segunda-feira, 28 de novembro de 2005

O julgamento da praxe

Finalmente houve alguém que teve coragem para levar a tribunal os calões que andam a arrastar o cu pelas universidades anos a fio para infligir práticas de autêntica tortura nos caloiros. Depois da bronca de há uns anos em Mirandela, agora esta em Santarém. As notícias que aparecem acerca destas praxes violentas e degradantes são sempre reveladoras duma mentalidade imbecilóide por parte dos seus autores. Imagine-se que até há uma “comissão da praxe”!
Estes “veteranos”, que na maior parte dos casos não são mais que preguiçosos repetentes, divertem-se a enfiar a cara dos caloiros em bosta de vaca, pergunto eu, para quê? É uma necessidade? É uma forma de integração dos novos? Ou é apenas uma alarvidade reveladora da estupidez dos seus autores?
Segundo a notícia, os autores da brincadeira acabaram por chumbar o ano, o que é muito bem feito. Assim tornam-se ainda mais veteranos e têm mais um ano para praxar outros. Agora arriscam-se a uma pena que pode ir até aos quatro anos de prisão. Mas antes disso deviam ser expulsos da universidade. Vão praxar pró raio que os parta!

Kroniketas, sempre kontra as tretas