quarta-feira, 19 de setembro de 2007

O Mexia ainda mexe


Pois é, o antigo Ministro das Obras Públicas, António Mexia, actual presidente da EDP, numa medida de grande alcance social, resolveu acabar com as refeições gratuitas aos funcionários da empresa em situação de antecipação à pré-reforma, pré-reforma ou reforma.
De acordo com a notícia veiculada pelo Correio da Manhã, «a eléctrica esclarece que esta decisão visa apenas “distribuir melhor o apoio que presta aos seus reformados” e sublinha que isto não era “um direito consignado”. Segundo a EDP, menos de 10% dos reformados usufruíam desta regalia e que o faziam essencialmente em Lisboa e no Porto, onde a média de pensões é mais elevada, pelo que a EDP considera essencial “redireccionar a verba para apoiar os mais carenciados em todo o País.»
Ainda segundo a mesma notícia, «pelas contas do SIESI (Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul e Ilhas), a EDP gastará por ano cerca de 125 mil euros com as refeições gratuitas servidas aos beneficiários.»
Ora deixa cá ver: 125 mil euros são cerca de 25 mil contos. Isto dará, certamente, para adquirir um carrito quase topo de gama para um dos administradores, provavelmente com um carro já utilizado há 3 anos e, portanto, já demasiadamente gasto para ser usufruído por suas excelências.
Ah ganda Mexia! Assim mesmo é que é! Tirar aos pobres para dar aos ricos! Assim também eu enriquecia!

Kroniketas, sempre kontra as tretas