terça-feira, 3 de agosto de 2004

Kroniketas no Alentejo profundo, em trânsito para águas algarvias

Depois da chegada ao Algarve, uma rápida incursão ao Alentejo (à chamada "santa terrinha") permite-me ligar o modem a uma ficha telefónica e postar aqui umas linhas. Ontem foi dia de praia na costa vicentina com água a 19º, o que justifica o rápido regresso ao litoral algarvio, hoje ainda antes de almoço (tenho é que dormir depressa), para ver se chego a tempo de desfrutar das águas bem mais cálidas e calmas da Praia da Rocha (ao menos ali pode-se nadar sem corrermos o risco de ser chamados para terra pelo nadador-salvador se nos afastarmos mais de 20 metros da costa, e molhamo-nos em vez de sermos molhados por vagas incessantes de ondas de metro e meio).
À noite ainda houve oportunidade de comer uma picanha fatiada na pedra, com umas garrafitas de Cabernet Sauvignon do Esporão (rói-te de inveja, Tuguinho!) e de Padre Pedro, do Ribatejo, obviamente depois de terem sido arrefecidos até à temperatura adequada, que não a ambiente. Para entreter, ainda se consumiu um verde Quinta do Ameal, da casta Loureiro, que mereceu da dona da casa o comentário de que parecia champanhe. Bom, então é porque não era mau!
Enfim, por terras dos mouros tá-se beeeeeeeemm!!!!

Kroniketas, afastado das novas tecnologias por tempo indeterminado