sexta-feira, 8 de julho de 2005

40 milhões de habitantes?

Foram divulgados há dias pela Visão dados que revelam a existência de 640.000 casas vazias em Portugal, enquanto os planos de urbanização existentes nas câmaras municipais apontam para a criação de casas suficientes para… 40 MILHÕES DE PESSOAS. Leram bem: 40 milhões, num país com 10 milhões de habitantes e uma população envelhecida.
Onde é que isto vai parar? Não há ninguém que ponha cobro a esta pouca-vergonha em que se tornou a construção neste país? Os patos bravos tomaram de assalto todo e qualquer buraquinho vazio que exista nas localidades e nada os faz travar. O Algarve, em certas zonas, já está quase insuportável no verão. Os fins de tarde em Portimão e Albufeira, só para citar dois dos casos mais gritantes, assemelham-se às piores horas de ponta de Lisboa. E mesmo assim, dum ano para o outro, lá surgem mais umas dezenas de prédios em qualquer barranco que esteja vazio.
Em três anos que habito na casa que comprei em 2002, em frente a uma das janelas surgiram… 4 prédios!!! Nenhum deles existia quando vim para aqui morar. Aproveitaram até um canto de rua, onde antes havia relva e às vezes passeavam gatos, para fazer mais um prédio a um metro do passeio.
É a pouca-vergonha total. Os corruptos e os incompetentes das autarquias têm destruído a paisagem deste país com estes mamarrachos intermináveis. Só num país de doidos é que seria possível projectar casas para um número 4 vezes superior à população residente.
Como outro dia perguntava José Pedro Gomes na sua crónica Cromos TSF (15 de Junho), será que estão à espera de receber 30 milhões de turistas? Não há ninguém com coragem para travar todos estes anormais, que nos estão a roubar o pouco que tínhamos de qualidade de vida?

Kroniketas, sempre kontra as tretas