terça-feira, 6 de abril de 2004

Novo visual? E daí?

1 - Nas minhas deambulações pela blogosfera, fui apanhar algures uma referência a uma quezília entre a papoila e a limonada (estou a perceber que parece ser hábito instituído entre os bloguistas fazerem referências uns aos outros, quer para se elogiarem quer para se criticarem mutuamente), e pelo meio disto, depois de tentar apanhar o fio à meada dessa polémica, apanhei uma outra referência ao novo visual do Mukankala (se bem se lembram, este é o protestante, defensor da vida, portista, africano e não sei que mais). Por curiosidade e pelos elogios à nova imagem, lá fui ver o que era.

Bom, no meio das habituais referências aos amigos “defensores da vida” (por exclusão de partes, presumo que todos os outros, entre os quais se incluem os diletantes preguiçosos deste blog politicamente incorrecto, serão os “defensores da morte”…), etc e tal, lá vem uma explicação sobre os novos aspectos gráficos: uma impala, um elefante africano e a Tundavala, uma depressão rochosa da terra dos antepassados (só não percebi bem é quem são os antepassados do dito espécime, mas enfim, se calhar é distracção minha).

Pronto, está explicado: agora desculpem a minha ingenuidade, mas… a quem é que isso interessa?

2 - Aqui o meu parceiro do lado não deve ter visto, porque certamente não está para perder tempo a visitá-lo, as simpáticas referências que lhe foram feitas pelo mesmo espécime a propósito de uns comentários inseridos no blog da papoila. Nesse artigo o anfitrião simpaticamente dá-se ao trabalho de nos ensinar a escrever “Crónicas”, tece considerandos sobre o “nick” de cada um… e ainda nos dá o bónus de ajudar a pronunciar o “nick” dele próprio. Ó meus amigoszzzz: mas afinal, um tipo que se auto-intitula Mukankala, que tem um grande amigo chamado Chiunga, que fala em Ku Duro e kinjilas e que, ainda por cima, come qualquer coisa chamada funge com pirão… por favor, e se fosse antes dar lições de português às impalas, aos elefantes e, quem sabe, talvez… à Tundavala? Talvez na terra dos antepassados tenham alguma coisa a aprender com ele.

Resta dizer que esta ave rara começou por atacar neste blog, com um comentário ao artigo “O arruaceiro e os broncos” do seguinte teor:
“Vergonha são os teus comentários no blog da papoila. Abortos considero aqueles que mais disfarçam como tu. Tem respeito pela vida e deixa de ser um aborto ambulante”.
Isto por causa do tal artigo da papoila sobre a questão do aborto, mas quem comentou esse artigo não fui eu. O homem baralhou-se, misturou o aborto com o Avelino Ferreira Torres e saiu este chorrilho de disparates, até que tivemos direito a um artigo especialmente dedicado a nós.

Mas deixa estar, ó melga, que não perdes pela demora. O Tuguinho, o Blogoberto ou outro qualquer há-de dar-te o bocadinho de tempo de antena que mereces. E daí, se calhar não.

Kroniketas, sempre kontra as tretas, com “K”, apesar de o Mukankala (com “K”, ou será com "C"?) não gostar