domingo, 17 de dezembro de 2006

Silogismos absurdos...


Deus é amor. O amor é cego. Stevie Wonder é cego. Logo, Stevie Wonder é Deus.

Disseram-me que eu sou ninguém. Ninguém é perfeito. Logo, eu sou perfeito. Mas só Deus é perfeito. Logo, eu sou Deus. Mas se Stevie Wonder é Deus, eu sou Stevie Wonder. Meu Deus, sou cego!

Rogério Profundo, cidadão do mundo