segunda-feira, 30 de maio de 2005

Os Caceteiros

Image hosted by Photobucket.com
Image hosted by Photobucket.com

Depois do que se pode ler acima, palavras para quê? É o retrato de um país atrasado, em que caciques sem outro mérito que aquele de o serem e padralhada sortida dominam ignorantes que têm gosto na sua existência. O défice não é um mero problema económico, procede dos atavismos dos tugas, radica profundamente no país que somos, nos sindicatos que em vez de defenderem os trabalhadores defendem programas de partidos, dos empresários que não pagam ordenados mas compram Ferraris, dos construtores civis que ganham o ordenado mínimo, dos políticos que se vão corrompendo e que corrompem e por aí fora.
O mínimo que se pediria a uma pessoa decente ou a alguém que é dirigente máximo de um clube, mesmo sendo uma agremiação de província, seria a condenação dos actos realizados pelos energúmenos da sua claque, mas não – esteve ao nível que nos habituou desde sempre e que, aliás, mantém na sua vida privada…
Quanto à padralhada neandertalesca, como ficaram sem a história dos comunistas que comiam criancinhas ao pequeno-almoço, tiveram de inventar outras do mesmo calibre. Mas será que alguém capaz de pensar (ou seja, que tenha um cérebro com mais de dois neurónios activos) acredita ou segue esta linha de pensamento?
Como é possível dizer semelhantes alarvidades (esta é para aplicar aos dois casos) e olharem-se ao espelho no dia seguinte? Como é que alguém compactua no seu íntimo com estas coisas nojentas que foram capazes de dizer?
Colocado perante declarações deste tipo, chego a pensar se não seria melhor instituir algum tipo de processo eliminatório para tratar destes casos em definitivo e deixar o país mais arejado…

tuguinho, cínico que foi comprar uma carabina com mira telescópica ali ao armeiro mas volta já

sábado, 28 de maio de 2005

Let me show you the world in my eyes

Seguindo o garfiante costume de intitular posts com nomes de canções, também o fiz.
Calma, que a oferta não é geral - there are a few chosen ones!
(Esta merda do inglês não distinguir entre sexos ainda me causa problemas! É claro que quando digo "ones" é "umas"! Cambada de misóginos, os bifes.)

Valter Rego, sex symbol

sexta-feira, 27 de maio de 2005

Por falar em despesas...

...com as medidas governamentais anunciadas, de certeza irão aumentar.
Só espero que na próxima legislatura não vejamos um novo governo à espera de saber o valor do défice para nos impingir mais aumentos e sacrifícios. Tudo tem limites!
Se a economia espanhola cresce o que cresce com a crise, por que não havemos nós também de ver crescer a nossa? A menos que toda a nossa classe política seja composta por brugessos e aí teremos de a substituir.
Não temos espaço para recuar, mas espero que o avanço não seja também como o do outro, que estava à beira do abismo mas entretanto dera um passo em frente...

tuguinho, cínico ensimesmado (e céptico licenciado)

quarta-feira, 25 de maio de 2005

Campeão em férias

Aqui o Kroniketas vai de fim-de-semana prolongado e regressa a tempo de ver a final da Taça.
Deixo as despesas a cargo do Tuguinho mai-los outros.

segunda-feira, 23 de maio de 2005

Lampiões rima com Campeões

Enquanto uns mostravam a todo o país a sua grandeza, a escumalha mostrava ao país a sua pequenez na Av. dos Aliados. Eles e os pulhas mafiosos que manobram na retaguarda.

blogoberto, chico-esperto encarnado

domingo, 22 de maio de 2005

Campeões!!!

Image hosted by Photobucket.comImage hosted by Photobucket.comImage hosted by Photobucket.com
Foi um título bem transpirado mas, como se viu, merecido: uns perderam o último jogo em casa, os outros, além de empatarem em casa, mostraram que não mereciam ser campeões - o que a claque nojenta do FCP fez na Avenida dos Aliados mostra bem a merda de que são feitos! Saber perder é tão importante como saber ganhar. O Freud explicava bem este tipo de complexos de inferioridade...

tuguinho e Kroniketas, os diletantes encarnados

Estamos em estágio

..........................................

sábado, 21 de maio de 2005

Nova Aurora

Será o amanhecer de 2ª feira assim?

