segunda-feira, 12 de junho de 2006

Outra vez a escumalha

É cíclico. Volta e meia um bando de atrasados mentais que se levam a sério e se intitulam nacionalistas sai da toca e resolve vir para a rua vomitar umas imbecilidades acerca do país. Há um ano foi por causa do arrastão de Carcavelos. Desta vez foi a propósito duma manifestação da polícia, que os ditos “nacionalistas” aproveitaram para se juntar ao evento e desfilar gritando o nome de Rudolf Hess enquanto faziam a saudação nazi.
É pena que os polícias manifestantes, sabendo antecipadamente que se iriam confrontar com tão má companhia, não tenham aproveitado para levar uns bastões escondidos e aplicar uma carga de porrada a preceito no lombo das bestas. Afinal, as bestas só à porrada é que se amansam.
Um tal Mário Machado, que conseguiu o seu momento de publicidade na comunicação social, ameaçou pegar em armas e vir para a rua defender o que é “nosso”, se for preciso. Para isso até dispõe de uma besta que comprou. Faz sentido. Uma besta usa como arma uma besta. Será que hoje, depois de discursar para os outros neonazis na Alemanha, também foi para o estádio assistir ao Portugal-Angola e gritar “Angola é nossa”?
Aqui só entre nós: não haverá ninguém que atire esta escumalha da Ponte 25 de Abril abaixo?

Kroniketas, sempre kontra as tretas