terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Venham mais quatro!*



Foi há tão pouco tempo e parece que foi já há quatro anos!… Hmmm? Ah pois, foi mesmo há quatro anos que este antro abriu as portas e deixou que a parvoeira, a indignação, a raiva, a parvoeira outra vez, a elevação, o humor e outras coisas menos nomináveis saíssem assim de uma vez e todas misturadas, tipo “chama-o-gregório” após noite de excessos.
Ao longo destes “4x365+bissextos” dias muita coisa nos passou pelos teclados, mas há pessoas e animais a quem temos de agradecer: a Santana Lopes, pela produtividade que em nós induziu, ao Titta, pela diversão proporcionada pela aridez das suas ideias ao longo de uma polémica atroz, ao Politikos, por ter travado connosco a batalha mais engraçada desde Aljubarrota à volta da identidade de um cabrito, e a tantos outros que, levados pela insónia ou pelo azar, vieram parar a este blog e nos leram. Só um momento, para limparmos estas lágrimas teimosas… pronto, já está!
Ao fim destes quatro anos tivemos altos e baixos e até mesmo gordos e magros, decerto. Mas soubemos manter-nos à tona (temos muito medo das gralhas…) flutuando à custa das nossas ideias parvas, das indignações justas e das bóias de braço que nos ofereceram quando meninos. É pois cultivando sempre o humor que nos vamos manter, mesmo nos assuntos mais sérios, esperamos que pelo menos por mais quatro anos, se mantivermos a força na pena.
Vamos lutar sempre pelas coisas justas, tais como o direito a ter um clube de fãs em que todas elas sejam pelo menos tão boas como a Scarlet Johansson e tenham a abertura moral da Paris Hilton.
Digladiar-nos-emos (difícil de ler, esta, ahn?) com quem quer que seja quando soubermos que a razão está do nosso lado, e mais ainda quando não a tivermos.
Insultaremos quem pensar o mesmo que nós, porque assim o país nunca irá para a frente.
E, por último mas não esquecido (vêem – o português tem boas alternativas a “last but not the least”!), chacinaremos todos os agressores do bom português, o que esperamos irá reduzir a população portuguesa a um décimo da actual e deixará o Brasil despovoado.
Posto isto, continuaremos a toda a brida a postar sempre que a preguiça nos deixar (eu sempre disse que ela não ia ser um bom animal de estimação…), e a nunca falar de touros ou touradas ou toureiros, excepto para dizer que nunca falaremos de touros ou touradas ou toureiros.
Só mais este parágrafo para informar que depois de termos dito que era a última coisa já escrevemos mais dois!
E finalmente, neste dia de aniversário, um agradecimento muito especial a todos aqueles que não nos lêem, porque só mostram que têm bom gosto. Pessoas assim não podem ser más pessoas!
Bem hajam!

tuguinho e Kroniketas, os diletantes preguiçosos

*portanto, menos um que na canção do Zeca Afonso...