terça-feira, 31 de outubro de 2006

Carta aberta a Miguel Sousa Tavares


Na edição do Expresso deste sábado Miguel Sousa Tavares manifesta a sua indignação pela acusação de plágio de que foi alvo na blogosfera, e insurge-se contra a cobardia da acusação a coberto da capa anonimato que a Internet permite, desvalorizando a utilidade deste meio. Da minha parte, o que tenho a dizer sobre o assunto é o que segue.

Meu caro Miguel Sousa Tavares:

Compreendo a sua indignação com a acusação de plágio de que foi alvo e a sua desconfiança acerca da utilização destas tecnologias. Sou seu leitor e ouvinte há muitos, muitos anos, quer na televisão quer nos jornais. Desde o tempo em que era jornalista na RTP ou na SIC, até às suas primeiras colaborações com a TVI, passando pela longa permanência no Público e também n’A Bola, apesar de não gostar do seu tendenciosismo enquanto portista.
Mas neste caso acho que não tem razão, por vários motivos:

1) O problema não são os blogues, muito menos é a Internet. Esta é um meio de democratizar o acesso à informação e a liberdade de que se desfruta é simultaneamente a sua grande força e a sua grande fraqueza, porque, tal como na democracia, o problema não está no regime, está na utilização que dele é feito. Tal como na democracia, há quem confunda liberdade com irresponsabilidade, e isso também é válido para este espaço. Se o acusador de plágio é alguém cobarde porque o faz a coberto do anonimato (e esse é um mau exemplo de utilização da liberdade), por tal motivo não merece qualquer credibilidade. Mas neste caso os seus colegas jornalistas são mais responsáveis e a sua actuação é mais grave porque dão cobertura ao boato sem verificarem a veracidade da acusação. E como sabe, pessoas altamente credenciadas na sociedade portuguesa também escrevem em blogues, como o Pacheco Pereira ou o Vital Moreira.

2) Ao contrário do Miguel, eu e muitas outras pessoas não temos espaços privilegiados para fazer opinião. Não temos à nossa disposição as páginas dos jornais e os horários nobres da televisão, nem somos convidados para fazer comentários na rádio. E no entanto temos opinião sobre as coisas, mas não temos onde fazê-lo. Agora temos: os blogues. Saiba que a maioria dos blogues que há por aí são feitos com boas intenções, e muitos deles até fornecem informações interessantes sobre diversos assuntos.
Só um exemplo: há imensos blogues sobre vinhos, onde os autores exprimem as suas opiniões sobre os vinhos que vão provando, divulgam as suas características e os seus preços, criando um manancial de informação para os outros leitores, e acabando por cruzar muitas informações entre si. Inclusivamente, esses blogues têm feito uma intensa divulgação dum evento que se vai realizar no próximo fim-de-semana, o “Encontro com o vinho e encontro com os sabores”, organizado pela Revista de Vinhos. E para lá ir tem de se pagar, portanto estão a fazer publicidade gratuita a um evento onde terceiros vão ganhar dinheiro. E sabe que mais? Nos blogues damos a nossa opinião, com ou sem pseudónimo, gratuitamente. Tudo é feito por carolice e não somos pagos para dar a nossa opinião, ao contrário do Miguel Sousa Tavares.

3) Este meio que o Miguel desvaloriza que é a Internet também o favorece, e sabe porquê? Por sua causa eu subscrevi (a pagar) a edição on-line do Público quando o Miguel lá escrevia, só para poder ler os seus artigos. Quando passou para o Expresso, eu subscrevi (a pagar) a edição on-line do Expresso para poder ler os seus artigos. E isso dá-me a possibilidade de ler só aquilo que me interessa e permite-me fazê-lo sem ter que me deslocar à banca para trazer o jornal para casa.

Portanto, agora como sempre, é preciso separar o trigo do joio e não confundir o meio com a boa ou má utilização que dele é feita.

Kroniketas

É preciso ter lata

Já depois do post abaixo, tive conhecimento do artigo publicado no site do FC Porto, e não assinado. Agora vêm queixar-se da lesão do Anderson provocada pela entrada do Katsouranis. O clube do Celso, do Rodolfo, do André, do Paulinho Santos, do Costinha, do João Pinto, do Jorge Costa...
É preciso descaramento. Já se esqueceram dos narizes e maxilares que o Paulinho Santos partiu? E já se esqueceram que o Figo foi para o Mundial-2002 lesionado por causa duma entrada do Deco num Real Madrid-Porto? Há gente com uma lata!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 29 de outubro de 2006

