sexta-feira, 3 de junho de 2005

Adeus e obrigado, Trap

Giovanni Trapattoni foi-se embora deixando o Benfica campeão nacional, onze anos depois. Na hora do adeus, apesar de todas as deficiências apontadas à equipa e à sua orientação técnica ao longo da época, os benfiquistas não podem deixar de estar gratos a um homem que, afinal, devolveu ao clube o êxito mais desejado.
Eu nunca fui um grande fã dos seus métodos e muito menos do futebol praticado pela equipa, mas num campeonato em que todos foram medíocres tenho que lhe dar o mérito de ter conseguido errar menos que os outros, por isso acabou na frente. A crédito de Trap temos também que pôr a calma que sempre manteve ao longo da época, mesmo nos momentos mais conturbados: ele nunca entrou em pânico com as críticas e os lenços brancos. Afinal, os seus cabelos brancos também ajudam, porque ele já veio de muitas batalhas. A calma demonstrada quando parecia que a casa vinha abaixo acabou por serenar a equipa e mantê-la à tona de água quando se esperava que afundasse a qualquer momento.
Quem leu o que fomos escrevendo neste blog ao longo da época percebeu que não confiávamos nem na equipa nem no treinador. A verdade é que, bem ou mal, o homem deu uma alegria aos benfiquistas. Por isso, agora que ele partiu só lhe podemos dizer: adeus e obrigado, velho Trap!

Kroniketas, benfiquista reconhecido