segunda-feira, 19 de abril de 2004

De que cor é o teu lixo?

Cabe aqui, como preâmbulo, um pedido de desculpas por um mal entendido em relação a um comentário anónimo que, pela altura em que ocorreu e pela posição tomada, tomámos como sendo do Mukankala. Não era e cometemos uma injustiça. Como não pretendemos cimentar as nossas posições em equívocos, aqui estão as nossas desculpas sinceras.

A verdade é que o Muka engraçou connosco! Ele há casos assim, de atracção à primeira vista ou, neste caso, ao primeiro post. E eis que as reacções assaz moderadas do Kroniketas às posições assumidas por ele, levaram o ente a dedicar-lhe duas linhas de prosa no seu blog (http://mukankala.blogspot.com) em que sugeriu duas coisas:
- "get a life" (isto é estrangeiro, não é?, acho que vi esta frase num filme!)
- classificou-nos como "white trash" (acho que isto também é estrangeiro)
Interrogações possíveis:
- o homem é branco e racista?
- o homem é negro e racista?
- quem é que trouxe para aqui a cor da pele?
- de que cor será o lixo dele?
- terá vidas para vender aos mais necessitados?
A posição extremada e quase histérica do senhor sobre o aborto não augurava nada de bom – que a intolerância chegasse à área do racismo é que nós não esperávamos…
Podemos não gostar de funge ou de caldo verde, mas essas posições não se baseiam em critérios étnicos. As pessoas não são a cor da sua pele! São o que sentem, o que fazem, o que pensam. Por isso é que achamos que as posições do Muka são aberrantes, qualquer que seja a sua cor (vide a ironia balofa expressa no comentário acerca da morte do líder do Hamas). É a nossa opinião! Tal como não gostamos de jazz e até achamos que o Fernando Aguiar não é mau jogador!
Mas como o Muka muito bem disse, as caravanas passam enquanto os cães ladram. Mas já era altura de ele se calar…

Idálio Saroto, provedor do blog