sábado, 12 de janeiro de 2008

Alcochete, 1 - OTArios, 0

As reacções indignadas dos indefectíveis pró-OTA, após o anúncio da opção pelo campo de tiro de Alcochete para o novo aeroporto de Lisboa, fazem lembrar aqueles meninos mimados a quem tiraram a bola e agora fazem birra.
Após um estudo minucioso por parte do Laboratório Nacional de Engenharia Civil cujas conclusões já desde o Verão pendiam claramente para Alcochete, os OTArios reagiram de forma desabrida e despropositada, com clamores de conluio entre o governo, a CIP e empresas com interesses na margem sul. No meio do ridículo, apareceu um indivíduo ligado à região centro a bradar contra a decisão do governo e, imaginem, até o presidente da Câmara Municipal de Coimbra veio botar faladura a propósito. Coimbra que, convém lembrar, fica situada a... 200 quilómetros de Lisboa e 100 do Porto! Desculpem a minha ingenuidade, mas por que raio é que alguém de Coimbra, ou de Leiria, tem que largar postas de pescada sobre a localização dum aeroporto em Lisboa? Até a igreja meteu o bedelho a dizer que queria a OTA para facilitar as viagens a Fátima! Só visto! Na escalada do disparate, um dos mais hilariantes foi o de que o aeroporto em Alcochete não serve da melhor forma os 7 milhões de habitantes que vivem entre Braga e Setúbal! Leram bem: entre Braga e Setúbal! Mas afinal o aeroporto é de Lisboa ou não? E já agora: a população de Bragança, ficará bem servida com este aeroporto? E será que ficava melhor se fosse na OTA?
Mas o cúmulo do ridículo foi ver alguém pertencente a um movimento pró-OTA a lançar suspeitas sobre a decisão. Segundo esse senhor, se houve conluio, então os engenheiros do LNEC que fizeram o estudo não são sérios, pois emitiram um parecer segundo o conluio. E se a decisão tivesse sido favorável à OTA, o estudo já seria sério e já não havia conluio? Até se chegou ao ponto de o presidente da Câmara do Cartaxo encomendar um estudo à Universidade de Coimbra a provar que a construção na OTA é mais barata! Deve ser o único. Quer dizer que o estudo do LNEC não presta? Parece aquelas sondagens que os partidos encomendam e que lhes dão sempre bons resultados...
O problema deles é que davam a coisa por adquirida e revelaram um enorme mau perder, mostrando que, eles sim, não estavam neste processo de boa-fé e, eles sim, fizeram lóbi a favor, sabe-se lá, de que inconfessáveis interesses... Só o facto de haver um movimento pró-OTA já é sinal de que há interesses ocultos, pois não me parece muito normal que haja um movimento pró-aeroporto num sítio qualquer, quando o que está em causa é, antes de mais, servir a capital do país. Até parece que estamos a falar duma claque dum clube de futebol. E depois ainda vem mais um pateta dizer que os factores de decisão a favor de Alcochete foram “4-3 ganha o Benfica”. E dizem estas alarvidades sem se rir e sem receio de cair no ridículo!
Esta terá sido das poucas ocasiões em que a sociedade civil, com a CIP à cabeça e secundada pela Associação Comercial do Porto, mais alguns jornalistas e comentadores, conseguiu trazer para a praça pública a discussão duma decisão que parecia inalterável mas que os dados que foram vindo a público mostraram que poderia tornar-se um enorme embuste. Pois é, queriam comer-nos como OTArios, impingindo-nos um aeroporto com grandes condicionantes a nível aeronáutico e sem possibilidade de expansão, mas saiu-lhes o tiro pela culatra e agora amuaram como meninos birrentos. Tenham mas é vergonha na cara e não digam mais baboseiras. Só se cobrem mais de ridículo.

Kroniketas, sempre kontra as tretas