que palavras se poderão encontrar para explicar o inexplicável?

tuguinho, cínico encartado

*Não, não é a mulher do Beckham!

quarta-feira, 13 de outubro de 2004

Um acidente de trabalho*

Soube-se que um padre holandês violou repetidamente uma rapariga de 12 anos.
Deve ser a isso que chamam celibato...

blogoberto, chico-esperto

*é que a igreja exigiu que fosse a companhia de seguros a pagar a indemnização...

A Terra a quem a Trabalha

Era tão estúpido, tão estúpido, que pensava que a reforma agrária era atribuida pela Caixa Nacional de Pensões...

blogoberto, chico-esperto

Estou preocupado

...com a utilização das fotocopiadoras na ex-URSS. Vocês não estão?

Kroniketas

segunda-feira, 11 de outubro de 2004

Adivinha

O que é que o Marcelo Rebelo de Sousa tem a ver com as fotocopiadoras da ex-URSS?
Dão-se alvíssaras.

Kroniketas, vergado pela angústia

Insecticida

Lembram-se do “Assalto ao arranha-céus”, quando o polícia John McLane escreve na roupa de um dos assaltantes “Now I have a machine gun too. Ho! Ho! Ho!”? Pois é. Nós agora temos um insecticida. Ho! Ho! Ho! Contra moscas, melgas, mosquitos e sobretudo insectos rastejantes. Tal como o Raid casa e plantas, mata-os bem mortos.
PAF!

blogoberto, chico-esperto

Empate escandaloso

Depois daquele jogo (?) no Liechtenstein, que palavras se poderão encontrar para explicar o inexplicável?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 10 de outubro de 2004

O Maratonista - Jornal de Notícias Discretas (III)

Marcelo – A Fuga Planeada!
Investigação d’O Maratonista descobre a verdade
Jornalistas deste aperiódico, em missão especial e ultra-secreta, conseguiram apurar as verdadeiras causas da saída de Marcelo Rebelo de Sousa das funções de comentador na TVI. As provas descobertas ilibam completamente o ministro dos assuntos parlamentares, que se limitou a ser o estúpido de serviço, não tendo nada a ver com o abandono do tribuno.
O equívoco da conversa ao fim da tarde
Com risco da própria vida, o jornalista investigador Arménio Cacha obteve a gravação da câmara de segurança do local onde decorreu a conversa entre Paes do Amaral e Marcelo. Revelou o conteúdo dessa gravação que não houve acto de censura, antes existiu uma novel proposta de colaboração noutro programa da TVI. Esta proposta foi aceite por Rebelo de Sousa, mas foi-lhe exigido sigilo até a sua participação se concretizar, o que explica o mutismo do comentarista.
A proposta de Paes do Amaral
O professor será o substituto de Avelino Ferreira Torres na Quinta das Celebridades, quando este terminar as férias que tão estranhamente utilizou para a sua participação neste programa de puro voyeurismo.
Assim, a pressão que existiu foi para o professor aceitar a proposta de transferência – ao fim de 50 minutos de conversa, o administrador da Media Capital conseguiu convencê-lo de que as suas charlas ganhariam outra dimensão se, enquanto falasse, estivesse a afagar o dorso da porca residente ou a mungir uma das vacas da quinta.
Dado o melindre da situação foi pedido a Marcelo que não revelasse as razões da sua saída.
Tudo está bem quando acaba bem
Sabe-se que, neste momento, o professor com raízes em Celorico de Basto mas citadino impenitente, está nesta mesma localidade a frequentar uma espécie de curso prático das lides do campo nas áreas da pecuária, agricultura e controlo de pragas, esta última especialmente útil tendo em conta os colegas que vai ter.
Conseguimos falar “off the record” com um dos monitores deste curso, que nos confidenciou que o professor já mungia benzito e que se entendia bem com a enxada, mas não podia com as galinhas. Esta afirmação deixa entrever possíveis conflitos com Ana Lucas e Cinha Jardim quando todos estiverem na quinta, não se sabendo se tal situação poderá causar problemas com Santana Lopes, podendo levar mesmo este a exercer pressões sobre a administração da TVI para a saída de Marcelo do programa.
À hora desta edição prosseguia em São Bento uma busca afanosa pela inteligência do ministro dos assuntos parlamentares, receando-se no entanto que venha a ser encontrada já morta e em decomposição.

