domingo, 27 de fevereiro de 2005

O Papa acenou à janela

E daí?

blogoberto, chico-esperto

A Seca



Era o que temíamos! Este longo período de míngua ameaça estender-se e deixar-nos secos. É a seca! Melhor, é uma seca. Esta última semana tem sido um autêntico desespero para arranjar assunto para escrever. Por favor, senhor Presidente da República Portuguesa, acelere o processo de constituição do governo! Nós sabemos que não vai ser a mesma coisa, mas sempre haverá um ou outro assuntozito que permita aos escribas deste blog o exercício da nobre ocupação de escrevinhadores. Agora este deserto, sem ministros a demitirem-se, sem membros do governo a contradizerem-se, sem nossas senhoras a protegerem-nos contra o crude, enfim, este deserto de trapalhadas está a matar-nos. Já não estávamos habituados. Era uma “silly season” a durar todo o ano, um maná sem fim que nos propiciava motivos de escrita em catadupa.
Vão ser tempos difíceis estes em que teremos de puxar pela cabeça para arranjar motivo para escrever neste pasquim internético… Mas como dizia o outro, a vida continua. Ou era a luta? Whatever!
Sempre a considerá-los

tuguinho, cínico ansioso

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2005

Com a devida vénia

Em “A loira não gosta de mim”, a recordação de um post do Acidental acerca do PS, escrito a 10 de Julho. Na mesma data, juntinho a este, outro post acerca do Bloco de esquerda:
Francisco Louçã é o grande derrotado da noite de 9 de Julho. O Bloco segue dentro de vários anos. [Vítor Cunha]
E ainda outro acerca, imaginem, do MES (isto já é obsessão doentia acerca de qualquer partido de esquerda, presente ou passado).
Perante tão brilhantes dissertações, também eu me dispenso de chamar quadrúpede ao autor, que agora deveria fazer um post com o mesmo teor sobre ele próprio. Em relação ao BE, curioso é o facto de já estar a morder os calcanhares ao CDS. Mas sobre isto o escriba não diz nada.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2005

Pedro & São Pedro

A prova de que este governo era uma grande seca foi que, assim que acabou, começou a chover!

blogoberto, chico-esperto

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2005

Hecatombe (XI)

“Após 6 anos de governo, o PS teve 38%. Após 3 anos de governo, o PSD e o CDS juntos têm 36%”.
(António José Seguro, RTP)

Uma maioria, um governo, um presidente

Aquilo que a direita queria desde o tempo de Sá Carneiro, só ainda a esquerda conseguiu. E pela primeira vez um partido da esquerda tem maioria absoluta com um presidente de esquerda.
Têm de continuar à espera por mais algum tempo, principalmente eleger um presidente. Desde Eanes em 1976 (com o PS), todos os presidentes foram eleitos pela esquerda.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Hecatombe (X)

O Nuno da Câmara Pereira foi eleito deputado!
(esta deve ter sido a pior coisa que o PSL nos fez..)

Hecatombe (IX)

PSL não quer largar o PSD! Parece aqueles namorados que por nada aceitam o fim de uma relação...

A culpa foi do Presidente da República

…e como se vê, o PR tinha razão.
“Há um português que esta noite vai, com certeza, dormir tranquilo pela primeira vez em vários anos: é o sr. Presidente da República”.
(António Mega Ferreira, RTP, 0:43)

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 20 de fevereiro de 2005

Hecatombe (VIII)

E o melhor de tudo, os acidentados têm que engolir todas as aleivosias que têm vomitado contra a esquerda: o BE tinha 150.000 votos aumentou e para mais do dobro, 364.000, enquanto o CDS desceu de 475.000 para 415.000. Neste momento, pouco mais de 50.000 votos e menos de 1% os separam.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Hecatombe (VII)

“A direita tem menos de 36%”
“Falhei os 4 objectivos”
(Paulo Portas, 23:15)