Image hosted by Photobucket.com
William Turner - A manhã após o Dilúvio

tuguinho, cínico ao rubro

sexta-feira, 20 de maio de 2005

O milagre dos pães e dos peixes - versão moderna

Conhecem aquele milagre da multiplicação dos pães e dos peixes de Jesus Cristo? Com 7 pães e 7 peixes alimentou milhares de pessoas.
Pois agora temos o milagre do Ricardo: com um único frango alimentou 6 milhões de benfiquistas!

blogoberto, chico-esperto

quinta-feira, 19 de maio de 2005

Eu sabia que era genial

Afinal, aquela ideia que lancei aqui para acabar com os fogos florestais em Portugal é igual à do George W. Bush. Ora aí está. Eu não tinha dito que era uma ideia genial?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Onde é que eu já vi este filme?

Pois é, o Peseiro não viu as cassetes dos jogos do Benfica com o CSKA...

tuguinho, cínico encarnado (e que hoje até estava um pouquito esverdeado...)

quarta-feira, 18 de maio de 2005

Final da Taça Uefa

Desta vez a culpa não foi do Benfica. Só se fosse por também jogar de encarnado...

blogoberto, chico-esperto

terça-feira, 17 de maio de 2005

Desculpem lá qualquer coisinha...

Eu sei que ultimamente temos escrito demasiado sobre futebol, mas pedia a vossa compreensão pelo facto. É que já não somos campeões desde 94. E ninguém nos compreende melhor que a lagartagem, que esteve 18 anos sem ganhar népia.
Por isso, desculpem lá qualquer coisinha. Nós voltamos ao normal lá para a próxima segunda-feira.

tuguinho, cínico encarnado

sábado, 14 de maio de 2005

Vale e Azevedo expulso

A assembleia-geral do Benfica, onde estive presente, deliberou esta noite expulsar João Vale e Azevedo de sócio do clube. Finalmente vemo-nos livres do gatuno que dividiu os benfiquistas e durante 3 anos arrastou o nome do clube pela lama.

Quanto aos palhaços dos seus capangas, que gostam mais dele que do Benfica, podem seguir-lhe o caminho: desapareçam e vão fazer inferno para outro lado, porque aqui não fazem falta nenhuma.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Frase do dia no Vaticano

“Já não há ovelhas tresmalhadas no rebanho do Senhor porque agora temos um Pastor alemão”

blogoberto, chico-esperto

Faz hoje 11 anos

A 14 de Maio de 1994 o Benfica foi ao Estádio de Alvalade ganhar por 6-3 e decidiu o campeonato a seu favor. Daí para cá o Benfica nunca mais foi campeão.
Na mesma data 11 anos depois joga-se o Benfica-Sporting que deverá decidir este campeonato. Espero que a coincidência seja de bom prenúncio para as minhas cores

Kroniketas, à espera dum milagre

quinta-feira, 12 de maio de 2005

Publicidade gratuita

Não sei se já leram, mas tenho um post lá mais para baixo que é muito interessante... pelo menos para os benfiquistas.

Kroniketas, amigo dos bombeiros e das agulhetas

Parem lá de rir que o assunto agora é sério...

Bendito Santana e seus acólitos! Se não fossem as confusões que arranjaram e nos continuam a fornecer assunto para posts, não sei o que seria de nós! Para quando uma estátua colectiva?
Bem hajam

Idálio Saroto, provedor e tudo

Eu é que tenho razão

Eu insisto na minha ideia anterior de abater todas as árvores do país e construir urbanizações no seu lugar. Aliás, nem sei como é que ainda ninguém se lembrou disto. Acho uma ideia genial! Vou propô-la ao governo e com sorte ainda chego a ministro! E quem sabe mando construir uma urbanização para mim!
Digam lá se não é genial!