Mateus Bichoso, repórter horroroso

sexta-feira, 8 de outubro de 2004

E Miguel Sousa Tavares disse...


...no Espaço Público:

“Se pretendemos classificar as pessoas pelo critério da cidadania, a classificação que sempre tive como fundamental é a que distingue os homens livres dos capachos.”

“Não há lei que possa declarar um homem livre, se ele próprio não está disposto a bater-se pela liberdade que lhe deram e a pagar o preço que ela exige - sempre.”

“Vi vermes rastejando em directo televisivo, vi o medo, a subserviência, o preço, estampado na cara de gente porventura boa, ouvi razões e argumentos de estarrecer, conheci factos e circunstâncias que nem nos meus mais negros momentos de descrença julguei serem possíveis nesta desilusão a que chamamos Portugal. Por ora, contenho-me, porque o nojo e a revolta são ainda tão presentes que ofuscam a lucidez e a serenidade que certas coisas exigem absolutamente.”

E eu assino por baixo.

Kroniketas, sempre pela liberdade

Néctares de Baco (7) – As nossas sugestões

Tal como tínhamos prometido, andámos a dar uma volta pelas feiras de vinhos e escolhemos alguns vinhos que merecem a nossa preferência, quer pelo preço quer pela qualidade, no caso dos mais caros.
Como já referimos noutras ocasiões, comprar caro só porque parece bem é um erro crasso e tem sido esse o nosso critério. Há preços que são manifestamente exagerados, por isso não ultrapassamos os 15 euros. Nesta gama de preços, só compramos aqueles de que gostamos muito.
Também não conhecemos todos os vinhos, por isso só falamos daqueles que conhecemos. São 43, entre brancos, tintos e verdes-brancos. Podiam ser mais ou menos; são alguns daqueles que achamos que vale a pena comprar. Nem pretendemos fazer uma sugestão de garrafeira: a sugestão é nossa, a selecção é vossa.

Verdes
Deu-la-Deu, Alvarinho (B) 5,19 € Continente
Ponte de Lima, Loureiro (B) 2,49 € Feira Nova
Quinta de Azevedo (B) 2,79 € Jumbo

Douro
Duas Quintas (T) 6,89 € Jumbo
Planalto (B) 3,63 € Jumbo
Porca de Murça Reserva (B) 3,89 € Feira Nova
Sogrape Reserva (T) 9,25 € El Corte Inglés
Quinta do Cachão - Tinto Cão (T) 9,5 € El Corte Inglés

Trás-os-Montes
Bons Ares (T) 12,29 € Feira Nova

Dão
Casa de Santar Reserva (T) 8,98 € Jumbo
Quinta das Maias (T) 4,85 € Jumbo
Quinta de Cabriz, Colheita Seleccionada (T) 2,49 € Continente
Quinta de Saes (T) 3,94 € Continente
Sogrape – Reserva (T) 8,45 € El Corte Inglés

Bairrada/Beiras
Frei João (T) 1,99 € Continente
Luís Pato (T) 4,79 € Jumbo/Continente
Marquês de Marialva Reserva (T) 2,39 € Continente

Ribatejo
Padre Pedro (T) 3,79 € Jumbo
Casa Cadaval – Pinot Noir (T) 9,95 € El Corte Inglés

Estremadura
Quinta de Pancas Cabernet Sauvignon (T) 6,63 € Jumbo
Quinta de Pancas Chardonnay & Arinto (B) 5,95 € El Corte Inglés

Bucelas
Bucelas Caves Velhas (B) 3,69 € Continente
Bucelas Pingo Doce (B) 2,75 € Pingo Doce
Prova Régia, Arinto (B) 3, 46 € Jumbo