A Vitória do PS foi a Vitória do PSD

Primeiro: não sou militante de nenhum partido, embora vote à esquerda.
Segundo: vou explicar o título deste post.
A maioria absoluta que o PS obteve era esperada, não só por mérito próprio como também pela fuga das gentes ao caos – PSL à frente do PSD por mais quatro anos de governo significava precisamente isso, e não há ameaça neo-gutérrica que o supere!
E por que foi isto o melhor que aconteceu ao PSD, sendo esta a sua pior derrota de sempre? Porque este descalabro é o toque de finados de PSL à frente do partido, e isso é a melhor notícia que esse partido podia ter! Há lá melhor que o fim da confusão e da palhaçada? E de atrás dele saírem pela porta de trás todos os beija-cus como o Luís Filipe Menezes e outros capachos dessa estirpe?
Embora não me situe na área política deste partido, reconheço que é necessária uma oposição construtiva, combativa e responsável na Assembleia de República, ao invés do circo da bicharada.
Uma palavra para o Bloco de Esquerda: em termos relativos, talvez tenham sido os maiores vencedores destas eleições, mais do que duplicando a sua votação anterior. A evolução deste agrupamento de partidos de extrema-esquerda, na sua deriva para o “mainstream” político, tem mantido uma coerência que lhe valeu uma votação recorde nestas eleições. Será que poderão ir mais além? A ver vamos.
Quanto ao PP, o jogo hipócrita de Paulo Portas (esta coincidência de iniciais será coincidência?!) não passou na totalidade, embora tenha evitado a potencial descida. Numa imagem sexual, digamos que ele conseguiu transformar o PP nos testículos, que participam a fundo mas não entram (passe a imagem forte…). E com essa atitude conseguiu passar o odioso da questão para o PSD, não sofrendo o justo castigo pela participação na governação. E o PP (partido) também perdeu, porque PP (dirigente) colocou a fasquia nos 10% e falhou rotundamente! Decerto irá rodear esta questão e sair airoso, como faz sempre.
A CDU inverteu a tendência de descida da última década, porventura pelo élan que um novo líder sempre dá (desde que não se chame PSL), e subiu mesmo no número de deputados.
E agora novamente o PS: foi-lhe concedido o que foi pedido – portanto, Doutor Sócrates, não defraude a carta branca que lhe deram! Não vá buscar ao armário da arrecadação os tonequistas-da-treta, tipo Pina Moura e quejandos. Isso equivale a um suicídio político e a uma traição. Os 9 milhões que lhe deram a maioria também lha podem tirar, lembre-se disso. Ah, e já agora, parabéns!
Concluindo, a esquerda ganhou em toda a linha estas eleições. Talvez assim se divisem menos anões da nova direita em bicos de pés, tentando ficar na fotografia.
(comentário místico: ninguém me tira da ideia que a irmã Lúcia teve algo a ver com isto. É que nem um santo já o aguentava!)

tuguinho, cínico aliviado (mas atento!)

Hecatombe (VI)

O PSD teve o pior resultado dos últimos 22 anos

Hecatombe (V)

O PSD desceu mais de 11 pontos em relação a 2002

Hecatombe (IV)

O CDS/PP não se firmou como 3ª força política

Hecatombe (III)

O CDS/PP não subiu, nem em votos nem em deputados

Hecatombe (II)

O CDS/PP não impediu a maioria absoluta do PS

Hecatombe (I)

O CDS/PP não chegou aos 2 dígitos

A frase da noite eleitoral

“É uma hecatombe para os partidos da direita”
(José Eduardo Moniz, TVI, 19:00)

Sem mais comentários

Kroniketas, contribuinte para a hecatombe dos partidos da direita

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2005

Patético



Hoje pensei que me tinham colocado na caixa de correio uma daquelas cartas em cadeia, do estilo "se não deres todo o teu dinheiro aos pombos do Rossio, daqui a três dias cair-te-á uma coisa que muito prezas", etc. e tal.
O sobrescrito não tinha identificação, só uma frase enigmática: “se não costuma votar, leia esta carta”. Como eu costumo votar sempre ia deitá-la fora, mas a curiosidade falou mais alto. Abri-a. E dei comigo perante o mais patético panfleto político que me foi dado conhecer!
Tal como as cartas em cadeia instava-nos a não parar de ler, porque senão estávamos a fazer uma maldade idêntica à que o senhor Presidente lhe tinha feito. E logo depois pedia-nos uma coisa: o nosso voto. E porquê? Para poder prosseguir com as políticas que favorecem os desfavorecidos e exigem mais aos mais ricos. Decerto os sete e qualquer coisa por cento de desempregados apreciarão este estilo robin-dos-bosques. Ou não. E a classe média com certeza também apreciou o fim dos benefícios fiscais. Toma Belmiro, que agora já não vais lucrar mais com o teu PPR!
E depois são invocados uns certos “Eles”, poderosos obviamente, e o famigerado sistema. Olhei para o fundo da missiva à procura da assinatura do Dias da Cunha, mas só encontrei a do PSL. Portanto, Sporting, estás perdoado.
A parte final acho que tem a ver com os tais pontapés ao querubim na incubadora e a umas facadas nas costas, mas tudo escrito no melhor estilo de novela mexicana, e penso ter descortinado um apelo velado à constituição de um grupo de pressão dos coitadinhos atraiçoados, porque afirma que “já são vários” e que lhes quer fazer (a “Eles”) frente. E pede-me o favor de ir votar. Ó senhor Lopes, não é favor nenhum! Lá estarei a pôr a cruzinha num partido que não será o seu nem o dos seus associados, pode ter a certeza.
Francamente, ó senhor Einhardt Brazuca, até pode ser que o estilo “calimero” resulte no Brasil, mas olhe que por aqui tenho as minhas dúvidas e até o aconselho já a ir procurando outro empregozito numa outra área que não a de construtor de imagem, porque desconfio que vai ficar desempregado na segunda-feira.
Depois disto tudo só espero ouvir, no fim da noite eleitoral, o menino-guerreiro a exclamar com voz dorida “it’s an injustice, it is!” e a afastar-se a choramingar à procura de algum colo.