Mais sorte do que mérito

Jesualdo Ferreira tinha pedido toda a sorte do mundo para a sua equipa e para a equipa de arbitragem. E teve-a. Ganhou o Porto-Benfica com mais sorte do que mérito. Nos últimos três jogos, o Porto marcou 3 golos de ressalto, 2 com brindes da defesa, 1 em fora-de-jogo, um num rasgo individual do Quaresma e só um numa jogada construída colectivamente.
Nos jogos com Benfica e Sporting, 3 dos 4 golos do Porto surgiram de ressaltos da bola. Ontem, o primeiro e o terceiro golos do Porto foram autênticos bambúrrios, obtidos sem que nada o justificasse. Ainda por cima, o Porto acabou o jogo encostado às cordas e só aquela pontinha de sorte que, nestas ocasiões, tem estado sempre do outro lado, impediu que o Benfica atirasse o adversário ao tapete. Após os golos do Benfica, que viraram o resultado de 2-0 para 2-2, o Dragão silenciou e o ar de pânico que se via nas bancadas demonstra que se alguma equipa estava à beira do KO era o Porto. E acabou por ganhar sem saber ler nem escrever. Entretanto, as declarações de Jesualdo no final do jogo mostram que já sofreu a habitual lavagem ao cérebro, que o fez ver um jogo diferente do que existiu. Já está contaminado pelo vírus, já manda tacadas ao Benfica, onde trabalhou várias vezes, e um dia destes vai dizer que é portista desde pequenino e entrar no discurso do regionalismo bacoco. Esperava melhor dele, pensei que era mais resistente.
Ao mesmo tempo, não compreendo as mudanças efectuadas na equipa por Fernando Santos. A entrada de Paulo Jorge em vez de Nuno Assis deixou um deserto no meio-campo, que deu a primeira parte ao Porto. As entradas em campo de Mantorras e Nuno Assis mudaram a feição da equipa e a feição do próprio jogo, porque até lá o meio-campo não defendia e não tinha quem levasse a bola para a frente. Assim demos dois golos de avanço, mas a segunda parte mostrou que, jogando assim desde o princípio, o Benfica podia ter saído tranquilamente do Dragão com a vitória no bolso.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Um raio de lua que passou

Curioso, eu que não costumava vir a este blog (nem sabia que a Luar tinha um blog, porque nunca vi essa informação aqui nos comentários das Krónikas Tugas), agora que comecei a ler e a comentar sou surpreendido pelo fim do dito. Mais surpreendido ainda pelo trespasse para o Politikos. Isto é novo, que alguém tome conta do blog de outrem.
Percorrendo os arquivos, a surpresa aumenta por verificar que este blog teve vida curta. Os mais antigos que encontro são de Março, pelo que cumpriu pouco mais de meio ano. Nós, aqui nas KT, estamos a caminho do 3º aniversário e as Krónikas Vinícolas completarão nessa altura o primeiro ano de vida, e estamos para lavar e durar (enquanto outros que se auto-elogiam e elogiam entre os seus membros e fazem-se passar por representantes da “direita moderna”, como o Acidental, não aguentaram mais de dois anos apesar de tantas cabeças bem-pensantes, e fizeram o favor de ir pregar para outra freguesia...).
Um blog tem de ser alimentado e acarinhado para crescer. Como se fosse um filho. Claro que havendo mais que uma pessoa a escrever é mais fácil, assim é necessário algum esforço adicional, mas custa-me a entender que se acabe com esse esforço tão depressa. Assim estamos a ceifá-lo à nascença. E é pena, porque gostei daquilo que agora começava a ler. Faço votos para que volte.

Atentamente seu,

Kroniketas

Insinuação ou conhecimento de causa?

As afirmações do treinador Fernando Santos por causa da expulsão do jogador Miccoli no último domingo deixaram o comentador José Guilherme Aguiar (“O dia seguinte”, na SIC Notícias) irritado, fazendo-o perder o verniz e o seu habitual “low profile”. Guilherme Aguiar, conhecido portista, indignou-se com aquilo que considerou “insinuações” do treinador do Benfica acerca dum clube (FC Porto) onde prestou serviços remunerados.
Eu sei onde lhe dói: é que o Fernando Santos esteve lá 3 anos, portanto sabe bem do que a casa gasta. Isso é que custa.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quarta-feira, 25 de outubro de 2006

O que os outros disseram (XXVI)

“O que querem que eu responda a essa figurinha? Cada vez que fala lembra-me o Pinóquio”.
(José Veiga, director-geral da Benfica SAD, sobre Pinto da Costa, Presidente do FC Porto)

He! He! He! Desta ainda ninguém se tinha lembrado!

blogoberto, chico-esperto

sábado, 21 de outubro de 2006

Banco Besta

Continuando na senda das parvoíces radiofónicas, ontem deparei-me com um anúncio do Banco Best onde é dito, com pompa e circunstância, que quem contactar o Banco Best terá um “personal financial adviser”. Leram bem, “personal financial adviser”. Não é um conselheiro financeiro personalizado, nada disso, estes tipos são muito importantes para falarem uma linguagem simples e acessível, tem de ser “personal financial adviser”.
Será que eles lá no banco sabem falar português? O Banco Best é mais um Banco Besta! Devem ser todos uns cagões!