Terras do Sado
Adega de Pegões, Colheita Seleccionada (B) 2,95 € Pingo Doce
BSE (B) 3,15 € Pingo Doce
Catarina (B) 3,12 € Jumbo
Periquita (T) 3,37 € Jumbo

Alentejo
Anta da Serra (T) 3,29 € Jumbo
Aragonês (Carmim) (T) 4,22 € Jumbo
Aragonês (Esporão) (T) 8,98 € Jumbo
Encostas de Estremoz, Touriga Nacional (T) 4,35 € Continente
Encostas do Enxoé 7,25 € Jumbo
Marquês de Borba (T) 4,99 € Continente
Monsaraz (T) 2,44/2,45 € Jumbo/Feira Nova
Monte das Servas (T) 3,49 € Feira Nova
Monte Velho (T) 3,45 € Jumbo/Continente
Quatro Castas (Esporão) (T) 13,56 € Jumbo
Reguengos Garrafeira dos Sócios (T) 10,59 € Jumbo
Reguengos Reserva (T) 3,95 € Feira Nova
Sogrape Reserva (T) 8,19 € Jumbo
Trincadeira (Carmim) (T) 4,22 € Jumbo
Vinha da Defesa (T) 6,79 € Continente


Boas provas.

tuguinho e kroniketas, os diletantes preguiçosos

Ainda agora isto começou

Pelas notícias vindas a Público, há muitos contornos por desvendar na saída de Marcelo da TVI. E, pelos vistos, poderá não ficar por aqui, porque Miguel Sousa Tavares pode seguir-lhe o caminho.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quinta-feira, 7 de outubro de 2004

E se agora…

…nos lares portugueses começar a vigorar o princípio do contraditório? Já pensaram?

blogoberto, chico-esperto

Volta Marques Mendes

Tás perdoado!

Kroniketas, com saudades do “Ganda Nóia”

A censura de volta?

Se não era intenção do governo calar Marcelo Rebelo de Sousa, o resultado foi melhor que a encomenda. Só espero que agora, 30 anos depois do 25 de Abril, não apareça por aí uma polícia política a bater-nos à porta de madrugada e que não proíbam os ajuntamentos de mais de 3 pessoas na rua.

blogoberto, chico-esperto

Vancouver, EUA

Na Sic repetiram várias vezes (o que ainda é pior) a notícia acerca da erupção do vulcão do Monte Santa Helena, em Vancouver, EUA. O mais grave é que ninguém parece saber que:
1 – Vancouver é no Canadá, no estado da British Columbia.
2 – O Monte Santa Helena fica no estado de Washington, algures para o interior entre Seattle e Portland.

Será que lá na Sic não usam mapas?

Kroniketas, sempre kontra as asneiretas

Obrigado pela novidade

Então agora é oficial? Não havia armas de destruição maciça no Iraque? E quem é que não sabia disso? Afinal, quem é que tinha razão? Seriam aqueles que puseram em causa a legitimidade da guerra e foram apelidados de anti-americanos ou acusados de fazer o jogo dos terroristas? Onde está o mundo mais seguro que nos prometeram?
O que terão a dizer sobre isto os irredutíveis defensores da guerra com o pretexto das armas?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quarta-feira, 6 de outubro de 2004

O senhor tem licença de isqueiro?

