sexta-feira, 31 de março de 2006

A modernidade começou aqui...


Olympia – 1863 – Edouard MANET (1832 – 1883)

Considerado o precursor do impressionismo, até mesmo pelos impressionistas que o consideraram uma espécie de mestre, embora contra vontade porque nunca o desejou.
Pela escolha dos temas e pelo início da libertação da pincelada do espartilho do academismo foi mesmo ele que abriu caminho para os impressionistas, dos quais foi contemporâneo, relegando os academismos romântico e neoclássico para as prateleiras da história.
Este quadro foi considerado um escândalo pela mentalidade da burguesia da época e só não foi despedaçado à bengalada porque, bem avisada pelas críticas contundentes, a administração do Salon alternativo de 1865 pôs o que chamaríamos hoje dois gorilas a guardar o quadro das mentes hipocritamente inflamadas.
E escândalo porquê, perguntar-se-ão? Nunca se tinham pintado mulheres nuas antes? Aos montes, caro leitor, aos montes! Mas para o espírito da época (e das anteriores) uma deusa ou ninfa nuas, ou alguma personagem de cenas históricas ou mitológicas com alguma carnita à mostra era bastante diferente de mostrar uma prostituta nua, certamente à espera do próximo cliente, em toda a sua crueza e naturalidade. É a diferença entre a fantasia e a realidade. Esta sempre foi mais incisiva.

tuguinho, cínico encartado