domingo, 1 de agosto de 2010

Isto não é um epitáfio

Ontem foi o funeral de António Feio.
Nestas horas somos sempre levados a relativizar a morte. Que foi para um sítio melhor, que não vai desaparecer porque tudo o que realizou vai ficar entre nós. Mas verdade nua e crua é que nem sabemos se foi para um sítio melhor. A única certeza é que perdemos alguém que, pela sua idade, ainda tinha muito para fazer por aqui e não o vai fazer… e perante isto qualquer discussão ou consideração mais ou menos metafísica perde o sentido.
Por isso estamos tristes. Que raio de treta! (sem conversa)

Os diletantes preguiçosos