Não sei se já se aperceberam do que está a acontecer. Do que subrepticiamente se está a tornar vulgar. Do que um governo não eleito que é o mais à direita desde 1974 está a fazer.
Primeiro foi o primitivismo beato de negar ao Borndiep a entrada em águas nacionais, quando o caso teria muito menos impacto se o barco atracasse e o controlo do cumprimento da lei fosse feito aí. E isto nada tem a ver com a opinião de cada um sobre a questão do aborto! Mas certos condicionalismos mentais perpetrados ao longo dos anos sobre certas mentes impedem que o bom senso conduza a bom porto certas situações.
Agora foi a saída de Marcelo Rebelo de Sousa das suas funções de comentarista da TVI. Não sendo da sua linha política, sempre ouvi os seus comentários e opiniões com interesse, e é muito gratificante ver um político com cérebro próprio. Agora digam-me: alguém acredita que Marcelo saiu por sua vontade e não houve pressões sobre o Barão para o pôr fora? Que Marcelo desistiu da luta e saiu a meio sem sequer responder ao ente partidário rastejante que o atacou? Há muitos e muitos anos que não via uma jogada deste tipo por parte dos governos, que atenta contra a liberdade de expressão de forma gritante.
Então agora um comentador para expressar uma opinião negativa sobre alguém ou alguma coisa é obrigado a ter logo ali um vate da opinião contrária para rebater as suas posições? Então já não nos podemos exprimir livremente? Ou será que tudo isto aconteceu porque faziam mossa no partido do governo (falamos no partido do governo oficial, o PPD/PSD) as críticas de Marcelo, membro do partido, antigo líder e certamente ainda com muitos adeptos das suas ideias dentro desse partido? E que não morre de amores por Santana Lopes? Nem por Paulo Portas?
E o que disse ele de tão grave? Simplesmente o que estava à vista de todos: se o governo diz que luta pela produtividade e pela redução na despesa pública, se as aulas ainda nem conseguiram começar a sério, que sentido tem inventar uma ponte no dia 4 de Outubro? Este ano calharam muitos feriados em fins-de-semana e isso reduziu o seu gozo efectivo? É verdade, mas não aconteceu isso já tantas vezes sem nos ter caído do céu a benesse de uma ponte extra?! O que houve de diferente agora? Apetecia a Pedrito gozar os últimos fulgores do sol algarvio? Ou quis acompanhar Cinha no seu ingresso na Quinta dos Animais, perdão, das celebridades?
Podia não gostar minimamente do governo de Durão Barroso, mas nem ele fez nada parecido com isto! E acabei de ver Marques Mendes na TV a perorar sobre o assunto e a dizer-se preocupado.
Eu também começo a ficar apreensivo. Não tarda muito os preservativos tornam a vender-se apenas na candonga, ter isqueiro exigirá a respectiva licença e um certo edifício na rua António Maria Cardoso não terá como destino ser um condomínio de luxo e albergará antes um organismo governamental que controlará as pulsões dos cidadãos, sejam elas religiosas, sexuais ou políticas. Onde é que eu já vi isto?

tuguinho, cínico preocupado

terça-feira, 5 de outubro de 2004

Futebolices - Começou a palhaçada

Para quem não sabe o que é o Sistema de que tanto se fala no futebol português, ele está bem e recomenda-se e apareceu em grande forma nesta jornada.
No estádio do Dragão tivemos uma das famosas decisões de arbitragem “à moda do Porto”, com a expulsão ridícula de Juninho Petrolina que reagiu contra a bolada que levou no chão e ainda levou uns calduços do Costinha e do Ricardo Costa. Como já tinha um cartão amarelo, depois de sofrer uma falta e levar uma bolada o jogador do Belenenses foi expulso por acumulação de cartões. Enquanto isso, Ricardo Costa, o prevaricador, que depois de cometer falta ainda chutou a bola contra o adversário que tinha deitado ao chão, ficou em campo sem sequer ver o cartão amarelo. Tudo normal. O Belenenses estava a incomodar demasiado no princípio do jogo e o Porto ainda não tinha ganho em casa, por isso nada como deixar o visitante a jogar com 10 logo aos 22 minutos.
Poucas horas depois, em Guimarães foi marcado um penalty de gargalhada contra o Benfica, que deu o empate ao Vitória.
Como na próxima jornada há um Benfica-Porto, era importante não deixar o Benfica fugir. Desta vez o Benfica ainda ganhou mas há que evitar que o Porto saia da Luz com 7 pontos de atraso. Por isso é só ficar à espera para ver o que se vai passar daqui em diante. Aliás, já tivemos uma amostra: a semana passada o Papa botou faladura e neste fim-de-semana já se fizeram sentir os efeitos.
Enfim, tudo está a regressar à normalidade.

