quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Louvada seja a ERC!



Ao que parece já evoluímos um pouco desde o risível episódio do filme “Pato com Laranja”!
A ERC decidiu, por unanimidade, não dar razão aos 122 cidadãos vigilantes da boa moral, dos bons costumes e da heresia abjecta que fizeram queixa por se sentirem melindrados pela exibição do sketch “Louvado sejas ó Magalhães” no programa “Zé Carlos”.
Fico agora à espera das 122 queixas contra o sketch do “Chato e o Padre” (aqui e aqui), do programa “Contemporâneos”, bem mais engraçado e acutilante que o dos Gatos.
Isto se, entretanto, não falecer nenhum dos 122...

tuguinho, cínico encartado (regressado à pregação nesta freguesia)

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Mais do mesmo

Esta noite a “grande equipa” do Benfica deu mais uma “alegria” aos benfiquistas. Isto mostra bem o declínio dum clube. Antes as nossas derrotas europeias em casa antes eram com o Liverpool, o Manchester, o Ajax, o Bayern, o Roma, a Fiorentina. Agora são com esses colossos como o Dínamo de Bucareste, o Paok, o Shaktar, o Metalist, o Galatasaray, o Villareal, o Getafe. Já não há cão nem gato da 3ª divisão europeia que não nos venha cá ganhar com a maior limpeza. Este ano foram 2 derrotas em casa em 3 jogos, na época passada mais 2 derrotas em casa.
Agora querem fazer um empréstimo obrigacionista, mas antes diziam que a não ida à Champions não era problema para as finanças e até deram prémios de resultados aos administradores. É brilhante, não é? E depois a culpa é da Lusa porque deu a notícia nesses termos: que deram prémios aos administradores apesar do 4º lugar. Este Benfica não tem remédio com este tipo de política.
Agora a única coisa que nos pode salvar a época é ganhar os 5 jogos antes da ida ao dragão, para chegar lá à frente deles e, eventualmente, aproveitar alguma escorregadela para aumentar o avanço, senão chegamos lá e levamos uma ripada e adeus campeonato.

Kroniketas, benfiquista cansado de tretas

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Uma mão cheia



Foi há 5 anos que nos lançámos nesta aventura de escrever num blog. Como em todos os novos amores, começámos cheios de força e entusiasmo, e os textos proliferavam a um ritmo frenético. Por vezes publicávamos vários posts por dia, e o dia-a-dia deste rectângulo tuga, principalmente nas suas vertentes mais… tugas, era alvo frequente de crítica.

O frenesim e a inspiração eram tantos que, para além dos dois escribas que começaram, outros se foram juntando ao leque à medida que começavam a surgir temas com alguma especificidade que passaram a ser objecto de tratamento por escribas... especializados!

O leque de assuntos foi sendo alargado até chegar à vertente gastronómica e vínica. Começámos a escrever algumas sugestões sobre vinhos, a falar sobre aqueles que íamos bebendo e gostando e a certa altura surgiu a ideia (quiçá peregrina, quiçá oportuna) de abrir uma nova secção no blog que se dedicasse especificamente a essa vertente, pois já começavam a aparecer posts em número suficiente para serem publicados autonomamente.

E foi assim que no dia do segundo aniversário das Krónikas Tugas abrimos um blog temático chamado Krónikas Vinícolas. Inicialmente com pouco destaque, quando começou a ser visitado por outros bloguistas dedicados ao mesmo tema (e depois de ter sido referenciado na Revista de Vinhos de Junho de 2006) e quando começámos a interagir com esses mesmos blogs, as visitas dispararam a tal ponto que a certa altura as KV passaram a ter o dobro da audiência diária das KT, não tardando que o blog-filho ultrapassasse o blog-pai em número total de visitas.

Como resultado desta maior atenção dada às Krónikas Vinícolas, as Krónikas Tugas foram ficando um pouco à parte e enquanto aquele crescia este definhava. Os posts foram rareando a partir de certa altura e quando o tuguinho resolveu virar a sua atenção para outras actividades mais artísticas fiquei praticamente sozinho com os dois blogs a meu exclusivo cargo. Se manter um com regularidade já é difícil, manter dois ainda é pior. Neste momento faço o que posso por manter este blog vivo mas só conto comigo: os últimos posts do tuguinho em ambos os blogs datam de Maio deste ano! (Olá! Eu sou o tuguinho! Apesar de tudo ainda ando por aqui.)

