sexta-feira, 11 de fevereiro de 2005

Discurso de esquerda?

Em entrevista ao programa “Negócios da semana”, transmitido há pouco na SIC Notícias, António Carrapatoso, presidente da Vodafone, disse que deve ser função do Estado lutar contra a pobreza. Disse também que era preferível diminuir a taxa máxima do IRS, para não penalizar tanto os rendimentos do trabalho e não incentivar a fuga fiscal, e taxar as mais valias obtidas nos valores mobiliários, isto numa perspectiva de equilíbrio económico do país.
Pois o entrevistador, muito surpreendido, disse-lhe (por mais de uma vez) que aquilo era um discurso socialista, um discurso de esquerda, ao que Carrapatoso respondeu que não era de esquerda nem de direita, era apenas a perspectiva do que seria melhor para o país.
Pronto, está assim explicado o que é ser de esquerda e de direita. Está explicado porque é que nos estados capitalistas os ricos são cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres. Simples, não? Pelos vistos, não é isso que António Carrapatoso preconiza. Se calhar o homem, que não deve ganhar nada mal, até é de esquerda!

Kroniketas, sempre kontra as tretas