Kroniketas, candidato a político

Não passou tudo de uma grande confusão

Nobre Guedes, exemplar urbano por excelência, confundiu a Arrábida com Benavente e causou inadvertidamente toda esta confusão arborícola. Um Pinheiro falou-lhe de sobreiros que tinham de ser arrancados para colocar relva de interesse público num empreendimento privado e isso confundiria qualquer um! Até o da Agricultura se confundiu e também concordou!!
Vá, desfaçam lá os enganos e mandem os senhores em paz, que eles têm mais que fazer do que passarem o tempo em tribunais a aturar-vos.
É por estas e por outras que este país não avança (ver nossas sugestões em posts anteriores)!

tuguinho, cínico de interesse público

quarta-feira, 11 de maio de 2005

As parvoíces do costume no ciberespaço

Notícia no site Maisfutebol:

O Benfica solicitou ao Boavista todos os bilhetes destinados ao público para o jogo do próximo dia 22, no estádio do Bessa, «assegurando desde logo o pagamento respectivo, que efectuou».

Primeiro comentário ao artigo no site:
“Desta vez não conseguiram ir jogar ao Algarve. Mas talvez ainda consigam um acordo de compra de 11 jogadores para a próxima época e mais a cedência de outros 11 por empréstimo mas com a condição de não jogaram contra o cedente. Ao que chega o desespero!”

Chama-se a isto um comentário imbecil. Não tem nada a ver com a notícia e limita-se a dizer um chorrilho de alarvidades sem sentido. É assim que são felizes aqueles que gostam de marrar no encarnado. Deve ser por causa da tradição taurina do país.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Proposta para acabar com os incêndios

Abatam-se todas as árvores existentes no país e construam-se no seu lugar grandes urbanizações e campos de golfe. Assim ganham todos: os patos bravos, os governantes corruptos, os autarcas vendidos, os espanhóis que compraram os campos, os bombeiros que têm menos trabalho e a economia nacional. Enfim, ganha você e ganha o país.

Não há ninguém que “os” tenha no sítio para acabar duma vez por todas com esta pouca-vergonha e meter estes filhos da puta na cadeia?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Os Cães Raivosos

