quinta-feira, 20 de abril de 2006

Desligai, pecadores!

Só nos faltava esta. Fazendo jus à sua conhecida aversão ao progresso e à modernidade, um representante da igreja católica resolveu criar uma nova categoria de pecados: televisão, Internet e jornais em excesso.
Claro que já estou a ver os católicos mais empedernidos a desligarem os computadores, a deitarem os jornais para o lixo e a desistir dos canais por cabo. Claro que o acesso è informação é perigoso porque abre o espírito às pessoas e elas podem começar a pôr em causa os dogmas que lhes instilaram. Tal como durante a longa noite salazarista, o que convém à igreja é manter as pessoas na ignorância e no medo de que tudo o que façam possa fechar-lhes as portas do céu. E como a doutrina da igreja católica é baseada num Deus que não é protector mas antes castigador, há que incutir o medo do pecado para continuar a ter na mão os beatos e os pobres de espírito que acreditam em todas as patranhas que ouvem na igreja.
Só assim a igreja católica poderá continuar a fazer valer o seu poder, alimentando-se da ignorância dos seus fiéis. Para tal há que criar novas categorias de pecados, porque os tradicionais parece que já não chegam. Afinal, há cada vez mais divórcios e casos de adultério, o que quer dizer que o princípio afirmado na igreja do “até que a morte nos separe” está esgotado.
Portanto, façam favor: os católicos apostólicos romanos que estão a ler isto façam favor de benzer-se imediatamente, ir rezar 2 pais-nossos e 3 ave-marias e amanhã ir confessar-se ao padre. Nós, por aqui, vamos continuar a pecar muitas horas na Internet, na tv e nos jornais.
Felizmente não sou católico…

Kroniketas, ateu convicto