tuguinho, cínico admirado (com tamanha desfaçatez!)

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2005

País indigno

Ouvi agora num telejornal que a família do polícia morto na Cova da Moura não terá direito a qualquer indemnização, porque não era casado nem tinha filhos!!!
Uma vergonha para este país de merda!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

A instituição “Cunha”

Neste país nada funciona como deve ser sem cunha? Digam-me lá, para resolver qualquer problema, não há nada como ter alguém conhecido em algum lado. É ou não é?

blogoberto, chico-esperto

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2005

Frase da semana

“Não basta puxar a gola para cima e não fazer a barba para as coisas funcionarem” (Rui Santos, em “Tempo extra”, SIC Notícias)

Os parolos e o “blackout”

Os processos sumaríssimos instaurados a jogadores do FC Porto resultam apenas das sucessivas agressões praticadas por estes sobre jogadores adversários. Assim, em vez de se mostrarem indignados com os processos e recorrerem ao habitual “black out”, os responsáveis e jogadores do FC Porto deveriam ter a decência de manifestar publicamente a intenção de não praticar tais actos. Senão caímos naquela situação caricata de, quando a mensagem é má, querer matar o mensageiro. Esta é apenas a típica reacção parola de quem não tem razão... nem vergonha.
Lembram-se das cotoveladas de Paulinho Santos em João Pinto? Parece que nada mudou daí para cá neste clube.
E já agora: o que pensará José Couceiro, um homem do sul que foi presidente do Sindicato dos Jogadores, desta “lei da rolha”?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Não, afinal é pior

Enganei-me, não vão pôr a bandeira a meia-haste: vão fazer dois dias de luto nacional. Simplesmente ridículo. Até D. Januário Torgal Ferreira e D. Manuel Martins acham exagerado porque, como diz D. Januário, “a irmã Lúcia não faz parte da alma da pátria”.
Também Pacheco Pereira se mostra crítico, lembrando que “a separação institucional entre o Estado e a Igreja implica alguma moderação”.
Não preciso de acrescentar mais nada, pois não?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Pausa na campanha

O PSD, o CDS/PP e a Nova Democracia interromperam as acções de campanha por causa da morte da irmã Lúcia, a tal que dizem que viu a virgem Maria.
O que é que o país tem a ver com isso? Será que vão pôr a bandeira nacional a meia-haste?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 13 de fevereiro de 2005

Limpeza de Imagem...



...mas nem tudo vai sair - ainda há diferenças entre partidários e lacaios.

tuguinho, cínico encartado

sábado, 12 de fevereiro de 2005

O partido revolucionário

Paulo Portas e Pires de Lima acham que o PP é o partido revolucionário do século XXI. Qualquer dia ainda os vamos ver de punho erguido. Já faltou mais. Para já, começaram a imitar um velho slogan do PCP (“assim se vê a força do PC”).

blogoberto, chico-esperto

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2005

Os Cães Raivosos

Enquanto uns levantam questões estúpidas e pueris (leia-se Santana Lopes), outros são bem mais perigosos e subreptícios (leia-se Paulo Portas e os seus lacaios).
O caso levantado pelo Independente (cóio conhecido de Portistas dedicados) é um bom exemplo disso e bem mais perigoso do que alusões a colos do outro...
Vem na sequência de todos os outros alaridos provocados, com a vantagem - para Paulo Portas - de que foi feito por outros e ele pode aparecer com pose de estadista a dizer que faz campanhas de causas e não de casos.
Mais do que a desdita de Santana poder ser eleito (apesar de a possibilidade ser remota) é o facto de Portas poder lá continuar que é mais perigoso para a democracia.
O perigo nunca vem do bobo que está no palco mas sim de quem se esconde nos bastidores a urdir a trama.

tuguinho, cínico encartado

E os direitos de imagem?