Independentemente do que possa acontecer até ao fim do campeonato de futebol, as últimas semanas deixaram claro (não era preciso, mas confirmou-se) que em Portugal há duas espécies de clubes e, portanto, duas espécies de adeptos: os do Benfica e os outros. Os “outros” são os anti-benfiquistas primários e fundamentalistas, cujo único objectivo é deitar abaixo e denegrir a imagem do Benfica.
Para atacar o Benfica vale tudo: desde pôr em causa todos os campeonatos ganhos pelo Benfica ao longo da história, até afirmar que este está encomendado desde a primeira jornada. É certo que este ano tem havido erros de arbitragem de palmatória com uma frequência inusitada, e o Benfica tem beneficiado de alguns deles. Mas daí a inferir-se, como tem sido voz corrente da parte dos “outros”, que o Benfica está a ser levado ao colo, domina a arbitragem e que o campeonato está encomendado vai uma grande distância. Aliás, viu-se este fim-de-semana como foi. O árbitro Pedro Proença, tido como sócio do Benfica, arbitrou o jogo em Penafiel e não marcou nenhum dos 3 penalties (repito, 3) cometidos sobre os jogadores “encarnados”. Na primeira parte, uma rasteira sobre o Geovanni; na segunda, uma gravata sobre o Mantorras e um empurrão sobre o Simão (o árbitro Jorge Coroado escreveu no jornal “O jogo” e repetiu na TVI que a carga sobre a omoplata é legal; esta para mim é nova, porque eu pensava que a carga de ombro é que era legal; não sabia que agora também havia carga de omoplata!). Então em que ficamos? Não é o árbitro um benfiquista confesso? Não está o Benfica a ser levado ao colo? Juntem-se estes dois ingredientes e temos… nenhum penalty assinalado. Não bate certo, pois não? Não seria tão fácil marcar um daqueles penalties? Então porque não o fez? Por não ter visto? Certamente que não, mas porque a campanha anti-Benfica atingiu tais dimensões que, se o árbitro se atrevesse a marcar um penalty ou a expulsar um jogador do Penafiel caía-lhe toda a gente em cima, acusando-o de estar feito com o clube do seu coração. Assim, o pobre homem teve de mostrar que era capaz de fazer uma arbitragem isenta e para isso só mesmo prejudicando o Benfica. É simples, não é?
Se o Benfica ganhar este campeonato, vai haver muitos cães raivosos a vociferar contra a falta de verdade desportiva que levou a esse resultado. Há quem tenha o desplante de dizer num programa de rádio que o Benfica sempre foi beneficiado pelas arbitragens (mas desde quando? Desde que o futebol existe? Desde que há campeonatos? Desde a implantação da República? Desde o Estado Novo?), e que grande parte dos campeonatos que ganhámos foi com ajudas externas. Então eu pergunto: todos os campeonatos ganhos pelos outros foram limpos? A verdade desportiva tem estado sempre defendida? Já ninguém se lembra do que se passou nos últimos 10 anos? De como foram ganhos os campeonatos do penta? Da viagem do árbitro Carlos Calheiros ao Brasil paga pelo Porto? Dos quinhentinhos? Do único guarda-redes (Vítor Baía) que defende com as mãos fora da área? Do único clube que marcou um penalty com um foguete atirado para dentro da baliza (Porto-Farense)? Do único clube cujos jogadores fizeram um árbitro correr 100 metros pelo campo à frente deles (José Pratas num Benfica-Porto para a Supertaça)? E dos 17 penalties do Jardel no Sporting? E dos penalties forjados na Luz pelo Jardel e pelo Silva (Sporting outra vez)?
Agora finalmente começa a destapar-se a ponta do véu e a perceber-se as manobras que levaram ao maior embuste da história do futebol português, o penta-campeonato do Porto. Começa-se a conhecer os métodos utilizados, que aliás o jornalista Marinho Neves já tinha denunciado no seu livro “Golpe de estádio”. Ainda não tinham era vindo a público…
Independentemente da justiça ou não com que o Benfica possa ganhar o campeonato (se o ganhar) e dos benefícios arbitrais que tenha tido, o que se tem visto é uma campanha infame contra o Benfica vinda de todos os quadrantes, porque os cães raivosos não suportam a ideia de que o Benfica possa voltar a ganhar. O que eles queriam era que o Benfica desaparecesse ou, no mínimo, que fosse para a 2ª divisão por incumprimento fiscal. (Em relação a este assunto há um pormenor curioso, é que parece que o Porto e o Sporting estão em falta relativamente a 1996 ou 97. Como dizia o macaco no programa do Jô Soares, cadê os outros? Mas perante as falcatruas praticadas pelo FCP, a esse respeito só tenho a dizer que preferia que o meu clube descesse de divisão por dever ao fisco do que por ganhar campeonatos à custa de corrupção). Por isso, de cada vez que o Benfica levanta a cabeça e parece querer ressurgir, lá vêm as línguas viperinas acusar-nos de todas as malfeitorias possíveis e imaginárias, dizendo que somos sempre beneficiados. Mesmo quando não há resultados palpáveis.
Também foi dito no mesmo programa de rádio que o futebol português é feito de trapaça. Plenamente de acordo. Então, para saber onde estão os trapaceiros é só saber quem têm sido os beneficiários da trapaça. Será o clube que em 10 anos tudo o que conseguiu foi ganhar 2 Taças de Portugal? A esta gente só interessa uma coisa: dizer mal do Benfica, seja por que razão for ou, principalmente, por razão nenhuma. Só por ser o Benfica.