Nota: o treinador do V. Guimarães, Manuel Machado, considerou “justa e correcta” a expulsão do seu jogador Marco Ferreira. Para que conste.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

segunda-feira, 4 de outubro de 2004

O Maratonista - Jornal de Notícias Discretas (II)

Celeste Cardona proposta por Bagão para Prémio Nobel
O Maratonista soube de fonte segura (um furo "hertziano" com 200 metros que nunca seca) que Bagão Félix se prepara para propor a ex-ministra e actual administradora da CGD Celeste Cardona para o Prémio Nobel. Instado por este pasquim a comentar a situação, Bagão afirmou que sim, que era verdade, que Celeste Cardona ia ser reformada da CGD com as novas reformas regulamentares para quem prestou menos de 3 meses de serviço (30.000 euros/mês) e que ia ser proposta para o Prémio Nobel, porque de uma posição à outra não havia grande diferença, sendo que no segundo caso quem paga é a Fundação Nobel. Quando o inquirimos se não achava a situação obscena respondeu que não, que não era, porque Celeste nunca tiraria o tailleur nem cruzaria as pernas ao estilo do Instinto Fatal.
Neste momento Bagão reúne-se afanosamente com o seu staff para decidir a que Prémio Nobel vão candidatar Cardona. A escolha está difícil, porque o da Economia está fora de causa, o da Literatura exige que o candidato saiba escrever e os de carácter científico estão para além das capacidades da candidata. Cresce a hipótese de propor ao comité Nobel uma nova categoria, denominada Nobel do Tacho que, embora à primeira vista pareça, não tem nada a ver com gastronomia.

Mateus Bichoso, repórter horroroso

A reforma do Bagão

Bagão Felix quer pôr as pessoas a reformarem-se com 65 anos mas, pelo sim pelo não, passou à situação de REFORMA em 01-07-2004 com apenas 56 (cinquenta e seis) aninhos!

Assim está bem.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 3 de outubro de 2004

O Maratonista - Jornal de Notícias Discretas (I)

Nobre Guedes vai ampliar a sua moradia no parque "protegido" da Arrábida!
Depois do notável achado semi-subterrâneo que transformou um cortelho de 40 m2 numa casa agrícola de 170 m2, ao que parece foram agora descobertos os caboucos de uma aldeia do neolítico no terreno do ministro, o que lhe permite ampliar a habitação para mais de 1000 m2, para já.
À hora de publicação desta notícia prosseguiam os esforços para detecção de uma possível metrópole atlante, que permitisse não só o alargamento da área construída como a sua progressão em altura, acto permitido pelo zigurat de 100 metros de elevação que, todos o sabemos, engalanava todas as cidades da extinta Atlântida.

Mateus Bichoso, repórter horroroso

Mais do mesmo... - Parte 2

Agora posso escolher entre Sócrates e Santana!
Por que é que me sentirei cada vez mais obrigado a escolher entre duas coisas cada vez mais iguais? Entre quem deseja a cadeira do poder por ele mesmo e não para fazer avançar o país? Não devíamos mudar qualquer coisa? Os políticos, por exemplo.

tuguinho, cínico encartado

Mais do mesmo...

Série fantástico-policial na Sic Radical, este sábado: um actor diz para outro que foi alvo de experiências com energia nuclear, que foi mesmo colocado no "ground zero".
Tradução na legenda: "cave"! Pensando bem, até seria um bom sítio para enfiar o tradutor e fazê-lo comer e beber dos seus parcos conhecimentos de inglês. Aposto que morreria de fome em poucos dias...

tuginho, cínico encartado

quinta-feira, 30 de setembro de 2004

O mundo mais seguro

Notícia na TSF Online: Perto de 40 crianças mortas em triplo atentado com viaturas armadilhadas, em Bagdad.
Era este o mundo mais seguro que o presidente mais bronco da história nos ia dar com a guerra do Iraque? Ele não disse foi quando.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

