terça-feira, 21 de dezembro de 2004

Mais um chumbo

Desta vez foi Bruxelas a chumbar a intenção do governo de vender prédios para arrecadar receitas. Realmente, faz todo o sentido. Por causa do défice lança-se mão de todos os artifícios para obter receitas extraordinárias, o que é muito original. E quando não houver mais receitas extraordinárias, mais nada para vender, mais portagens para colocar, mais impostos para subir e ordenados para congelar? Vende-se o que falta aos espanhóis e o último a sair que feche a porta?
Para fazer tão difíceis operações é preciso irem buscar tantos crânios? Se eu lá estivesse podia fazer o mesmo sem precisar de perceber nada de economia. Assim, grande façanha.
Felizmente que ainda vai havendo quem ponha travão a estes dislates.

Kroniketas, sempre kontra as tretas