sábado, 11 de setembro de 2004

Nine Eleven

Não, ainda não é agora que vou dissertar sobre o terrorismo, qualquer que ele seja.
A hora é de recordar. O acto. As vítimas. O que parecia impossível.
Deixemos as análises para depois. Recordemos apenas o horror.
O telefonema último. O salto mortal. O silêncio.
Depois falamos do resto, agora só interessa recordar.
Em silêncio.

tuguinho, cínico a meia-haste