A dança dos Profs (2)

Então se o problema foi resolvido com um novo programa que corre em meia-hora, por que raio é que demoraram tanto tempo a chegar a essa solução?
E será que a Compta não deveria indemnizar o Estado? Ou será que o facto de Couto dos Santos e Rui Machete lá estarem tem alguma coisa a ver com o silêncio que se faz em torno da empresa? Fica tudo assim e não se fala mais nisso? Quanto custou ao país esta barraca? Ninguém é responsabilizado?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

A Dança dos Profs

A comparação feita pelo responsável informático pela resolução do problema das colocações entre esta situação e a dança das cadeiras foi deveras infeliz: é que nessa dança fica sempre alguém sem cadeira...

blogoberto, chico-esperto (por não ter ido para professor)

quarta-feira, 29 de setembro de 2004

Última hora

É oficial. Em Novembro, vai sair o DVD do Gato Fedorento.
A não perder, obviamente. Um fartote!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

terça-feira, 28 de setembro de 2004

Nódoas negras

Jornalistas e repórteres continuam a ir de encontro às notícias. Esperemos que a pancada não seja tão forte que eles não consigam ir ao encontro das ideias!

blogoberto, chico-esperto

segunda-feira, 27 de setembro de 2004

Aviso à Navegação

Repararão certamente que, neste momento, existem acessos a dois diferentes sistemas de suporte aos comentários. O motivo tem a ver com a mudança para um novo sistema, que está à experiência até 4ª feira, 29 de Setembro. Nesta data desactivaremos o sistema antigo se o novo funcionar bem, ou seja, somos mais precavidos que o ministério da educação!
Deste modo os comentários antigos vão desaparecer, por isso usem desde já o novo sistema (da Haloscan).
Obrigado

Idálio Saroto, provedor deste blog

domingo, 26 de setembro de 2004

São Marx nos valha!...

Com alunos a entrarem com negativa nas universidades, acabamos por ter professores universitários como o Titta… Não me tinha apercebido que isso já acontece há tanto tempo que alguns desses exemplares já tinham chegado ao mercado de trabalho.
Saiba, meu caro, que instrução não é equivalente a educação, porque senão possui-la-ia. Conheço professores universitários que são umas bestas (não, não se coloque em bicos de pés, porque não estou a falar de si – não tenho o desprazer de o conhecer) e analfabetos extremamente educados. Também constatei que conheceu Galileu de perto e que obviamente as suas ideias provêm algures da mesma época. Deve também provir daí a sua obsessão por livros, mas olhe que uma cultura livresca não é tudo e citações, por muito eruditas que sejam, não passam disso: é o pensamento dos outros. Por isso tente, pelo menos por uma vez, pôr os seus neurónios a funcionar e pensar por si. Vai ver que gosta e até é agradável. É que assim sou levado a pensar que o seu QI está ao nível do dos papagaios e araras, que são óptimos a repetir o que ouvem mas cujo raciocínio próprio deixa muito a desejar…
Estou contente! – é aquela sensação de felicidade e relaxamento que surge depois de um objectivo alcançado: passámos a ter o nosso cromo privativo, o nosso emplastro dos blogs! Andam blogs anos e anos (poucos, que isto é tudo recente) a porfiar denodadamente (Titta, vá lá buscar o “diccionário” que eu não tenho paciência para lhe explicar) para obter um, e a nós cai-nos o Titta do céu com auréola e tudo no meio da sopa (que estilo da treta, não é, cheio de parêntesis pelo meio da frase; mas veja que o ponto de exclamação está no sítio certo, aqui)! Porém, tudo o que é demais farta e como este blog se chama “Krónikas Tugas” e não “Krónikas Tittas”, esta discussão vai ter um ponto final aqui. Todavia, como não somos rancorosos, haverá sempre um fardo de palha à sua espera quando que nos vier visitar.

tuguinho, cínico encartado