quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Já chega


Começa a não haver adjectivos desqualificativos para Alberto João Jardim. O verme da Madeira agora resolveu banir do arquipélago os jornais do continente, com excepção do Expresso por, segundo o próprio, ser o “resumo semanal dos principais disparates do rectângulo”, e o Diabo por “solidariedade editorial” (não admira: para um verme, só um execrável pasquim inspirado pela não menos execrável Vera Lagoa).
Não há ninguém neste país com “eles” no sítio que ponha esta insuportável criatura na linha? O homenzinho é um déspota saloio com a mania de que é engraçadinho e que está acima da lei, bradando constantemente contra os “cubanos” do continente que mandam para lá os rios de dinheiro do orçamento que lhe sustentam as manias que lhe permitem estar há três décadas na cadeira do poder.
E se lhe fechassem a torneira de vez? E se fizessem aplicar na Madeira a lei geral da República? Afinal ele pode fazer o que quer e lhe apetece, como um pequeno ditadorzeco de quintal que põe e dispõe a seu bel-prazer enquanto goza com a nossa cara todos os dias? Por que carga de água é que teremos de aturar os seus dislates constantemente e mesmo assim ainda pagar para ele se exibir ridiculamente nos desfiles de Carnaval?

Kroniketas, sempre kontra as tretas