Neste capítulo tem especial destaque um comentador televisivo, de seu nome Dias Ferreira, conhecido sportinguista que pauta os seus comentários por um ódio visceral ao clube da águia, chegando até a ficar vermelho (que ironia) com tanta exaltação que o Benfica lhe provoca. A propósito do jogo com o Estoril no Algarve, o homem quase teve um ataque de raiva, tamanha era a cólera que dele se apossou por causa do seu ódio de estimação. Também ele só se manifesta de forma colérica contra os supostos benefícios que ele imagina que o Benfica tem, mesmo que no fim o campeão seja o Porto. Isto aconteceu no ano do “penta”, quando à 4ª jornada o Benfica ia à frente e já o homem estava como um cão raivoso a lançar o seu ódio sobre o Benfica por causa dos prejuízos que o Sporting sofria nessa altura, a benefício, como é óbvio, do Benfica. No fim o Porto fez o “penta” (ultrapassando o Sporting que era o único que tinha ganho 4 campeonatos seguidos), o Benfica foi 3º e o Sporting 4º, mas aí eles calaram-se porque o Benfica já não fazia mossa e eles, claro, preferem qualquer coisa a que o Benfica seja campeão. Aliás, o próprio Dias Ferreira já declarou no “Dia seguinte”, na Sic Notícias, que duas vezes por ano é portista. Nós já sabíamos. Às vezes devia era pôr um açaimo para não morder!
Outra patranha que com frequência nos tentam impingir é chamar ao Benfica o “clube do regime” associando as glórias passadas do Benfica ao regime de Salazar. Claro que não vale a pena perder tempo a desmontar argumentação tão tacanha, na maior parte das vezes vinda de ignorantes que não sabem do que falam e falam do que não sabem e que, muitos deles, nem teriam ainda nascido quando Salazar morreu, e provavelmente nem sabem quem foi o homem, o que fez, que papel teve em Portugal e o que é que o futebol tinha (se é que tinha alguma coisa) a ver com ele. A ignorância e a estupidez são tamanhas que se vai ao ponto de dizer que ao pé dos actuais dirigentes da Liga de Clubes e da Comissão de Arbitragem o Salazar era um aprendiz. Uma afirmação destas só pode vir dum imbecil, pelo que nem vale a pena perder tempo a explicar-lhe que o Salazar não foi jogador, não foi árbitro nem dirigente da Comissão de Arbitragem, não marcou nenhum golo nem assinalou nenhum penalty a favor do Benfica. Quando a ignorância se torna arrogante, é preferível deixá-la a pastar na própria estupidez. Apenas lhes aconselharia verem os vídeos dos jogos do Benfica nos anos 60 para verem como jogava o Eusébio, o Simões, o Coluna, o José Augusto, o Águas, o Torres, e perceberem como é que marcavam tantos golos e pediam meças às melhores equipas da Europa. À falta de melhor argumentação para denegrir a imagem do Benfica, dizem estas enormidades sem terem qualquer noção do ridículo em que caem. Como dizia Jesus Cristo, abençoados os pobres de espírito.
Também não vale a pena explicar que, se o Benfica era o clube do regime e mandava em tudo, não se compreende como é que teve de jogar em Setúbal para a Taça de Portugal no dia seguinte à vitória da equipa principal na Taça dos Campeões Europeus, em Berna. Assim sendo, a “equipa do regime”, que estava em viagem de regresso a Portugal, teve que apresentar as reservas e foi eliminada da prova. Por causa duma decisão federativa…
Claro que no meio de todos os paus mandados que gostam de funcionar como marionetas nas mãos do mestre, também há sempre quem goste de repetir até à náusea as baboseiras e tonterias que o seu patrono inspirador vomita, por maiores idiotices que sejam. Uma das mais recorrentes é o famigerado “Estádio de Oeiras”, uma das muitas aleivosias em que Pinto da Costa é especialista e que alguns capachos alcunham de “ironia”, utilizada para designar o Estádio Nacional, habitual palco da final da Taça de Portugal. O mais caricato é que habitantes de Lisboa se prestem ao ridículo de repetir a patetice. Qualquer lisboeta deveria saber que o Estádio Nacional é na Cruz Quebrada, e que dali a Oeiras distam cerca de 6 km, e pelo meio ainda há Caxias e Paço d’Arcos. Portanto, ou é burro ou ignorante. E já agora, não lhe fazia mal ficar a saber que o Estádio Municipal de Oeiras, com esse nome, fica no Parque dos Poetas, junto ao Oeiras Parque, esse sim em Oeiras. Mas há quem goste de funcionar como sabujo… Bom proveito lhe faça.
Quanto aos outros cães raivosos que há por aí, o que mais lhes atiça a raiva é o facto de o Benfica ser claramente o único clube em Portugal que arrasta multidões e enche todos os estádios onde se desloca (como se viu em Vila do Conde, Penafiel e Algarve), o que leva os adversários a querer jogar em campos maiores para fazerem a receita da época. Mais nenhum clube consegue isto. Se isto é assim com o Benfica a perder, como seria com o Benfica a ganhar? A romaria que vi ao estádio do Algarve, ao longo da Via do Infante, foi uma coisa a que nunca tinha assistido, e conheço bem aquela via, pois circulo lá todos os verões. O Benfica é o abono de família de todos os clubes pequenos do campeonato, que fazem a sua maior receita quando recebem o Benfica. Todos eles deviam rezar para que o Benfica fosse campeão, pois assim teriam sempre os seus estádios cheios quando o Benfica lá fosse. Assim sendo, como se compreende que tanta gente odeie o Benfica e queira deitar-nos abaixo?
Pois eu gostava era que os benfiquistas dessem uma resposta a todos aqueles que só destilam o seu ódio contra o nosso clube: deviam deixar de ir ver os jogos do Benfica fora e encher sempre o estádio da Luz. Se todos nos querem mal, então não lhes vamos encher os cofres e deixemos-lhes os estádios às moscas. Talvez assim percebessem a falta que o Benfica faz.

