quinta-feira, 20 de outubro de 2005

Alê Cavaco, alê?

Está uma pessoa a assistir ao momento que mantinha todo o país em suspenso (pronto, o homem já falou, já está toda a gente satisfeita), à espera que aquilo acabe depressa para ir jantar, quando o homem desce as escadas em direcção à rua com os jornalistas a rodeá-lo e de repente, lá no alto, levanta-se um par de mãos e sai o grito fulminante: “Alê Cavaco, alê”!
Não acredito! Será que os imbecis das claques já chegaram às candidaturas presidenciais? Por este andar, durante a campanha ainda vamos ouvir cânticos como “Ninguém pára o Cavaco, olé ó”, “Força Cavaco, alê, lá lá lá lá lá”, “Glorioso, Cavaco Silva” ou “Só eu sei porque não fico em casa”.
Por favor, tirem-me deste filme!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

PS: Mas por que raio é que os jornalistas insistiram tanto nas perguntas sobre a dissolução da Assembleia da República? Não há nada mais interessante para perguntar a quem ainda nem sequer foi eleito?