sexta-feira, 15 de julho de 2005

Os chatos das inspecções

Os tipos das inspecções automóveis são umas melgas de todo o tamanho. Ainda hoje vi um carro que parecia uma chaminé, tal o fumo que deitava, e quando os vejo pergunto sempre a mim próprio como é que estes carros andam aí, porque devem ter ido à inspecção!
Mas as melgas, à falta de melhor, têm sempre que implicar com uma porcaria qualquer. Numa inspecção anterior foi por causa dos autocolantes do vidro traseiro, que normalmente vêm já colados quando se compra o carro. A referência no célebre “papel esverdeado” era que os autocolantes prejudicam a visibilidade. Depois de me voltar a sentar ao volante olhei pelo retrovisor para me certificar do prejuízo causado pelos autocolantes. O que vi foi que os encostos de cabeça dos bancos traseiros tapavam os autocolantes quase na totalidade, portanto se algo tirava a visão eram precisamente os encostos. Vá lá que não me mandaram tirá-los dos bancos!
Há dias fui a outra inspecção e, não havendo nada por onde pegar (até o malfadado colete eu mostrei), o papelinho vinha lá com uma referência engraçadíssima: as chapas de matrícula estão descoloridas no local do ano e mês da matrícula, pelo que deverei substitui-las quando puder!!!
Ora que culpa tenho eu que as putas das placas não valham a ponta dum corno e estejam descoloridas? Não se lê à mesma? Então e aquelas que não têm lá o ano e o mês? Será que os gajos têm comissão na venda das matrículas? E como é que os chassos que deitam fumo passam nas inspecções?
Acho que da próxima vez me vou esquecer do papel verde, ou perdê-lo, para não me chatearem com a merda das matrículas. Puta que pariu estes gajos!

Kroniketas, sempre kontra as tretas