Kroniketas, sempre kontra as tretas e os cães raivosos que por aí pululam

O Paraíso na Terra!

E que tal transformar todo o país num gigantesco campo de golfe?
Já falta pouco...

tuguinho, cínico no green

Abaixo os sobreiros, vivam as urbanizações!

segunda-feira, 9 de maio de 2005

Caro Tuguinho, é mais grave que isso

O Benfica é uma caricatura de equipa. Qualquer equipa com um mínimo de personalidade, com 6 pontos de avanço a 7 jornadas do fim tinha liquidado a concorrência em dois tempos. Mas não: confirmando a sua tendência para o suicídio, no momento em que tinha tudo a seu favor para fazer um fim de campeonato em festa e aproveitar a “onda vermelha” que o presidente pediu e que os benfiquistas, como sempre tão generosamente, lhe ofereceram, fazendo com que todos os jogos fossem disputados “em casa”, tais as falanges de apoio que lhe proporcionaram (em Vila do Conde, Algarve e Penafiel a maioria de benfiquistas nas bancadas era esmagadora), a equipa em vez de se atirar para cima dos adversários e resolver os jogos como lhe competia entregou-se a uma modorra inconsequente à espera que o tempo passasse, como se contasse que a vitória lhe caísse do céu, esquecendo-se que os jogos têm 90 minutos e têm que se começar a ganhar logo no 1º.
Em nenhum dos jogos deste ciclo decisivo o Benfica jogou com um ritmo e qualidade aceitáveis durante os 90 minutos (também, se não o fez durante toda a época, porque havia de fazer agora?). Em Vila do Conde a primeira parte não existiu. Na 2ª parte, quando acordaram e perceberam que o jogo era para ganhar, veio ao de cima a habitual ineficácia nos lances de bola parada: cada canto ou cada livre lateral é marcado com uma displicência e uma incompetência inqualificáveis numa equipa profissional. Nos jogos daí para cá tenho reparado neste fenómeno: as bolas cruzadas de canto e livre vão parar invariavelmente à cabeça do primeiro defesa que está no caminho. Não há distribuição de jogadores na grande área pelas posições-chave (1º poste, 2º poste), não há jogadas estudadas de modo a desequilibrar a defesa contrária, é tudo ao molho e fé em Deus, e pode ser que ao fim de 20 livres um deles vá parar a um dos nossos e, com sorte, até pode ser que ele acerte com a baliza. Aconteceu contra o Estoril, mas estávamos em superioridade numérica, pelo que acabaram por aparecer brechas na defesa. Voltou a acontecer com o Penafiel: em lances de bola parada, que me lembre, só duas vezes o Benfica rematou… para fora.
Também não se vê ninguém a tentar aproveitar as bolas devolvidas para a entrada da área, porque não está lá ninguém. A maioria dos cantos a nosso favor resulta muitas vezes em perigosos contra-ataques dos adversários. Já tinha acontecido na 1ª volta com o Rio Ave, em pleno estádio da Luz, no 3º golo que apanhou a equipa completamente desorganizada. Mais grave, em Vila do Conde sofremos o golo da derrota no último minuto num contra-ataque igualzinho a esse da 1ª volta. Ou seja, em meio campeonato ninguém aprendeu nada: era preciso ganhar o jogo, mas era mais importante não o perder. O que aconteceu foi que toda a gente estava lá à frente a fazer não se sabe o quê e quando o Rio Ave foi por ali fora ninguém estava a defender onde devia. Como sempre, o único que tentou salvar o desastre foi o Petit, que tentou tapar o buraco dos defesas-centrais, que nunca estão no sítio certo. Ou seja, a conclusão a tirar desta inoperância atacante e do desastre defensivo é que ninguém sabe o que anda a fazer em campo. A defesa não se sabe posicionar (são incontáveis os golos sofridos à entrada da pequena área com os defesas fora do seu lugar, no que aliás o Luisão é um modelo…), o ataque não tem jogadas estudadas, não há trabalho de casa que se veja. Dezenas de vezes já me perguntei esta época: o que é que estes tipos andam a fazer durante a semana? Não é para essas coisas que serve um treinador? Para tornar os jogadores melhores do que eles são? Para aproveitar ao máximo todas as suas potencialidades?
Nada disso se vê no Benfica. Ao longo da época a equipa não melhora, pelo contrário, parece que vai sempre piorando. E quando por vezes há uns assomos de melhoria, logo volta à mediocridade habitual, incapaz de manter um nível de jogo decente e sem fazer por merecer qualquer tipo de apoio. Felizmente que os bilhetes para o “derby” se esgotaram antes deste fim-de-semana. Caso contrário, será que os benfiquistas ainda acreditariam o suficiente para ir ver o jogo com o Sporting?
É por estas e por outras que acabei por não alinhar na onda dos lugares cativos a preços baratos para os últimos 4 jogos em casa. É simples: para ver espectáculos medíocres e estar-me a aborrecer, prefiro fazê-lo em casa, comodamente instalado no sofá, ou em companhia de amigos e com um bom prato e um bom vinho. E assim a SportTv sempre sai mais barata…
Com este panorama negro, ainda iremos ser campeões? Conseguiremos ganhar ao Sporting e ao Boavista? Pela capacidade da equipa não acredito, mas este ano tudo pode acontecer, como o Porto demonstrou hoje mesmo com o Moreirense, perdendo a hipótese de ficar a um ponto e aproveitar o facto de Benfica e Sporting se defrontarem na próxima semana. Mas o facto de ainda estarmos à frente, com uma equipa que é das que menos joga neste país, mostra bem como estão os outros…

