sábado, 30 de outubro de 2004

100% Design, 0% Usabilidade

Causa-me perplexidade o acto de aquirir um determinado bem apenas por este ter sido concebido por alguém específico ou por ser "um objecto de design", o que quer que isso seja. A menos que o objecto tenha préstimo como bibelot ou obra de arte, sempre pensei que seria a sua usabilidade a determinar o seu valor, mas muitas vezes não é isso que acontece. Antes de me chamarem grunho-que-devia-estar-guardado-no-sotão-junto-com-os outros-trastes ou saudosista-do-design-caquético, leiam até ao fim. Com estas afirmações não estou a pôr em causa a importância da forma e da busca de novas linhas para os objectos do nosso quotidiano (das chaleiras aos automóveis), mas apenas o design pelo design, que acaba por subverter o uso do próprio objecto. O que me interessa que a torradeira (isto é um exemplo imaginado) tenha sido idealizada pelo não-sei-quantos se ela, pela sua forma, me dificultar o acto de fazer torradas? O design pode ser arrojado mas nunca deve perverter a usabilidade da coisa, caso contrário estamos a distorcer a sua própria finalidade (do design). Por exigências de "modernidade" deitam-se fora modelos que eram quase perfeitos na sua simplicidade - alguém duvida que a forma encurvada do cabo de um guarda-chuva é muito mais utilizável do que os punhos modernaços do tipo cabo de espada? Mas isto é um exemplo soft. E que dizer daquelas cadeiras de linhas muito depuradas e de idêntica e elevada incomodidade? Há tantas coisas que se podem fazer com a forma básica de uma cadeira, será mesmo necessário torná-las incómodas apenas para serem "modernas"? A forma deve seguir a função e o caso da evolução automóvel é paradigmática (no geral) do que o design deve ser: quem fica indiferente às linhas de um carro desportivo ou à aerodinâmica dos denominados "espadas" dos anos 50?
Existem objectos lindos, peças de design bem pensado, que em nada afectam a usabilidade e muitas vezes até a valorizam. Mas não será isso, no fundo, que separa o bom do mau design? E comprar pelo nome, seja em relação ao design como a tantas outras coisas (os vinhos, p.e), não será o que diferencia os bimbos de quem tem bom gosto?

tuguinho, cínico encartado (e um autêntico objecto de design :-) )

P.S. - Eu sei que "usabilidade" é um anglicismo proveniente da área tecnológica (usability), mas expressa muito bem a capacidade/facilidade de utilização de algo e é facilmente derivável de usável/utilizável. Não sejamos puristas demais!