Kroniketas, sempre kontra as tretas

quarta-feira, 18 de outubro de 2006

Hamburgos ou francesinhas?

Um brinde da defesa, um penalty infantil e um golo em fora-de-jogo.
Ao Hamburgo só faltou meter a bola na própria baliza...

Krónika Desportiva por Gabriel Alves dos Santos, tanto comenta livres como cantos

terça-feira, 17 de outubro de 2006

A tecnologia ao serviço da administração pública!

O orçamento de Estado para 2007 foi entregue ao Presidente da Assembleia da República numa “pen drive”. Ainda não há muito tempo eram resmas de papel.
Afinal os governantes também se modernizam. Sinais dos tempos...

Kroniketas, com tecnologia de ponta

domingo, 15 de outubro de 2006

O que os outros disseram (XXV)

“A asneira tem rosto”
(Alberto João Jardim, presidente do governo regional da Madeira)

Ele deve ter descoberto isso quando se viu ao espelho.

blogoberto, chico-esperto

sexta-feira, 13 de outubro de 2006

O que os outros disseram (XXIV)

“Costinha só ainda é titular da selecção por casmurrice de Scolari.”
(Rui Santos, comentador na Sic Notícias, após o jogo Polónia, 2 – Portugal, 1, que marcou a primeira derrota da selecção portuguesa em fases de qualificação desde 1998, 11-10-2006)

E quando se joga para o empate, normalmente perde-se...

blogoberto, chico-esperto

segunda-feira, 9 de outubro de 2006

Sem medo


O jumento da Madeira voltou a zurrar e a dar uns coices contra os cubanos do Continente. Agora o alvo é o sr. Sócrates (actual Primeiro-Ministro), por causa da lei das finanças regionais, como antes tinha sido o sr. Silva (actual Presidente da República). Mas desta vez parece que encontrou alguém que lhe faz face. Na sua deslocação à Madeira, José Sócrates não se encolheu e respondeu à letra ao boçal do Jardim. Não se intimidou com as ameaças nem com os apelos à queda do governo.
Parece que finalmente há alguém que governa sem medo de enfrentar os lobbies e os interesses instalados. Por isso há tantas manifestações de rua, porque ninguém quer que lhe mexam no que considera direitos adquiridos, eternos e imutáveis. Sócrates tem tido essa coragem e esse mérito. Consegue não agradar a uma série de gente, o que é um sinal positivo, ao contrário do Guterres que tentou agradar a todos e teve que fugir do pântano em que ele próprio se estava a atolar.

Kroniketas, sempre kontra as tretas

sexta-feira, 6 de outubro de 2006

quinta-feira, 5 de outubro de 2006

O que os outros disseram (XXIII)

“Até podia ser campeão três anos seguidos, mas isso provavelmente seria prestar um mau serviço ao Benfica, pois nos anos seguintes íamos sofrer as consequências.”
(Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, no jantar de lançamento da candidatura à reeleição, 29-09-2006)

Consequências? Claro: aumento das receitas dos jogos e da publicidade, aumento do número de sócios, aumento das receitas da Liga dos Campeões e das transmissões televisivas, tudo isso seriam as consequências previsíveis de ser campeão 3 anos seguidos. Veja-se o Porto, que sendo campeão europeu arrecadou mais de 20 milhões de contos só em vendas de jogadores.
Mas é claro, um bom serviço é estar 10 anos sem ser campeão. Principalmente num clube cujo objectivo é ser campeão em todas as provas em que compete. Como é que ainda ninguém se tinha lembrado disso? Ou, citando Luís Óscar no jornal Record de 1 de Outubro, “como pode um clube que existe para ser campeão fazer do cumprimento do seu ideal um mau negócio?”

Kroniketas, sempre kontra as tretas

terça-feira, 3 de outubro de 2006

Pensamento do dia

A nova direcção da Liga de Clubes tomou posse e logo o Porto perdeu. Algo está a melhorar no futebol português...

blogoberto, chico-esperto

segunda-feira, 2 de outubro de 2006

Retrato de família



Gosto muito deste tempo de início de Outono... É o tempo da marmelada (não é dessa! Essa faz-se todo o ano e não é preciso nenhuma panela nem açúcar!... bem... ele há ideias malucas, é melhor ficar por aqui...), das castanhas e... das feiras de vinhos!
Nos próximos dias daremos algumas sugestões de compra num blog aqui ao lado.
Entretanto divirtam-se, vão comendo castanhas e fazendo marmelada.

tuguinho, cínico avinhado

P.S. - a foto deste post não pretende promover o consumo de vinho, até porque do bom há pouco; pretende apenas ilustrar uma parte das aquisições vínicas destas Krónikas (e das outras, aqui ao lado). "Prontos"! 'Tá esclarecido.