Kroniketas, benfiquista desencantado

domingo, 8 de maio de 2005

Eu já tinha dito que era até ao fim…

Como se provou mais uma vez, este ano o campeonato vai ser ganho pelo menos mau.
Quanto ao Penafiel-Benfica, queria tecer algumas considerações:
1. O Benfica jogou muito mal e não merecia ganhar o jogo. Não se compreende a falta de empenho e de garra quando este resultado era mais um passo para o título. Há falta de mão na equipa, não se criam oportunidades de golo, mas o Trapattoni vem dizer no final que está tudo bem.
2. Estranhamente, uma “gravata peitoral” feita a Mantorras na área do Penafiel não mereceu as mesmas 30 repetições que a que o Ricardo Rocha tinha realizado num outro jogo, e que foi considerada um escândalo por não ter sido marcada grande penalidade.
3. Falando de grandes penalidades, foi só o papa do submundo falar sobre a arbitragem para que o que era penalti até agora tivesse deixado de o ser. E já voltou a tese da cabala contra o Porto – este tipo de jogadas chama-se contra-informação e só resulta porque há jornalistas que são capachos de certas pessoas.
4. O Benfica continua a depender apenas de si próprio – e acho que esse é o maior perigo…
E pronto, agora a ver vamos, como dizia o desfavorecido visual completo (vulgo “ceguinho”).

tuguinho, cínico ensimesmado

Um preso no Dubai

O cineasta português Ivo Ferreira foi preso no Dubai por consumo de haxixe. O governo está preocupado e pediu clemência. Muito bem, deve-se defender os nossos cidadãos no estrangeiro.
Só há uma coisa que não percebo: então o homem não sabia onde estava? Porque que raio é que havia de consumir haxixe num país árabe? Estava assim tão ansioso que não podia evitar? Não é já crescidinho para saber o que faz? Então que aguente as consequências.
Já os Beatles quando foram ao Japão tiveram problemas porque tinham droga na bagagem. Foram presos, pois claro.
Como dizia a minha avó, quem boa cama fizer nela se deitará.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

sábado, 7 de maio de 2005

Uma torrente de tosse

Porque será que em Portugal, antes do início de qualquer espectáculo de teatro ou cinema, metade da sala tem um ataque de tosse durante cinco minutos?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

sexta-feira, 6 de maio de 2005

3 a 10 anos???

