segunda-feira, 12 de abril de 2004

Comentários aos comentários

Os comentários feitos pelos caros bloguistas no post anterior merecem-me também alguns comentários que, pela sua extensão, justificam que os coloque aqui num artigo à parte.

1) Ao Manuel: desculpe, importa-se de repetir? Ou melhor, de traduzir para português? Ou será que, ao contrário da intenção anunciada (“pôr a sociedade a funcionar”? Que bonito!), o objectivo é só escrever para não dizer nada, ou talvez dar um ar de intelectualidade barata? É que quase todo o texto é completamente imperceptível e sem sentido. “A vossa casta”? Mas qual casta? Que eu saiba, ninguém aqui é indiano descendente de casta alguma. “Tuguismo”? E isso o que vem a ser? O nome foi retirado, apenas e só, de um baptismo menos feliz com que a selecção nacional que participou no mundial de futebol da Coreia-Japão foi brindada (Tugas). Mas o meu colega do lado poderá esclarecer melhor. “Nasceram no concretizado”? “Enchem pa viver a forma”? Ó homem, as melhoras!

2) À Vieira e/ou à Sofia: é verdade que este blog é plural; de facto há mais que uma pessoa a escrever (ou então é a mesma pessoa a escrever com vários pseudónimos: Tuguinho, Kroniketas, Blogoberto, Valter Rego, etc., mas isso para o caso tanto faz. E também é difícil saber quem é quem). Também não sei se o teu é plural ou unipessoal. Quanto à questão do aborto, remeto-a(s) para o comentário ao comentário do Mukankala. Se fizeste esse comentário, não foi para nós. E obrigado pela simpatia.

Para finalizar e agora um pouco mais a sério: penso que todos nós, que andamos por aqui, gostamos de ver os nossos artigos comentados, seja para dizer bem ou mal. É sinal que nos leram e que o que foi escrito provocou alguma reacção. Eu estava à espera, por exemplo, de ver qualquer reacção ao artigo sobre os israelitas ("Assassinos!"), até porque escrevi lá algumas coisas que eu próprio não tinha a certeza se devia escrever. Mas a verdade é que… nada. Será que toda a gente está de acordo, ninguém leu, ou simplesmente ninguém está interessado em abordar esse assunto e é mais fácil pronunciarmo-nos sobre o que aqui se diz do Mukankala e sobre o que o Mukankala diz de nós?

No que diz respeito a este blog, a ideia é divertirmo-nos um bocado a expressar aqui opiniões sobre tudo o que nos apetecer, dizer bem ou mal seja de quem for sem compromissos de espécie alguma. Não temos a pretensão de ser os donos da verdade ou da sapiência: apenas da “nossa” verdade. E se consideramos que podemos contribuir para ensinar algo a alguém, dizemos o que achamos dever dizer, da mesma forma que estamos sempre dispostos a aprender algo com todos vós. Mas, sobretudo, queremos aproveitar este espaço de liberdade e, se possível, lançar alguma polémica. Tudo o que queiram congeminar para além disto, está a atingir o alvo errado. Tenho dito.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

PS: Para mais informações, consultar os artigos "Declaração de intenções", "Filosofia de vida das Krónikas" e "Com coisas sérias não se brinca", no painel lateral (todos na primeira página do blog)