segunda-feira, 5 de fevereiro de 2007

O país dos trogloditas (IV)

Troglodita 5 - Manuela Ferreira Leite no Telejornal da RTP: “o aborto é um drama que nenhuma mulher faz de ânimo leve”. Não parece ser essa a opinião da maioria dos opositores à despenalização, como ficou patente no poema de Rita Ferro lido no “Prós e contras” de 29-1-2007.

Troglodita 6 - O melhor exemplo é o manifesto de Marcelo Rebelo de Sousa no seu famoso “Assim não”: “Pode abortar porque sim. Por nenhuma razão justificativa. Não tem de ouvir ninguém, nem psicólogo, nem médico, nem sociólogo, nem ninguém. (…) Um incómodo momentâneo, uma mudança de residência, uma depressão ligeira, um estado de alma inconstante”. Para quem ainda não viu, está aqui, no YouTube.
É esta a imagem que esta gente tem da mulher, que dizem defender. Aposto que são os mesmos que vão dar a vitória à sinistra e execrável figura de Salazar como o maior português de sempre.
Só falta, realmente, por causa de uma ida ao cinema em que não há bilhetes, como muito bem ridicularizou o Gato fedorento. Se ainda não viu, também está no YouTube.
Voltando a Clara Ferreira Alves (começo a ter uma admiração por esta mulher sem papas na língua), no mesmo “Eixo do mal” perguntou se as mulheres que Marcelo Rebelo de Sousa conhece se comportam assim. Se calhar é esse o mundo que conhece, que deve ser o das que abortam às escondidas em Badajoz e pagam para isso, mas são muito católicas e defensoras da vida.

Valter Rego, observador desassombrado