quarta-feira, 3 de novembro de 2004

E continua a vergonha...

...dos julgamentos por casos de aborto. Este último, de uma jovem de 23 anos por ter abortado aos 17, é ainda mais escandaloso.
O mais curioso é que são os próprios tribunais que, um após outro, vão fazendo a sua própria justiça contra esta lei iníqua. Esta juíza Conceição Oliveira, que arrumou o caso tão depressa, é certamente incómoda no meio, como já se tinha verificado noutras ocasiões. Certamente não vai ganhar um lugar no céu.
Quem vai ganhar um lugar no céu é o enfermeiro que denunciou a jovem de 17 anos. Com certeza a moral católica sobrepôs-se ao dever de sigilo profissional. Mas que moral tem alguém que coloca nesta situação uma adolescente? Onde está o sentido de ajuda ao seu semelhante?

Kroniketas, sempre kontra as tretas