quarta-feira, 28 de março de 2007

O grande embuste


A irmã Lúcia faria hoje 100 anos. Como tal, vai ser-lhe feita uma homenagem para assinalar a efeméride.
Confesso que não percebo porquê. Alguém me explica o que é que a senhora fez de relevante ao longo da sua vida? Meteu-se num convento, ou lá onde foi, e viveu à conta do Estado porque disse que viu a Nossa Senhora. Agora querem beatificá-la.
E assim vamos vivendo há 90 anos à sombra dum monumental embuste, talvez o maior embuste da história de Portugal. Um embuste protagonizado por gente inútil e alimentad por gente ainda mais inútil.
Agora vão fazer-lhe uma homenagem. Mais uma inutilidade. Como diz um site que foi retirado do ar, «Não me merece qualquer respeito a sua memória. Não me congratulo pela sua morte porque não veio alterar nada. O logro mantém-se. Se a morte da “vidente” viesse acabar com o escândalo de exploração das desgraças de gente ignorante que se verifica em Fátima, a questão seria muito diferente.»

Kroniketas, sempre kontra as tretas