Na sua campanha de publicidade negativa, o PSD tem-se afadigado a fazer cartazes onde mostra elementos do PS, naquela lógica parecida ao bicho-papão, do género “ou comes a sopinha toda ou vêm aí os senhores do PS outra vez”. Não sei é se eles conseguem assustar alguém.
Mas o que me intriga nesta história é a utilização, que me parece abusiva, de imagens de pessoas doutro partido para fazer campanha contra essas mesmas pessoas. Então se Cavaco Silva proibiu a utilização da sua imagem num cartaz do próprio partido, será que se pode utilizar livremente as imagens de pessoas que não têm nada a ver com o partido sem lhes pedir licença? Não há aqui uma questão de direitos de utilização de imagem?
Será que no PS ainda ninguém se lembrou disto?

Kroniketas, sempre kontra as tretas

Discurso de esquerda?

Em entrevista ao programa “Negócios da semana”, transmitido há pouco na SIC Notícias, António Carrapatoso, presidente da Vodafone, disse que deve ser função do Estado lutar contra a pobreza. Disse também que era preferível diminuir a taxa máxima do IRS, para não penalizar tanto os rendimentos do trabalho e não incentivar a fuga fiscal, e taxar as mais valias obtidas nos valores mobiliários, isto numa perspectiva de equilíbrio económico do país.
Pois o entrevistador, muito surpreendido, disse-lhe (por mais de uma vez) que aquilo era um discurso socialista, um discurso de esquerda, ao que Carrapatoso respondeu que não era de esquerda nem de direita, era apenas a perspectiva do que seria melhor para o país.
Pronto, está assim explicado o que é ser de esquerda e de direita. Está explicado porque é que nos estados capitalistas os ricos são cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres. Simples, não? Pelos vistos, não é isso que António Carrapatoso preconiza. Se calhar o homem, que não deve ganhar nada mal, até é de esquerda!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2005

Meteram-me isto na caixa do correio...



...pronto, está bem: eu fiz uma ou outra modificaçãozita. Mas foi com boas intenções!

tuguinho, cínico carnavalesco

Brrrrrrrrrrr!

Estive no Baixo Alentejo. E digo-vos uma coisa: está um frio do c...
Ontem, à 1 da manhã, 0,5º C!!! Nem na serra da Estrela apanhei assim.

Kroniketas, ainda a tiritar

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2005

Aparições



Quando a máquina de uma organização se sobrepõe à razão da sua existência, o que podemos dizer? O edifício da igreja católica vem sendo construído há séculos, cada geração de burocratas religiosos adicionando mais um andar de leis e ensinamentos que nada têm a ver com a ideia original à torre vertiginosa em que se vão transformando todas as religiões. E mesmo aqueles que se revoltaram contra esse estado de coisas acabaram por desembocar em outros extremismos e por construir um edifício idêntico ao que tinham criticado, o que só nos faz temer que esta seja uma regra aplicável a todas as organizações sociais que a civilização elabora. Veja-se o caso do estado – devia ser a cúpula organizada da população e trabalhar em prol do bem público, mas transformou-se numa máquina autónoma que nos domina e diz o que podemos ou não fazer e como o fazer, que se autoperpetua e satisfaz e que, de vez em quando, nos pede para colocarmos um papelinho com uma cruz dentro de uma caixa. E vem tudo isto a propósito de quê?
Há já alguns anos que se assiste ao triste espectáculo público de degradação física de um homem através das televisões e jornais de todo o mundo. E digam-nos o que disserem recorrendo a leis da igreja ou cânones papais e etc. e tal, nada nos convence que esse triste espectáculo seja necessário. Parece quase que estamos perante um artigo da série “Believe it or not!” ou da tentativa de bater um recorde do Guiness de cada vez que é anunciado que o papa está melhor e que até conseguiu debitar algumas palavras ininteligíveis aos fiéis. Mas para quê? Que raio, não estamos num circo! E que tal escolherem um novo papa e deixarem o actual viver os seus últimos dias em paz, como qualquer ser humano tem o direito de fazer?
E não nos venham dizer que não podemos opinar sobre isto por não sermos católicos, como o outro disse ao outro em relação àquela outra situação – o caso é apenas humano e toda a religião que mantenha o seu líder em funções no estado em que este se encontra é desumana! Que saibamos, só as árvores morrem de pé. O resto é estupidez e egoísmo.