Estes dois monstros que mataram a menina de 5 anos e a atiraram ao rio Douro, segundo a notícia que ouvi agora espancaram a menina e puseram-na numa banheira com água a ferver. A moldura penal para já é de 3 a 10 anos? Estamos a brincar?

E que tal prisão perpétua? Ou atirá-los do alto da ponte D. Luís com uma pedra atada aos pés? Esta espécie de gente (chamar-lhes "gente" é um eufemismo) merece viver e ir ser sustentada pelo Estado numa prisão? E depois saem por bom comportamento?

Kroniketas, indignado

quinta-feira, 5 de maio de 2005

Jorge Sampaio na estrada

O Presidente da República viajou no IC19 ontem de manhã. O que vale é que vamos tendo presidentes que se preocupam com os problemas reais das pessoas e não ficam sentados apenas no gabinete.
Pena é que o presidente não possa ter mais intervenção do que aquela que tem. Talvez os governos andassem mais na linha. Mesmo assim, Jorge Sampaio tem-se pautado por decisões sensatas. O tempo acaba sempre por lhe dar razão.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Pois é, Mourinho...

Não se pode ganhar sempre, e nem sempre os deuses estão atrás da porta. E às vezes faz bem provar do próprio remédio.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quarta-feira, 4 de maio de 2005

Não há almoços de borla

O que se está a passar em Timor Leste mostrou a verdadeira face da igreja católica no território. Fazendo-se valer da religiosidade da população (e da sua pouca instrução) e utilizando um pretexto esfarrapado - a passagem das aulas de religião e moral de obrigatórias a facultativas - a padralhada quer mandar no país e arroga-se o direito de depor governos legalmente eleitos e apoiados pela maioria da população. A faceta manipulativa de um clero que se julga dono das vidas das pessoas veio à luz de forma muito clara. Como Miguel Sousa Tavares afirmou um destes dias na TVI, se um caso semelhante tivesse ocorrido num país muçulmano estaríamos a falar agora de fundamentalismo! E é disso que se trata - os fundamentalismos, sejam de que natureza forem, possuem uma génese totalmente demagógica e, de boa fé ou hipocritamente, fazem-se valer da ignorância para despontar e florescer.
O fundamentalismo é a incapacidade absoluta de ver para além dos nossos próprios preconceitos e limitações, para julgar para além daquilo que a nossa civilização nos inculcou culturalmente, de tentar compreender os outros, por muito estranhos que nos pareçam.
No caso de Timor, faz agora a igreja arvorar o seu papel na libertação do território, que o teve e importante, como uma prerrogativa que lhes dá direito a ultrapassarem a lei. Senhores Padres, voltem para as vossas igrejas e ajudem o povo instruindo-o, e não controlando-o!
Como dizia o outro, não há almoços de borla...

tuguinho, cínico sem qualquer ilusão (quanto à igreja católica)

terça-feira, 3 de maio de 2005

Pensamento da semana

Cada vez que Dias da Cunha se queixa das arbitragens do Benfica, a seguir há um erro de arbitragem a beneficiar o Sporting. Já é azar...

blogoberto, chico-esperto

O pior é o que vem depois

Pois pois, mas o pior é que este presidente já não vai poder marcar o referendo, e o próximo marcará ou não...

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Confesso que esta não percebi...

Não percebi a pressa do PS em marcar o referendo sobre a discriminalização do aborto para o início do Verão! Qual é a pressa agora que não se possa esperar mais alguns meses e evitar o descalabro certo que era realizá-lo em Junho? Será que não se aprende com os erros passados? Será que anda ali mãozinha padreca do Toneca Guterres?
É que realizar o referendo nas datas mais próximas em que o Presidente podia marcá-lo era o mesmo que fazer ganhar o "não"! Ainda bem que o Sampaio teve o bom senso de não seguir as preferências do governo. E espero que este tenha agora o bom senso de propor uma moratória sobre os julgamentos para não termos mais cenas dignas do ultramontanismo mais empedernido e não termos de apanhar com profetas do moralismo nos telejornais da nossa infelicidade.

tuguinho, cínico mas sensato