terça-feira, 14 de fevereiro de 2006

O que os outros disseram (XVIII)

“Há algo que esta polémica prova: quando se exprime um ponto de vista haverá sempre alguém que se sinta melindrado, e a única forma de evitar “ferir susceptibilidades” é mantendo o silêncio.”
“Quanto à blasfémia, trata-se de um conceito que só se aplica aos crentes, que não vincula os restantes. Se existe liberdade religiosa também existe liberdade para criticar e caricaturar a religião, qualquer que ela seja. Pensava-se que todas estas conquistas civilizacionais do Ocidente estavam asseguradas. Aparentemente, não é o caso.”
“A liberdade está ameaçada porque – através da ameaça e da chantagem – alguns pretendem instaurar uma “cultura de medo”. Cedências só poderão encorajar os bárbaros.”
“O comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros português é, simplesmente, inqualificável.”
(Vasco Rato, professor universitário, “O Independente”, 10-2-2006)

Infelizmente, parece que alguns blogs da Pólis afinam pelo mesmo diapasão do ministro no seu discurso...

Kroniketas