No dia do 5º aniversário, a continuidade das Krónikas Tugas é uma incógnita. Já pensei em fechar (fecharmos!) para balanço. Um blog não se pode manter vivo apenas com um post por mês. A verdade é que tudo tem a sua época e a inspiração e o entusiasmo para escrever já não são as mesmas. Quando a escrita deixa de ser um prazer e passa a ser uma obrigação, então é porque o projecto chegou ao fim.
Não quero decretar (ainda) (decretarmos!) o fim das Krónikas Tugas, mas não garanto a sua continuidade por tempo indefinido, nem sei em que moldes. Cinco anos já fazem uma boa história e durante este tempo vimos aparecer e desaparecer outros blogs que não se aguentaram, tivemos algumas polémicas e alguns desafios interessantes que ajudaram a dinamizar este blog. Chegámos a ter 51 posts num mês e 350 num ano; neste momento vamos em 67 em 2008, e só em Janeiro e Março tivemos mais de 10 posts. Em consequência, no último ano a curva de visitas tem sido sempre em descida. Em contrapartida, as Krónikas Vinícolas estão bem e recomendam-se, atingindo novos máximos de visitas com alguma frequência: o mês de Novembro de 2008 teve o máximo do último ano.

Como disse o outro (ou quase), vou (vamos!) estar por aqui e vou (vamos!) andar por aí... até ver.

Kroniketas, ainda e sempre kontra as tretas (e tuguinho, escondidito mas vivinho!)

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Um Benfica em grande

Costuma-se dizer que em futebol as verdades duram uma semana, ou o tempo que medeia entre um jogo e o jogo seguinte.
Em semana e meia, o Benfica passou de uma derrota por 5-1 em Atenas a uma vitória por 6-0 no Funchal. A dúvida que me fica é sempre a mesma: porque é que eles não jogam sempre assim? A resposta entronca no post abaixo: por falta de cultura de exigência. Tanto podem fazer uma grande exibição como logo a seguir andar a arrastar-se pelo campo.
Agora que, ao fim de 3 anos, voltámos ao primeiro lugar do campeonato, mantém-se a dúvida sobre o que irão eles fazer no próximo jogo. Como benfiquista, “só” peço que se mantenham assim durante mais 19 jogos…

Kroniketas, sempre kontra as tretas

domingo, 7 de dezembro de 2008

O que os outros disseram (XLV)

(A propósito da avaliação dos professores): “E pergunto eu: quando é que há avaliação para os políticos? Porque as eleições são uma avaliação viciada à partida – só nos dão a escolher entre «maus» e «piores»!...”
(José Pedro Gomes, actor, jornal “Sexta”, 21-11-2008)

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Um Benfica da treta


Esta equipa do Benfica é sempre a mesma miséria. Como é que isto pode ser sempre tão previsível? Há quanto tempo é que o Benfica só joga metade do jogo? Este é um filme já visto vezes demais e sempre com o mesmo final. SERÁ QUE NÃO HÁ NINGUÉM QUE PONHA MÃO NISTO?
Um dos problemas do Benfica é o nível de exigência, próximo do zero. Pagam-se ordenados milionários a pseudo-craques que nada produzem, a não ser espectáculos deprimentes e frustrações para os adeptos. Continuamos com a mania que somos os maiores do mundo e arredores, mas quando é preciso prová-lo no local próprio (dentro do campo) o que se vê é nada. Basta-nos continuar embalados na lenga-lenga das "equipas-maravilha" e do "maior clube do mundo" e de mais uma série de tretas que só servem para enganar os incautos.
Mas a mim já deixaram de me enganar há muito tempo, por isso é que este ano deixei o meu lugar cativo no estádio e não ponho lá os pés. Para ver isto e chatear-me a 6 graus de temperatura, chateio-me em casa, no quentinho. E francamente, já estou com a paciência tão esgotada que nem sei se valerá a pena continuar a ver os jogos do Benfica mesmo pela televisão. ESTOU FARTO!!!

Kroniketas, sempre kontra as tretas