tuguinho e Kroniketas, os diletantes preguiçosos

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2005

Se ele o diz…

Algumas frases de Pacheco Pereira, militante do PSD, no programa “Quadratura do círculo”, na SIC notícias:
“Somos um partido laico”
“Este tipo de campanha assente na insinuação, no boato, na redução do adversário é um enorme falhanço político e não é admissível num grande partido nacional que deveria estar a falar nos problemas dos portugueses e não dominado por uma experiência quase psicótica de ego gigantesco desesperado face aos eventos”.
“Isto para mim é afrontoso”.
E a propósito das últimas posições de Freitas do Amaral:
“O blog O Acidental é feito por assessores de Paulo Portas”.
Sem mais comentários.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

PS: Parece que afinal O Acidental não é feito por assessores de Paulo Portas. Pelo menos um já reagiu a esclarecer que não é assessor: é adjunto, o que é completamente diferente!

Vai-Vem

Um tipo chega do estrangeiro, entra no táxi e o que é que ouve a sair da rádio do dito cujo? O debate entre Dupond e Dupont!
Eu juro que não quero ser mauzinho, e até tenho alguma esperança no socrático dirigente, mas se se deixa afogar pelas figuras sinistras do tonequismo, como já aqui afirmei, temos o caldo entornado.
Taxistas do meu país, que é feito das conversas sobre bola? A tradição já não é o que era...

tuguinho, cínico repatriado (e contente por ter voltado!)

terça-feira, 1 de fevereiro de 2005

O fundo do fundo

Em Portugal, e na generalidade dos países europeus, nunca se considerou demasiado a vida privada dos políticos quando chega a altura de escolher em quem votar. E bem, direi eu! A menos que o dito cujo seja pedófilo confesso ou satanista militante (não é gralha, é mesmo "satanista"), a sua vida privada não deve influir no desenrolar da sua vida política. Se é solteiro(a), casado(a), hetero ou homo, se gosta de orgias ou passa o tempo na igreja a confessar-se, isso dificilmente deve pesar quando se trata de escolher um líder político. A cidade em que me encontro tem um Presidente de Câmara assumidamente gay e não é por isso que ele é menos competente ou que as pessoas o olham de lado. Aqui o caso foi claro e o próprio resolveu informar os eleitores - nada a dizer, a iniciativa foi sua.
Agora quando se usam insinuações soezes para tentar minar a campanha política dos adversários, usando para isso um boato que chegou (estranhamente) a tempo das eleições, é ir para além de tudo o que já se fez ou usou em Portugal em batalhas eleitorais! É nojento! Tal como não quero saber se o Santana tem 1 ou 11 filhos ou com quantas mulheres já foi para a cama, também não quero conhecer a orientação sexual do Sócrates ou do Portas para efeitos de escolha do partido em que vou votar!
O ponto a que chegámos revela bem o carácter do primeiro-ministro, que acossado usa tudo o que pode para não bater no fundo. Mas bateu! E com tal força que duvido que se volte a levantar! No seu partido esperam apenas os resultados das eleições (que tudo indica serão desastrosos) para o colocar com dono.
E se vamos entrar nos boatos, então também eu posso dizer que aquela relação entre o Santana e o Portas é muito suspeita, e que já não é o primeiro ou o segundo mulherengo que muda de campo assim como quem não quer a coisa. Como boato tem muitas possibilidades de desenvolvimento, com a vantagem de podermos especificar o colo de que o Santana Lopes gosta.
Eu não tenho partido, mas não me movo na área do PSD. Mas, se fosse assim, estaria envergonhado com estas atitudes e afirmações do líder que caíu do céu e os está a levar para o Inferno. Mesmo na Tugalândia há limites!
Santana, no dia 20 vais receber a lição que mereces!

tuguinho, de Paris com uma mola no nariz (devido ao fedor da campanha do Santana)