quarta-feira, 7 de dezembro de 2005

Grande vitória




Esta noite o Benfica matou mais um borrego, ganhando pela primeira vez ao Manchester United (o clube mais rico do mundo) nas competições europeias e qualificando-se para a segunda fase da Liga dos Campeões, atirando os ingleses para fora da Europa.
Foi um jogo sofrido, com uma exibição adulta e segura duma equipa que soube superar as adversidades resultantes de ausências de jogadores importantes e dum golo caricato sofrido a frio. A reacção que levou à vitória foi notável e o espírito colectivo e de luta demonstrados fizeram esquecer os craques ausentes, mostrando que a equipa é sempre mais importante que as individualidades. Até o treinador acertou na táctica desta vez.
Esta vitória merece ser dedicada a todos os anti-benfiquistas primários e frustrados que vêm para os sites festejar os golos do adversário e fazer-nos o funeral aos 5 minutos de jogo; aos portistas que com a sua habitual arrogância andaram a anunciar que o Benfica ia envergonhar o país na Liga dos Campeões (afinal não fomos nós que ficámos em último lugar no grupo); e ao merdoso advogado do jogador Miguel, que tem um ódio de morte ao Benfica e que ontem à noite na SIC Notícias não teve coragem que dizer que estava contra o Benfica, limitando-se a dizer que o Manchester tem o Ronaldo e o Carlos Queirós, de quem ele é amigo. Tomem umas pastilhas Rennie que isso passa. E não mordam a língua porque a raiva pode matar.
Quanto a Cristiano Ronaldo, fez uma triste figura no Estádio da Luz e limitou-se a fazer palhaçadas e uns quantos números de circo mal sucedidos, terminando da pior forma com um gesto provocatório para o público. É melhor que cresça em vez de vir para o seu país fazer espalhafatos. Quanto ao dedo que mostrou ao público, bem o pode enfiar num sítio que eu cá sei...

Kroniketas, sempre kontra as tretas e orgulhoso do Benfica