quinta-feira, 6 de julho de 2006

A final dos merdentos no mundial do antijogo

Pois é, parece que neste Mundial quem vai ganhar não é o futebol, e não digo isto por desforço da nossa eliminação. Já repararam que os finalistas são duas das equipas que pior futebol jogaram e que só se apuraram porque houve um árbitro amigo no jogo dos oitavos de final com a Austrália, no caso da Itália, e porque no último jogo da fase de grupos tiveram uma pera docinha, o Togo, no caso da França? E estes ainda tiveram agora o apito amigo de um árbitro que viu um penalti numa queda tipo-ballet do senhor Henry...
E por muito que tenham melhorado (e não melhoraram assim tanto) na fase posterior, é triste ter uma final entre o calculismo e o calculismo senil, temperados pela benesse do negócio que é todo este circo.
Independentemente da prestação da Selecção Nacional, que foi excepcional, este Mundial deixa-me um sabor amargo por me parecer ter passado ao lado do que é realmente, ou deveria ser, o futebol: equipas a jogarem para não perderem, num jogo mastigado e sem chama e imaginação, jogadores cansados e a pensar nas férias, não houve um único jogo que ficasse na minha memória como emocionante (os "duelos" da Selecção não entram nesta apreciação), ao contrário do que acontecera com uns quantos no Europeu de 2004, que me pareceu ter tido um nível muito superior a este Mundial. E nem mesmo a nossa selecção se escapou completamente a esta onda, se bem que tenhamos entrado sempre em campo com o objectivo da vitória e não para passar tempo - só que exibições de encher o olho, viste-las! Os que jogaram bonito foram para casa cedo, como disse Scolari? É verdade, mas que me interessa ver jogos sem interesse, jogados a passo e à espera do prolongamento ou dos penalties? Que é do risco, do futebol-espectáculo que acaba por ser o sustentáculo do negócio? Não se estará a matar a galinha dos ovos de ouro?
Concluindo, entre os favores de arbitragem e o mercantilismo, já não há lugar para surpresas nos lugares cimeiros. Como hoje alguém disse, nós éramos o patinho feio ali no meio, como a Croácia foi no mundial anterior, e não contávamos.
Vou esperar por melhor futebol e menos jogadas de bastidores...

tuguinho, cínico desiludido (com o futebol, não com a selecção!)