segunda-feira, 26 de julho de 2004

Ladrando às Chamas (24) - Os Filhos da Puta

Algumas noticias dos jornais:
Promoção livra juiz suspeito – O juiz suspeito de auxílio a Fátima Felgueiras foi promovido e escapa ao inquérito disciplinar.
É fácil quando se conhece as pessoas certas: foi-o com Fátima Felgueiras, que teve quem lhe soprasse aos ouvidos que estava a um passo da cela e foi-o também agora, para que o presumível culpado escapasse a um processo disciplinar do Conselho Superior de Magistratura. O problema resolve-se com uma promoção que o fez passar da alçada da magistratura judicial para a magistratura administrativa e fiscal – como os órgãos disciplinares são diferentes, qualquer processo disciplinar não será efectivo. Qual é a expressão que vos vem à memória? Pois, é essa.
Falta de meios agrava incêndio em Alqueva – O Ministro Figueiredo Lopes negou um helicóptero à região para apoiar o combate aos fogos.
E na semana passada arderam 5000 hectares, quando podiam ter sido incrivelmente menos se existissem meios aéreos lá sedeados. Um helicóptero, por exemplo. Tanto o governador civil como a protecção civil e os responsáveis dos bombeiros estavam de acordo com a necessidade. O ministro não. Ah! Já me ia esquecendo! Agora já vai passar a haver helicóptero.
E hoje lá foi Monchique, lá foi Arrábida… Mas isso eu já sabia.
Qual é a expressão que vos vem à memória? Pois, é essa.
Santana deixa câmara mais pobre – A autarquia tem menos património, o túnel do Marquês está suspenso e a requalificação do Parque Mayer vai custar 130 milhões.
E 80 milhões de euros de dívida em dois anos é obra! O João Soares só conseguiu uma dívida de 20 milhões e num maior período de tempo. E quer-me parecer que ainda deverão surgir mais umas contitas… Entretanto o malfadado túnel está parado – querem apostar que nunca mais ouviremos uma palavra sair da boca de Santana Lopes sobre o assunto? Entretanto todos os que têm de entrar em Lisboa vão sofrer as consequências daquela espécie de coito interrompido. E sabem quando é que vamos ver o Parque Mayer recuperado? Calma! “Nunca” é forte demais! Ainda acontecem milagres por aí – está certo que não têm passado de santinhas a chorar e não houve nada na área da construção, mas que diabo, há sempre a esperança! Que mal tinha um honesto e desconhecido arquitecto com um honesto e funcional projecto que servisse para aquilo que se queria? Talvez não desse tanto tempo de antena na TV, mas funcionava na mesma, por uma fracção do preço.
Qual é a expressão que vos vem à memória? Pois, é essa.

Isto já sem falarmos num ministro do ambiente com cargos em empresas ligadas ao sector. Não quer dizer que haja mal nisso intrinsecamente, mas não é um início encorajador…
A incompetência não possui ideologia. Há incompetentes em todos os quadrantes, o que torna mais perigosa a escolha de uma formação partidária em quem votar, sendo a incompetência tão abrangente. Isto não quer dizer que um governo tenha de possuir técnicos especializados como ministros. Ser ministro é um cargo político. Um ministro não tem de ser um especialista na área, mas deve abster-se de dizer bacoradas ou de as fazer; deve é ter uma equipa, essa sim, de especialistas que o apoiem e definam tecnicamente a política a implementar - não uma equipa de partidocratas, os famigerados boys (and girls).

Se eu der uma martelada num dedo, só me prejudico a mim. Por cada martelada que estes gajos dão, somos todos nós a ficar com os dedos inchados e roxos… Qual é a expressão que vos vem à memória? Pois, é essa: Filhos da Puta!

tuguinho, cínico chamuscado (pelas idiotices e vigarices dos poderes)