quarta-feira, 14 de dezembro de 2005

Gang à solta

Parece que umas câmaras de vigilância filmaram os assassinos do agente da PSP num posto de combustível. Segundo o Público, já são conhecidas as identidades dos "heróis".
Agora, se forem apanhados, dava jeito que fosse numa barragem de estrada ou numa perseguição. Assim sempre havia justificação para a polícia atirar a matar e fazer picadinho deles. Caso contrário vai ter que ser o erário público a sustentá-los na cadeia e ainda se "arriscam" a ser postos em liberdade por bom comportamento. Estes crimes começam a parecer-se com os filmes americanos, mas só da parte dos criminosos. Era bom que também começassem a dar-lhes caça como nos filmes. Talvez começasse a haver uma "limpeza". Com gente desta só se perdem as que caem no chão.
O problema é que em Portugal os bandidos podem atirar a matar mas a polícia não pode. É mais fácil pôr a polícia a chatear os automobilistas que estacionam mal o carro do que a proteger-nos dos facínoras que assaltam bombas de gasolina e caixas multibanco e matam pessoas... que às vezes são os próprios polícias.
Se a polícia não se consegue defender, como pode defender a população?

Kroniketas, sempre kontra as tretas