terça-feira, 8 de janeiro de 2008

A diferença

Vamos lá mais uma vez ao fumito.

Primeira coisa: não sou fundamentalista, mas também não me sinto bem no papel de aspirador.

Segunda coisa: isto é uma hipocrisia pegada, porque o estado que proíbe é o mesmo que controla o negócio e ganha dinheiro com os impostos sobre o tabaco.

Terceira coisa: se o gajo que estiver ao meu lado num bar emborcar duas garrafas de whisky eu vou continuar perfeitamente sóbrio, se ele fumar dois maços de tabaco eu também irei fumar uma boa parte. Sim, sim, eu sei que estarei a fumar de graça, mas o que é que querem, não acho piada nenhuma ao acto de inspirar e expirar fumo (já basta quando acendo a lareira...).

Quarta coisa: não quero obrigar ninguém a deixar de fumar, nem ser bufo ou pulha pidesco. Estejam à vontade para continuarem a ser livres e a acumular alcatrão no peito, mas deixem-me escolher também a mim. Pode ser?

Conclusão: portanto, quando compararem o tabaco à outra droga legal não se esqueçam disto - há uma pequena diferença...

tuguinho, cínico em fumeiro