segunda-feira, 28 de maio de 2012

A Faca na Língua 1- A Dúvida Metódica

Não sei se o leitor também é daqueles que, como eu, acumula revistas e/ou periódicos com a desculpa de que podem conter algo importante e ainda não lido e que seria dilacerante perder esse naco suculento de informação. Como se depreende, eu sou. A acumulação tem um defeito terrível: ocupa muito espaço. Daí que de tempos a tempos seja necessária uma operação de desencarceramento do espaço ocupado por essas revistas e jornais.
E foi numa dessas operações, que “obrigam” sempre ao folhear atento dos espécimes não vá o tal naco informativo fugir-nos, que descobri uma entrevista a Katy Perry com uma pérola escondida, ou melhor, inventada, pelo jornalista/adaptador/tradutor da peça.

Dizia-se então a páginas tantas que os pais da cantora eram “pastores metódicos”, o que me fez entrever duas situações:

Hipótese A: os pais da Katy eram pastores que retiravam as ovelhas da corte sempre segundo critérios precisos, fossem eles a altura, a quantidade de lã ou a média de leite produzida nos últimos quinze dias; que os animais seguiam para a pastagem em fila indiana e lá chegados degustavam a erva tenra por sectores, indicados atempadamente pelos seus metódicos criadores. Até imagino o entusiasmo expectante dos ovinos, à espera do “Bonita, vais pastar no sector C5, ali junto ao sobreiro e tu, Sapuda, ficas com o L3* ali junto ao penedo grande!”
Não será demais imaginar também a ordenha, feita teta a teta da esquerda para a direita, até que o balde se apresentasse cheio em ¾ da sua capacidade… O leitor pode continuar a imaginar…

Hipótese B: o “pastor” que no artigo se refere é de almas e não de ovinos ou caprinos e segue a variante cristã “metódica”, tal como outros são "islamenses", "judeiros" ou mesmo "mormonetanos"! Esta é a hipótese em que tenho de chamar ignorante ao jornalista/adaptador/tradutor do artigo porque, se a dúvida pode ser metódica, “metodist” é sem dúvida alguma “metodista” neste idioma a que se chama português.
Dir-me-ão, “coitado, também não é assim tão relevante, não veio daí nenhum mal ao mundo e etc.”, e eu responderei que, se quiser ser assim ignorante, o seu lugar é numa qualquer “Casa dos Segredos” e não num jornal como o Expresso, na revista do qual encontrei esta pequena pérola.

Como dizia o outro, “I’ll be back!”.

tuguinho, cínico encartado

*not affiliated with Carris